Menu
quarta, 23 de junho de 2021
Região

Padre é flagrado dirigindo embriagado na SP-310

23 Fev 2015 - 15h27Por araraquara.com
Teste do bafômetro apontou 1,35 mg/l de álcool por sangue - Teste do bafômetro apontou 1,35 mg/l de álcool por sangue -

Um padre de 41 anos foi detido em flagrante por embriaguez ao volante na manhã desta segunda-feira (23), no Km 256 da Rodovia Washington Luís (SP-310), em Araraquara. Ele foi submetido ao teste do bafômetro e o resultado foi 1,35 mg/l de álcool no sangue. Essa é a segunda vez que o sacerdote é flagrado dirigindo embriagado.

De acordo com a Polícia Rodoviária, uma testemunha transitava pela rodovia e percebeu que o veículo, um Fiat/Uno de cor vermelha, zigzagueava pela pista. Após o sacerdote quase provocar um acidente, a testemunha deu sinal para que ele parasse no acostamento e acionou a Polícia Rodoviária.

De acordo com os militares, os sinais de embriaguez do padre eram visíveis e ele não se recusou a fazer o teste do etilômetro. A surpresa, porém, veio com o resultado, muito além do permitido pela lei.

Questionado, o sacerdote disse que estava retornando de uma festa na cidade de Ibaté, onde consumiu bebidas alcoólicas.

Ele foi autuado em flagrante e levado à delegacia. Lá, após ser ouvido, o delegado Antonio Luiz de Andrade arbitrou fiança de R$ 800. O valor seria providenciado por um beato que esteve no distrito policial.

DE NOVO - A combinação de bebidas alcoólicas e direção feita pelo padre não é novidade. Em julho de 2013 ele foi flagradoApós ser autuado por embriaguez, em 2013, padre foi substituído na missa do dia seguinte do flagrante, no Vale do Sol dormindo dentro do seu veículo nas proximidades da sua paróquia, no Vale do Sol.

Na ocasião, o padre afirmou que tinha ido a uma festa e bebido apenas um copo de conhaque, mas se negou a fazer o teste do bafômetro.

Ele ainda tentou resistir à abordagem policial, falando que durante a festa estava ao lado de pessoas influentes da cidade. 

Na primeira apreensão, o pároco foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde realizou exame clínico que apontou capacidade psicomotora reduzida. O delegado plantonista da época, Ricardo Farah, arbitrou fiança no valor de R$ 2 mil. O padre pagou o valor e foi liberado. 

DIOCESE - Procurado pela reportagem, o responsável pelas Igrejas Católicas na região de Araraquara, Padre Cristian Henrique Capelatto, disse que o caso será encaminhado e analisado pela Diocesse de São Carlos, à qual pertence o padre autuado em flagrante. Se constatado o caso de alcoolismo, ele será instruído a um tratamento para a doença. "Como um padre consciente, ele permanecerá à disposição da Justiça e colaborará para que tudo se esclareça”, diz Capelatto.

Ainda segundo ele, após o episódio em 2013, o sacerdote não apresentou mais nenhum tipo de problema com o álcool, por isso, somente agora, a questão de uma posível doença será analisada pela Igreja.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias