quinta, 11 de agosto de 2022
Foi humilde...

“Defesa difícil é a sensação de marcar um gol”, admite Rodrigo Jardim

Goleiro da pequena Águia foi o nome do jogo no empate em 0 a 0 contra o América Mineiro, pela Copinha

08 Jan 2022 - 13h55Por Marcos Escrivani
Rodrigo agradece defesas difíceis no jogo contra o América: garantiu o empate - Crédito: Brendow Felipe/São Carlos FCRodrigo agradece defesas difíceis no jogo contra o América: garantiu o empate - Crédito: Brendow Felipe/São Carlos FC

Ser o “cara do jogo”, garantir a conquista de um resultado, chamar a atenção na mídia e mostrar que tem diferenciais técnicos, são ingredientes que podem “subir” na cabeça de um atleta e fazer com que ele torne uma pessoa nada amistosa.

Entretanto, após o empate em 0 a 0 contra o América Mineiro na noite de quinta-feira, 6, e garantir o resultado, o goleiro Rodrigo Jardim, do São Carlos, manteve a humildade. A partida realizada no estádio municipal Professor Luís Augusto de Oliveira, foi válida pela segunda rodada do grupo 11.

Aos 29 minutos do segundo tempo ele fez duas defesas milagrosas. Na primeira, a queima roupa, espalmou e a bola caiu no pé de um atacante que mineiro que chutou em seguida. Mas o defensor da pequena Águia, de mão trocada fez uma segunda defesa ainda mais difícil, ganhando a atenção de torcedores e da mídia.

Em entrevista ao São Carlos Agora, Rodrigo manteve a serenidade e simplicidade. Porém disse que defesas assim dá a sensação para o goleiro, de um gol marcado. Detalhadamente, explicou o momento do minuto 29.

“Aquele lance se tornou muito difícil por diversas questões. Uma delas é o momento do jogo, que estava 0 a 0 e o América começou a vir para cima por precisar da vitória. A proximidade também dificulta, pois quando a bola sobra no pé do atacante eu só reagi na bola e foi muito rápido, não deu tempo de ver quem era e fiz a primeira defesa. Tecnicamente falando, nós goleiros, trabalhamos muito cair e levantar rápido. Eu, Júlio, Rafael, Fábio e o treinador Victor fazemos muito esse trabalho e consegui levar isso para o campo. A segunda também foi muito complicada. O jogador estava ainda mais perto de mim e consegui fazer a defesa de mão trocada.

Sem dúvida, para mim, meus companheiros e torcida, foi a sensação de um gol. O próprio narrador colocou a emoção, já que não narrou um gol. Uma defesa difícil, naquele momento do jogo, sempre é um gol”, comemorou.

FALCON

Domingo, 9, o São Carlos encerra a participação na fase de classificação da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Às 17h, encara o Falcon/SE e um empate garante a classificação. Já a vitória, deixa o São Carlos como líder (7 pontos) e permanece em São Carlos na segunda fase.

Rodrigo adiantou que o adversário é forte fisicamente e tem um jogo bem técnico. Porém a meta é buscar a vitória e garantir a primeira colocação.

“O Falcon é um time muito forte fisicamente e, por precisar do resultado, acredito que eles vão tentar impor essa força, mas nosso grupo está muito preparado para esse jogo fisicamente, taticamente, tecnicamente e na parte mental também. Vai ser uma partida difícil, assim como foi contra o América, de duelos individuais e quem estiver com mais vontade e disposição para pagar o preço da vitória vai sair com o resultado no domingo. Nosso grupo está muito confiante na vitória e classificação em primeiro lugar, que é o nosso maior objetivo agora”, disse.

Leia Também

Últimas Notícias