sábado, 25 de maio de 2024
Esportes

Preparação física, uma das armas da Águia

Equipe ‘voa’ no Paulista da Série B e um dos responsáveis é o preparador físico Willian Basso

17 Jul 2015 - 09h07
Willian durante as atividades: preparação física é um dos pontos altos do time na Série B. Foto: Marcos Escrivani - Willian durante as atividades: preparação física é um dos pontos altos do time na Série B. Foto: Marcos Escrivani -

O São Carlos tem uma campanha irrepreensível na Série B do Campeonato Paulista. Líder do grupo 2, está com 27 pontos ganhos, está próximo da classificação. Neste domingo, 19, mais um passo pode ser dado, quando recebe a visita do Porto Feliz, a partir das 10h no estádio municipal Professor Luís Augusto de Oliveira.

Se o clube realiza uma das melhores campanhas em campeonatos oficiais, com os atletas em grande forma física, um dos responsáveis é o preparador físico Willian Basso, 30 anos, há um ano e meio na Águia. Com o auxiliar Leonardo Oichenaz, trabalha lado a lado com o técnico Rafael Guanaes no sentido de preparar os atletas da melhor forma possível para o campeonato, considerado um dos mais desgastantes da temporada.

Para que o São Carlos cumpra seus compromissos e chegue aos resultados positivos, Willian garante que a união tem sido fundamental para que os resultados sejam produtivos na preparação física dos atletas, durante as atividades que são realizadas durante a semana e que antecedem os compromissos do campeonato.

ENTREVISTA - Ao São Carlos Agora, Willian concedeu uma entrevista exclusiva onde relatou o trabalho que é feito com os atletas. Principalmente durante o inverno, quando a possibilidade de lesão nos atleta aumenta consideravelmente.

Hoje, somente Daisson (incômodo muscular) e Mariano (luxação no ombro) não treinam. O restante do grupo está à disposição de Guanaes para encarar o Porto Feliz.

SÃO CARLOS AGORA - Willian, como você avalia hoje o trabalho na preparação física dos atletas?

WILLIAN BASSO - Eu, ao lado do técnico Rafael Guanaes trabalhamos muito de forma sistêmica, agradando o físico, técnico e tático. Isso não quer dizer que não fazemos treinos físicos sem bola. As sessões de treino e isso foram mais na pré-temporada que mencionei sem bola. O fato de querermos muito ter a bola faz com que temos um gasto menor nos jogos, principalmente no segundo tempo onde a tendência é uma queda de 10% do rendimento em relação ao primeiro tempo. Esse desgaste natural pode variar também devido a temperatura, clima.

SCA - Eles manterão o mesmo rendimento até as finais, caso o São Carlos se classifique?

WILLIAN - O horário das 10h é um horário complicado de jogar, mas toda comissão técnica sempre avalia esses dados jogo a jogo.

SCA - Na segunda fase, cada jogo é uma decisão, como vai preparar os atletas para os 10 jogos que valem o acesso?

WILLIAN - Todo jogo é uma decisão e ele é construído durante a semana. Nos treinamentos, foco, concentração, etc.

SCA - No inverno, a possibilidade do atleta se lesionar com mais facilidade?

WILLIAN - Há uma probabilidade maior sim, devido as temperaturas menores, mas estamos atento a todos os aspectos. Os treinos são quase na sua totalidade com a bola. Exceto alguns exercícios funcionais. E outras atividades que realizo sem a bola.

SCA - Nesta época do ano, quais os cuidados que o preparador físico tem que ter?

WILLIAN - Realizamos com grande frequência um trabalho preventivo para prevenir as lesões. Mas não somente eu, mas sim uma equipe multidisciplinar (Dr. Fontana - médico, Natan - Fisioterapeuta, Luisão - massagista) que envolvidos nesse trabalho preventivo. O Rafa (Guanaes) também fica muito atento a isso.

SCA - Hoje, quantos atletas estão lesionados no time?

WILLIAN - Temos hoje no departamento médico somente dois atletas. O Daisson que tem um incômodo muscular e o Mariano com uma luxação no cotovelo que sofreu quando foi comemorar o gol feito diante do Elosport.

Leia Também

Últimas Notícias