Menu
sexta, 05 de março de 2021
Região

Ibaté realiza campanha de vacinação anti-rábica

06 Out 2016 - 16h14Por Redação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

A Prefeitura Municipal de Ibaté através do Departamento de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente e o Departamento de Saúde e Vigilância Epidemiológica, realiza neste sábado, 8, das 8h30 às 17h, a "Campanha de Vacinação Anti-Rábica".

As vacinas serão aplicadas gratuitamente em cães e gatos do município, para tanto o proprietário deve apresentar a carteira de vacinação do seu animal de estimação.

Para maior agilidade durante a vacinação e evitar possíveis problemas de fuga dos animais, os responsáveis pela Campanha pedem que os proprietários levem os gatos, se possível em caixas de transporte e os cães em coleiras. No caso de cães mais agressivos, a orientação é que os animais estejam com focinheira.

O prefeito Alessandro Rosa, destaca a importância da campanha e pede a colaboração e a participação de todos.

"É muito importante a participação de todos os munícipes. Os proprietários de cães e gatos devem levar o seu animal de estimação ao ponto mais próximo de sua residência para que ele seja imunizado contra a raiva animal", reforça o prefeito.

PONTOS DE ATENDIMENTO:

Horta Municipal / Praça Brasil / Praça São Benedito / UBS do Jardim Cruzado / PSF da Esfer / PSF do Jardim Mariana / PSF do Jardim Icaraí e PSF da Popular.

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO

A raiva é uma zoonose (doença transmitida pelos animais ao homem) de letalidade elevada, chegando a 100% nos animais que desenvolvem sintomas da doença.

Por este motivo, apesar da redução dos casos de raiva canina e felina no país, ainda é extremamente necessário vacinar os animais de companhia.

A zoonose ainda não foi erradicada no Brasil, de acordo com a Secretária de Vigilância em Saúde (SVS).

Cães e os gatos, em especial os que habitam em áreas rurais e que vivem em residências próximas a estes locais estão mais propensos a contatos com morcegos e canídeos silvestres, por isso, os proprietários devem estar atentos à vacinação anual. A prevenção ainda é a melhor forma de proteger o animal e o homem.

CONTÁGIO E SINTOMAS

A transmissão da raiva ocorre, principalmente, por meio da mordida de um animal infectado com o vírus e que esteja eliminando-o pela saliva. Há duas formas de raiva canina: a furiosa, que se caracteriza por inquietação, tendência ao ataque, anorexia pela dificuldade de deglutição e latido bitonal, e a forma muda, com inquietação, ausência de ataque e tendência a se esconder.

Nas áreas rurais, além de cachorros e gatos, bovinos, equinos, suínos, caprinos e ovinos também podem ser acometidos pela doença.

No Brasil, cães e gatos são importantes na transmissão da raiva para o homem, principalmente devido à sua proximidade com as pessoas.

Os animais podem se infectar após serem mordidos por um cão raivoso (mais comum no caso dos cães) ou por hábitos de caça, que acabam fazendo com que os gatos se contaminem ao capturarem morcegos.

Depois do contato com outro animal raivoso, o bicho pode levar de alguns dias até meses para desenvolver os sintomas.

Após seu aparecimento, a doença costuma evoluir de forma rápida, variando de um a 11 dias, e o animal morre por paralisia respiratória.

O compromisso com a vacinação do animal de companhia contra esta doença é essencial para garantir a proteção contra a enfermidade tanto em animais, quanto em humanos.

A consulta periódica a um médico veterinário auxilia na prevenção de outros tipos de doenças, tão perigosas quanto à raiva.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias