Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Região

Acusado de planejar morte de noivo dias antes do casamento é preso em clínica de recuperação

28 Jun 2016 - 09h46

Apontado pela polícia como o homem responsável por planejar o assassinato de José Euclides da Silva, de 35 anos, em 2 de novembro do ano passado, um lavador de carros condenado por tráfico de drogas de 34 anos, foi preso nesta segunda-feira, escondido em uma clínica de recuperação para usuários na cidade de Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo. Ele não reagiu. A vítima trabalhava na área de manutenção de um hospital em Araraquara e, nas horas vagas, fazia 'bicos' de pintor. Ele foi morto 45 dias antes do seu casamento.

O crime que chocou a cidade foi no final do ano passado na Rua Maestro José Tescari, na Vila Xavier. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) apurou que, na época, com ciúmes de Silva que estava com um relacionamento sério e iria se casar, a ex-mulher dele, uma operadora de caixa de um supermercado, de 37 anos, perguntou ao traficante de 35 anos se ele conhecia alguém capaz de matar o pintor. Eles negociaram a morte por R$ 1 mil.

Cena do crime: moto ficou caída depois que José foi baleado na emboscada. Foto: Jornal Tribuna Impressa

O traficante, então, contratou um colega de 22 anos que aceitou o serviço. Armado, eles montaram uma emboscada. A mulher ligou para o ex-marido marcando para ele pagar a pensão alimentícia. Quando ele apareceu de moto foi baleado três vezes no peito. No dia do crime, o traficante, preso hoje, chegou a ser qualificado pela polícia como testemunha do crime mentindo ter visto um homem de boné disparar e fugir de bicicleta.

Para o delegado Fernando Bravo, da DIG, não existem dúvidas da participação do trio. A ex-mulher encomendou, o traficante planejou e o colega executou o homicídio. Dos três, somente o traficante, que está condenado a dez anos de prisão em regime fechado, estava foragido. "Recebemos uma informação de que ele estaria nessa clínica e sendo acobertado pela família. Confirmamos, pedimos apoio aos colegas de Ribeirão Pires que o prenderam. Ele está indiciado e será levado a júri", diz Bravo.

José Euclides da Silva foi morto pouco antes do casamento.

A vítima desse plano maquiavélico, José Euclides da Silva estava noivo e com casamento marcado. Ele já morava junto há um período com a futura esposa e estava feliz com a proximidade da data da cerimônia que aconteceria no dia 17 de dezembro do ano passado, ou seja, cerca de 40 dias antes do crime. Natural de Américo Brasiliense, ele tinha cinco filhos, não fumava, não bebia e era uma pessoa de bem, considerado um 'homem de família'.

Cláudio Dias (araraquaraja.com)

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias