Menu
sábado, 17 de abril de 2021
Homenagem

Azuaite sugere dar nome do Professor Ulysses Ferreira Picolo a uma escola municipal

22 Ago 2018 - 15h08Por Redação
Ulysses Ferreira Picolo, educador e tesoureiro do Centro do Professorado Paulista (CPP) em São Carlos, falecido no último dia 16 aos 84 anos - Crédito: DivulgaçãoUlysses Ferreira Picolo, educador e tesoureiro do Centro do Professorado Paulista (CPP) em São Carlos, falecido no último dia 16 aos 84 anos - Crédito: Divulgação

O vereador Azuaite Martins de França (PPS) protocolou na Câmara Municipal uma indicação ao prefeito Airton Garcia Ferreira e ao secretário municipal de Educação, Orlando Mengatti Filho, para que seja atribuído o nome do Professor Ulysses Ferreira Picolo a uma unidade escolar no município. A proposta rende tributo ao educador e tesoureiro do Centro do Professorado Paulista (CPP) em São Carlos, falecido no último dia 16 aos 84 anos.

Em pronunciamento na tribuna da Câmara na sessão plenária desta terça-feira (21), Azuaite, que é presidente regional do CPP, afirmou que o falecimento do professor Ulysses “é uma perda irreparável”, testemunhando que o tesoureiro da entidade era “um homem firme, honesto, idealizador de grandes transformações, de grandes mudanças; um homem com coragem de fazer o enfrentamento da repressão para reivindicar salários para os professores e melhores condições de ensino”.

“Caminhamos juntos nos tempos difíceis e nos tempos que nós conseguimos transformar em tempos melhores”, disse Azuaite, que a respeito do amigo, observou: “Não foi apenas alguém com quem trabalhei lado a lado; foi alguém com quem aprendi muito e que me amparou como se fosse seu filho, me abrigou na sua família como se fosse a minha família”. Picolo deixou a esposa Angelina, os filhos Olga, Paulo e Fábio, noras, genro e netos. “Ele foi esposo, pai, sogro e avô amoroso”, sublinhou o parlamentar.

Em seu discurso, Azuaite mencionou que conviveu com o professor Ulysses quase que diariamente nos últimos 40 anos, 30 dos quais no CPP, onde estabeleceu uma parceria realizadora. “Conseguimos formar um time pequeno e, a partir das instalações precárias de uma sede sem telhado, conseguimos juntos construir tudo o que vocês conhecem como o CPP hoje”.

TRAJETÓRIA

Depois de recordar embates em favor do professorado, inclusive enfrentando a polícia durante as greves, Azuaite destacou a trajetória do educador. Ulysses foi professor, diretor de escola, coordenador de cursos e diretor do Departamento Municipal de Educação (atual secretaria municipal), tendo iniciado a carreira distante de São Carlos. Formou-se em Pedagogia na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Botucatu e ingressou no magistério em 1958 em Ponta Linda, na região de Jales. Trabalhou em Urânia, Monte Azul Paulista, Ribeirão Bonito e Ibaté, até vir para São Carlos em 1988 para dirigir a Escola Estadual Andrelino Vieira, onde se aposentou. Fundador do CPP de São Carlos, foi conselheiro estadual da entidade e por 19 anos coordenou cursos profissionalizantes no Centro Educacional Diocesano La Salle de São Carlos.

Azuaite lembrou a liderança de Ulysses na luta pela liberdade de expressão em 1985, quando forças do obscurantismo pretenderam queimar livros didáticos em praça pública em São Carlos.  “Ulysses foi uma das pontas de lança do professorado em defesa da liberdade e do respeito ao magistério; foi verdadeiramente um homem que dedicou sua vida às causas da educação”.

Em 12 de agosto de 2005, Ulysses Ferreira Picolo – que por muitos anos foi membro atuante do Lyons Clube da cidade -  recebeu na Câmara Municipal o título de “Cidadão Benemérito de São Carlos” em reconhecimento à sua contribuição à educação e ensino no município.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias