sábado, 02 de março de 2024
Esportes

A3: Mesmo à distância, pai “empurra” Mauro Víctor

Revelado pelo São Carlos na Copinha, meia tem sido um destaques na A3 e recebe carinho do Mauro Gaiola

20 Fev 2017 - 06h00
Foto: Marcos Escrivani - Foto: Marcos Escrivani -

Natural de Jundiaí, mas criado em Itatiba. Há dois anos e meio em São Carlos, o meia Mauro Victor, de 19 anos, é a grata revelação da temporada. Agora jogador profissional, fez três apresentações, marcou um gol (na vitória frente o Desportivo Brasil por 1 a 0) e tem um admirador bem especial: seu pai, o Mauro Gaiola, que reside em Itatiba e torcedor fanático do SC Corinthians Paulista.

Mauro ganhou a oportunidade do técnico Luiz Muller que viu atletas experientes e contratados, lesionarem-se. "Deus ajudou e me abriu as portas. Agarrei a oportunidade e não irei largá-la tão cedo. Meu pai vibrou quando soube que teria chances no time titular. Ele é meu maior incentivador e me disse que é São Carlos roxo".

DO BANCO A TITULARIDADE

A história de Mauro Victor no São Carlos é curiosa. Nos dois anos que defendeu o clube no campeonato paulista sub20 e na Copinha era apenas opção dos técnicos. "Nunca cheguei a ser titular".

Mas novas páginas em sua começaram a ser reescritas. A princípio na Copinha deste ano quando saia do banco e dava outra vida para a equipe. Luiz Muller viu, gostou e chamou o atleta para a equipe profissional.

Com seu primeiro contrato profissional, foi inscrito na A3 e sua primeira chance na segunda partida (derrota para o Inter no Luisão). "Pela necessidade que surgiu, foi uma oportunidade para o Mauro, que tem uma marcação forte e sabe sair para o jogo. Se posiciona bem e não sente pressão. É um atleta tranquilo em campo. Pretendo dar sequência e não quero mudar. Hoje posso dizer que não achei as peças ideais para o sistema ofensivo. A parte defensiva está encaixada".

"EU CHUTEI PARA MARCAR"

Em alta no São Carlos, Mauro Victor abriu espaço para se explicar quanto ao gol feito contra o Desportivo Brasil, aos 12 minutos do segundo tempo. Ele foi o encarregado de cobrar uma falta pela ponta esquerda. Ao chutar em direção ao gol, nenhum atleta tocou na bola e o goleiro não conseguiu a defesa. Indagado se tentou cruzar para um possível cabeceio de um colega de equipe, se esquivou. "Não! Eu chutei para marcar. Nada de cruzamento".

Após o primeiro gol como profissional, o meia afirmou que pretende ir além com a camisa da Águia. "Estou muito feliz pela oportunidade e agradeço ao professor (técnico Luiz Muller) e aos meus companheiros. Todos me dão muita força e muitos apelidos. Mas faz parte do futebol. Quero me firmar ainda mais e me manter na titularidade", afirmou. "O professor me dá muita confiança e me ensina como me comportar durante as partidas. Tenho muito a evoluir, principalmente nos passes, posicionamento, marcação e criação. Pretendo aproveitar cada minuto e enriquecer o meu futebol".

SEGUNDA FASE

Sobre o poderio técnico do São Carlos, Mauro Victor mostra otimismo. "Temos um grupo forte e qualificado. Vamos conseguir esta vaga e depois brigar pelo acesso", resumiu. 

Leia Também

Últimas Notícias