Menu
sexta, 15 de janeiro de 2021
Doze anos a lutar contra a malária

Pesquisadora da USP São Carlos conquista prêmio “The World Academy of Sciences”

05 Dez 2020 - 11h59Por Redação
Pesquisadora da USP São Carlos conquista prêmio “The World Academy of Sciences” - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A Pós-Doutoranda do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), Drª Anna Caroline Campos Aguiar, pertencente ao Grupo de Cristalografia do Instituto, conquistou no final do mês de novembro último o “TWAS- Lacrep Young Scientists Prize 2020”, na área de Ciências Médicas, atribuído pelo “The World Academy of Sciences” (TWAS).

Anna Caroline (33), com Mestrado e Doutorado realizados na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é neste momento Pós-Doutoranda no IFSC/USP e também professora afiliada na UNIFESP (Campus da Baixada Santista). No final do mês de novembro deste ano, a jovem pesquisadora viu seu memorial científico ser destacado na “The World Academy of Sciences” (TWAS), com a conquista do “Prêmio TWAS-Lacrep”, que é o reconhecimento internacional dado às contribuições de jovens pesquisadores ativos, com idades até 40 anos, que desenvolvem seus trabalhos na América Latina e no Caribe.

A qualidade dos trabalhos de pesquisa de Anna Caroline chamaram a      atenção da TWAS, principalmente pelo foco dado ao combate à malária. “A minha vida acadêmica e científica sempre foi focada no combate à malária, principalmente no desenvolvimento de anti-maláricos. Foi uma causa que abracei logo desde o início, procurando incessantemente por compostos bio-ativos que pudessem ter interatividade para bloquear o ciclo de vida do parasita. E esse entusiasmo, essa entrega, foi consolidada quando eu fiz meu doutorado Sanduiche na Universidade Johns Hoppkins (Escola de Saúde Pública), que é muito forte nesse tema. Outro momento importante na minha vida científica foi quando, posteriormente, iniciei meu trabalho de campo em Porto Velho, em 2011. Assim, desde esse ano que eu desenvolvo minha pesquisa nessa região, que é altamente endêmica para malária”, sublinha Anna Caroline.

Quando terminou seu doutorado, a jovem pesquisadora começou a trabalhar para a Medicines for Malaria Venture (MMV), desenvolvendo vários projetos igualmente relacionados com a malária, já que o principal objetivo dessa organização é encontrar candidatos clínicos para o tratamento da doença. “Todas as minhas contribuições científicas foram no sentido de avançar o conhecimento na busca de novos medicamentos contra a malária. É isso que faço até hoje”, enfatiza Anna Caroline, que acaba de ver aprovado um projeto seu na categoria de Jovem Pesquisador da FAPESP, na mesma área de pesquisa, através da Unifesp e do IFSC/USP.

Em relação ao prêmio conquistado, no valor de 2.000 USD, Anna Caroline afirma que esse dinheiro vai ser aplicado em ciência. “Não vejo outra forma de gastar o dinheiro. O combate à malária é, para mim, uma meta, um modo de estar na vida, uma paixão, um destino. Não me vejo atuando em outra área qualquer. Este prêmio foi o reconhecimento do que eu venho fazendo desde os meus vinte e um anos, ou seja, durante doze anos consecutivos. Sinto, cada vez mais, que posso dar contribuições concretas no combate à malária em particular, e às doenças negligenciadas, como um todo, afirma Anna Caroline, que pretende continuar a dividir seu tempo entre a ciência e a docência, já que, para ela “A formação de recursos humanos também não pode parar. Tenho também a missão de repassar meus conhecimentos, minha experiência e minha filosofia de vida para os outros, para os estudantes”. (Rui Sintra - Jornalista IFSC/USP)

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias