segunda, 26 de fevereiro de 2024
Esportes

Natação alimenta sonho de adolescente são-carlense: vencer como atleta e ajudar a família

Wislley Campos, 12 anos, chegou até ser induzido a ingressar no mau caminho, mas apostou em um futuro digno e de vida honesta

12 Mai 2017 - 19h13
Foto: Marcos Escrivani - Foto: Marcos Escrivani -

"Não nego que tive amigos que tentaram me passar más influências para entrar na vida deles. Mas não quis, pois tenho futuro e aposto nele. Vou me empenhar para ser um nadador e estudar para ter uma profissão. Quero ser atleta e ajudar minha família".

Uma frase de efeito, de uma pessoa que pode ser considerada madura e já vivida. Mas ela veio de um garoto de 12 anos. Mais exatamente Wislley Albertino Orlando Praxede Campos, que mora com a mãe, Maína Praxede Jacinto, no Jardim Cruzeiro do Sul e estuda na Escola Estadual Jesuino de Arruda.

De origem humilde, passou a integrar a escola de natação da Aquário Fitness, onde ganhou uma bolsa e pratica a atividade esportiva gratuita, inicialmente, duas vezes por semana. "Antes queria ser jogador de futebol, mas senti que meu negócio é nadar", afirmou. "Mas não pretendo parar de estudar. Quero ser um Engenheiro Civil".

CONTATO COM A ÁGUA

Além de frequentar as aulas no Jesuino de Arruda, Wislley praticava a natação nas aulas de recreação da Emei Otávio Moura, no Cruzeiro do Sul, quando chamou a atenção do seu professor Jamaica. "Ele disse que eu nadava bem".

Desde então, com a ajuda do professor, tentou vaga em clubes e escolas de natação de São Carlos. "Mas minha família é bem humilde e nem internet temos em casa. Então era difícil para a gente. Foi quando o professor Jamaica me ajudou e me indicou para o professor Mitcho. Fiz um teste e fui aprovado", disse, com o olhar emocionado.

Agora Wislley corre atrás do tempo perdido. Até então sabia somente o nado crawl, que chamou a atenção de Jamaica. Agora, sob a responsabilidade do professor Renan Néo Monteiro já aprendeu o nado costa e peito. O próximo desafio é o nado borboleta.

SEM CUSTOS

Wislley, a cada resposta, afirma ser humilde e sua família passar por necessidades. "Mas sempre procuramos ajudar o próximo como a gente pode".

Para que pudesse participar das aulas e não ter nenhum tipo de despesa, o professor Jamaica conseguiu os passes, enquanto que o técnico Mitcho Bianchi, em parceria com a Cozinha Itália, garante a alimentação do candidato a atleta.

"Quero agradecer ao professor Jamaica e ao Rossano Italiano, proprietário do restaurante que tem dado apoio para que Wislley possa praticar a atividade que tanto gosta", disse Mitcho.

DE OLHO NO FUTURO

Emocionado constantemente durante a entrevista, Wislley foca o futuro. "Quero ser atleta, estudar e conquistar um diploma. É uma oportunidade única que surgiu e sei que é difícil isso acontecer. Tem pessoas que têm esta chance e não aproveita. Mas eu vou dar tudo de mim. Quero agarrar esta oportunidade com unhas e dentes", disse.

Na oportunidade, não esqueceu os responsáveis por tal chance. "Agradecer ao professor Jamaica e ao professor Mitcho é pouco. Mas hoje quero dizer obrigado por tudo. Vou retribuir com dedicação e empenho. Não falto aos treinos e vou dar o sangue para vencer. Por mim, por eles e por minha família. Eu tive a graça de Deus de ter esta chance e não vou deixar ela passar", disse.

Por sua vez, o técnico Mitcho Bianchi não descarta a possibilidade de Wislley integrar a equipe competitiva da LCN/Aquário Fitness e afirmou que a bolsa ganha pelo adolescente, foi por mérito.

"A Liga Central de Natação é um projeto social antes de mais nada e tem 25 bolsas. O Wislley teve esta chance e é proveniente de uma família carente e procuramos dar suporte quanto a alimentação e transporte. Agora estamos trabalhando sua parte física e técnica. Com o tempo vamos avaliar as suas reais possibilidades. Dom para a natação ele tem", disse o treinador.

Leia Também

Últimas Notícias