sábado, 18 de maio de 2024
Clima esquentou na câmara

Djalma faz acusações de suposto esquema de corrupção envolvendo vereadores

24 Abr 2024 - 07h58Por Redação
Marquinho Amaral e Djalma Nery - Crédito: divulgaçãoMarquinho Amaral e Djalma Nery - Crédito: divulgação

O vereador Djalma Nery voltou a ser o centro das atenções após ter um áudio gravado sem seu consentimento onde faz graves acusações contra vereadores da Câmara Municipal de São Carlos.  No áudio o vereador do PSOL afirma que a maioria dos vereadores são-carlenses estão envolvidos em um suposto esquema de corrupção com uma empresa que presta serviço para a Prefeitura. A denúncia atingiu a imagem dos edis e fez com que o presidente da Câmara, Marquinho Amaral, solicitasse na sessão desta terça-feira (23) que Djalma formalize por escrito a denúncia com a divulgação dos nomes dos supostos vereadores envolvidos.

Após a circulação do áudio por redes sociais alguns vereadores começaram a receber mensagens e ligações de eleitores questionando quem eram os parlamentares envolvidos no esquema de corrupção ventilado pelo vereador do PSOL.

Lucão Fernandes afirmou que a denúncia é prejudicial para a imagem da Câmara, tendo em vista que o vereador Djalma não tinha divulgado nomes. “O áudio é preocupante porque o vereador do PSOL fez uma declaração afirmando que a maioria dos vereadores tem benefícios e, por isso, não investigam essa tal empresa. É uma fala prejudicial ao parlamento e deixa muita gente numa situação complicada”, frisou.

No mesmo sentido, Malabim argumentou que a denúncia de Djalma denigre a Câmara e coloca em dúvida o caráter dos vereadores.

Marquinho Amaral, por sua vez, pediu para que o vereador do PSOL apresentasse por escrito os nomes dos vereadores envolvidos no esquema de corrupção para o gabinete da presidência da Câmara tomar providências.

Na sequência da sessão iniciou uma troca de farpas entre Marquinho Amaral e Djalma Nery. Na tribuna Marquinho Amaral leu trechos de conversa que teve no WhatsApp com o vereador Djalma. De acordo com o presidente da Câmara, o vereador do PSOL o chamou desocupado, que não obedece ao expediente e viola o regimento interno da Câmara.

“Não sou desocupado, trabalho de manhã, de tarde, à noite e atendo a todos, desde ex-prefeitos e liderança políticas”, se defendeu Marquinho.

Em outro período da sessão Djalma fez acusações graves contra Marquinho Amaral.

“Existe uma pessoa conhecida por achacar empresários e empresárias, donos de mecânica e oficinas. É um ladrão contumaz, gente conhecida por drenar os recursos públicos para interesses pessoais, uma pessoa que eu acuso de ter agredido uma pessoa idosa que está neste plenário”, afirmou, frisando que fará uma representação contra Marquinho na Comissão de Ética do Ministério Público.

A seguir emendou: “É uma pessoa que descumpre o regimento, não dá expediente, não trabalha, inventa desculpa e não representa o Poder Legislativo, uma pessoa que colocou um pupilo em uma secretaria para ajudar a construir um esquema de desvio de dinheiro público, que recebe mesada e esse dinheiro sai dos cofres públicos todo mês. É uma pessoa que arrota de paladino da moral e que vem aqui envergonhar a própria família e apresentar seu histórico de serviços prestados. Eu tenho provas fartas que este homem é Marco Antônio Amaral”, acrescentou Djalma.

Marquinho Amaral negou os fatos e informou que vai interpelar Djalma na Justiça.

Leia Também

Últimas Notícias