quinta, 30 de maio de 2024
Região

Pedreiro tem casa invadida e carro alvejado por sete tiros

23 Fev 2015 - 08h55Por araraquara.com
Carro foi alvejado seis vezes (Foto: Fernanda Miranda) - Carro foi alvejado seis vezes (Foto: Fernanda Miranda) -

Um pedreiro de 30 anos teve a casa invadida por três homens e o carro alvejado na madrugada deste domingo (22) na Rua Dr. Antonio Paulo Ianotti, no Jardim Adalberto Roxo 2, em Araraquara. Segundo informações da vítima, ele reconheceu os três homens; ele já trabalhou com dois deles e o outro foi seu empregador há dois anos.

Romílson conta que, por volta das 21 horas de sábado (21), passou em em bar comprar balas e salgadinhos para o filho e encontrou o ex-patrão, conhecido como Zezinho. Apesar de o pedreiro achar que ainda tinha um dinheiro para receber do antigo empregador, Zezinho teria cobrado uma dívida dele. 

 "Achei que ele ia me dar um agrado, uns R$ 60 que ele disse que daria porque a gente sempre passava do horário, mas, quando eu ia saindo, ele chegou cobrando um dinheiro. Eu falei que não tinha, mas quando fosse possível eu o pagaria, e fui embora", conta a vítima.

Assim que saiu com o carro, Romílson viu o rapaz de 32 anos atirar para o alto. Em seguida, uma irmã que mora no bairro ligouCarro foi alvejado seis vezes (Foto: Fernanda Miranda) para perguntar o que ele havia feito de errado porque o tal Zezinho estava à sua procura na casa dela. A moça pediu que ele não fosse para a casa e se ficasse na residência de outra irmã, no Cecap. 

Romílson, no entanto, foi para a casa ficar com a esposa, uma jovem de 25 anos que está grávida de 6 meses, e os outros dois filhos, de 1 ano e 4 meses e 3 anos e 4 meses, e então soube que o antigo empregador havia passado com seu carro na frente da casa. "Estava preocupado e não conseguia dormir. Umas horas depois,  ele chegou, arrombou o portão com mais dois e começou a atirar", diz.

Foram cinco tiros na lataria do carro, um Fiat Uno Preto, e outro no vidro traseiro, que saiu pela frente. Os homens ainda atiraram no chão da área da casa e só não invadiram o local porque ouviram a esposa de Romílson chamar a polícia por telefone. 

Ele diz que teve tempo de olhar para fora e ver quem eram os três homens, reconhecendo o antigo empregador e outros dois como moradores do bairro, um ex-colega de trabalho empregado pelo mesmo homem e um outro com quem trabalhou em um outra empresa da cidade. 

Autor foi identificado, mas nega o crime (Foto: Fernanda Miranda)Uma equipe da Força Tática da Polícia Militar atendeu à ocorrência e deteve o antigo patrão com seu carro, um CrossFox preto, na Rua Maurício Galli, no Selmi Dei Setor 1. Dentro do carro havia um projétil de calibre 380, o mesmo usado para alvejar a casa do pedreiro. 

O homem foi levado ao plantão policial e foi reconhecido pela vítima. O acusado, no entanto, nega o crime e qualquer tipo de relação com o pedreiro. 

O acusado foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e dano qualificado e encaminhado para a Cadeia de São Carlos.

Leia Também

Últimas Notícias