Menu
quarta, 08 de abril de 2020
Adrenalina e muita prudência

Destemido, são-carlense de 13 anos desafia águas “nervosas”

17 Fev 2020 - 07h07Por Marcos Escrivani
São-carlense mostra técnica e perícia em águas agitadas: sonho olímpico - Crédito: DivulgaçãoSão-carlense mostra técnica e perícia em águas agitadas: sonho olímpico - Crédito: Divulgação

O que levaria um garotinho de apenas 13 anos a se apaixonar por uma modalidade esportiva que proporciona muita adrenalina, é perigosa, individualista, mas proporciona momentos prazerosos a quem pratica?

A pergunta deve ser feita para João Vicentim da Silva (Joãozinho) que adotou o canoismo como o seu esporte predileto. Exímio nadador nos estilos crawl, peito, costas e borboleta é um adepto ao meio aquático e praticamente todos os finais de semana, ao lado do pai (Fábio João) e da irmã (Ana Caroline, 16 anos), desafia águas “nervosas” em rios de várias cidades do interior paulista.

O “caso de amor” de Joãozinho com a água começou cedo. Com 7 anos já remava em bar aberto no litoral paulista. Posteriormente passou a descer acompanhado do pai em botes em águas agitadas. Há dois anos e meio iniciou a prática do canoismo e treinos no Jacaré-Guaçu (Ribeirão Bonito), Jacaré-Pepira (Brotas), Ribeirão Feijão e Rio do Peixe (Socorro), Rio Selvagem (Extrema/MG) e em Campo Novo do Parecis/MT. Em todos, além do passeio, treinos e preparação para futuras competições.

JOÃOZINHO DETERMINADO

O início de Joãozinho no canoismo ocorreu após ganhar um caiaque usado de José Rubens Rubinho Alves. Reformou a embarcação e desde então se apaixonou por águas “nervosas”.

“É muita adrenalina quando a gente entra em uma corredeira. O medo é grande, mas a vontade é maior”, salientou. Garantiu ainda que se sente um ser humano privilegiado, pois tem a oportunidade ver paisagens diferentes enquanto pratica a modalidade esportiva. “Várias espécies de plantas nas margens, pássaros exóticos, animais nativos. Um pouco da criação de Deus”, afirmou.

JOÃOZINHO PRUDENTE

Durante os treinos, Joãozinho aperfeiçoa sua técnica durante três horas e desce o rio por duas ou três vezes em extensões que variam de 25 a 200 metros. “Sensação maravilhosa”, resumiu.

Durante as atividades nas águas agitadas, o pequeno são-carlense tem ciência dos perigos que a natureza reserva. “Eu sei que é arriscado e meu caiaque já virou algumas vezes. Tem ainda ‘surpresas’ embaixo d’água, como pedras, além de ficarmos presos. Concordo com os riscos são consideráveis, mas nos treinos, vamos sempre em grupo. Descemos de 3 a 7 pessoas e um cuidando do outro. É uma interação entre a gente. Um trabalho que traz mais união e estamos sempre atentos”, disse Joãozinho, salientando ainda que fica um praticante com um cabo resgate fora da água para dar um suporte extra. “Tudo é feito com muita prudência. A gente desafia águas revoltas, mas sempre com muito respeito, determinação e foco. Além de muita concentração”, assegurou.

JOÃOZINHO SONHADOR

Em anos anteriores, Joãozinho praticou o canoismo para adquirir experiência, por lazer e por paixão. Visitou rios mineiro e norte-mato-grossense. Mas agora quer ir mais além e foca eventos competitivos. “Acredito que estou pronto para competir e representar minha cidade em competições de canoismo”, disse.

JOÃOZINHO DEBUTANTE

O ‘debut’ do canoísta será nos dias 13, 14 e 15 de março, quando participa de um evento em Extrema/MG e irá descer o Rio Selvagem valendo premiação. Irá competir na categoria júnior e garante que pode surpreender.

“Sei que terei adversários com até 16 anos, mas acredito que possa surpreender. Pelo menos ficar entre os três primeiros”. Indagado sobre tanto otimismo, não pensou duas vezes. “Treinei para isso. E acredito no meu potencial”.

JOÃOZINHO OLÍMPICO

Quando emplacar os seus 17 anos, o são-carlense disse que irá se empenhar ainda mais na modalidade esportiva. “Sou otimista, tenho minhas ambições e meus sonhos. Além de metas. Quero me tornar um dos melhores canoístas não só da região, mas do Estado e quem sabe, do Brasil”.

Em nova indagação sobre tantas metas a serem cumpridas, nova resposta imediata. “Nos Jogos Olímpicos tem esta modalidade esportiva. Também é uma das minhas metas”.

JOÃOZINHO CIDADÃO

Por fim, ao ser questionado sobre o que o canoismo agrega no seu dia a dia, respondeu que a modalidade esportiva mudasse até o seu jeito de ser. “Fez com que eu buscasse sempre a qualidade de vida, melhorasse meu condicionamento físico, ter mais determinação e disciplina. Além de saber respeitar meus limites e, principalmente, a mãe natureza”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias