Menu
sexta, 18 de junho de 2021
Polícia

DIG prende homem acusado de transmitir o vírus da AIDS para várias mulheres; veja o vídeo

Justiça de Brasília havia decretado prisão preventiva do suspeito.

14 Jul 2015 - 14h49
Acusado residia há bastante tempo em São Carlos. (foto Milton Rogério) - Acusado residia há bastante tempo em São Carlos. (foto Milton Rogério) -

No final da manhã desta terça-feira (14) a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) prendeu na região leste de São Carlos o servidor público federal, Roberto , 40, que estava sendo procurado pela Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) de Brasília após o Juiz Marcelo Andres Tocci do 2º Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a mulher de Brasília ter expedido no último dia 2 a prisão preventiva dele que foi enquadrado no crime de Lesão Corporal Grave (artigo 129 do Código Penal Brasileiro), por causar enfermidade incurável.

FANTASIA

O Juiz ainda fixou pena ao servidor em quatro anos, seis meses e 20 dias de reclusão que deverá ser iniciada em regime fechado. O servidor foi preso por investigadores da DIG na rua da Imprensa, na vila Nery. Ele foi encaminhado ao prédio da especializada e falando com a nossa reportagem disse que o juiz teria acreditado em fantasias e que nem toda história que foi registrada em processo criminal contra ele estaria correta. Já o delegado Gilberto de Aquino disse que o servidor teve sua prisão preventiva decretada em Brasília na tarde do último dia 2 e ao ser informado pelos policiais civis de São Carlo, já contatou sua advogada que estaria tentando reverter tal situação.

SITE RELACIONAMENTOS

O servidor federal foi denunciado por manter relacionamento pela internet através de um site, onde conheceu três mulheres e manteve relações sexuais com elas.

Segundo o processo, sabendo que teria adquirido o vírus HIV, o acusado teria se revoltado e teria transmitido a doença para outras mulheres e pelo menos duas delas teriam contraído o vírus em Brasília. O delegado titular da DIG/São Carlos, Gilberto de Aquino disse que antes de realizar as buscas e a prisão do servidor federal teve acesso ao processo e conversou com policiais da Polinter em Brasília que confirmaram toda história e investigações contra o servidor.

SÃO CARLOS

Roberto disse que não sabia sobre seu mandado de prisão e que não se furtou em dizer ao poder judiciário em Brasília de sua condição de vida e de seu afastamento do trabalho e da mudança momentânea para a cidade de São Carlos para tratar uma familiar com outros problemas sérios de saúde. Ele nega que teria tentado contaminar em massa o maior número de pessoas na capital federal e diz que também teria sido uma vítima desta situação. Após ser ouvido pelo delegado Gilberto de Aquino o servidor público federal foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) onde passou por exame de corpo de delito e posteriormente foi encaminhado para o Centro de Triagem (CT) de São Carlos, onde aguarda para os próximos dias sua transferência para uma das celas da sede da Polinter de Brasília, onde ficará a Disposição do Poder Judiciário para providências.

Após tomar ciência do MP, equipe do Delegado Gilberto de Aquino conseguiu localizar acusado. (foto Arquivo)

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias