Menu
terça, 11 de maio de 2021
Colunistas

Um planeta ultra conectado, por Prof. Dr. Alfredo Colenci Neto

27 Abr 2021 - 15h06Por Prof. Dr. Alfredo Colenci Neto
Um planeta ultra conectado, por Prof. Dr. Alfredo Colenci Neto -

Prof. Dr. Alfredo Colenci Neto

Agente Regional de Inovação/CEETEPS

Docente Fatec São Carlos

Especialista em Inovação e Tecnologia

Vivemos em um planeta cada vez mais conectado. Ter acesso a rede mundial de computadores é quase tão vital quanto respirar, sendo inclusive difícil encontrar alguém sem acesso a um dispositivo móvel atualmente. Percebemos nos últimos tempos, um avanço rápido da tecnologia que tem popularizado, inclusive a mobilidade. Diante deste cenário, desde um relógio ou um fogão, até carros, máquinas, computadores, smartphones, pessoas e animais, qualquer destes itens pode, teoricamente, entrar para um mundo mais conectado.

Esse fenômeno é chamado de Internet das Coisas, do inglês Internet ofThings (IoT), no qual dispositivos físicos, tratados como“coisas”, incluindo pessoas e animais se conectam uns aos outros através da internet. Para se ter uma ideia, hoje no mundo, de acordo com a consultoria Gartner,já são mais de 20 bilhões de coisas conectadas. Em um mundo de 7 bilhões de pessoas, temos aproximadamente três vezes mais objetos conectados que habitantes no planeta. Basta olharmos ao nosso redor para percebermosessa evolução. Encontramos desde televisão, smartphones, computadores, relógios, geladeiras, carros, tênis, câmeras de segurança, entre diversos outros objetos que de alguma forma se interagem. Se observarmos o mercado de wearables, os vestíveis tecnológicos, ou seja, todo e qualquer dispositivo tecnológico que possa ser usado como acessório ou que podemos vestir,somente em 2020 foram comercializados 447 milhões de unidades no mundo, número que ratifica a tendência da sociedade em estar conectada. 

A Tecnologia 5G, com previsão de iniciar a operação no Brasil ainda em 2021 irá permitir que mais dados sejam transmitidos em uma velocidade maior que a atual e trará ainda mais impulso nessa integração das coisas. A cada dia esses objetos terão uma influência ainda maior no nosso cotidiano. Não é difícil imaginar que, diante desse crescimento e popularização, em pouco tempo muitas aplicações que imaginamos estar longe do nosso alcance e que pareciam filme de ficção científica estará em nossas casas,que serão totalmente conectadas, nas máquinas industriais, nos equipamentos médico hospitalares, nas lojas e supermercados de forma massiva.

Vale destacar que todos os setores econômicos e sociais têm sido impactadospor essa questão. Exemplos reais de projetos no varejo onde consumidores são identificados por reconhecimento facial, podem provar roupas virtualmente através de trocadores com realidade aumentada, recebem ofertas de produtos personalizados pelo seu perfil de consumo, pagam sem enfrentar filas, evidenciam uma nova experiência de consumo. No agronegócio com irrigadores inteligentes, identificação animal com chips, sistemas de detecção de pragas por imagens em drones, máquinas agrícolas guiadaspor georreferenciamento já são realidade a anos, assim como na medicina com o uso em larga escala de sensores vitais no corpo humano,em roupas conectadas e a chamada bioimpressão que trata da impressão de partes do corpo humano em impressoras 3D são exemplos dessa expansão tecnológica.

Para o conceito de Internet das coisas quando aplicada no âmbito das cidades dá-se o nome de Cidades Inteligentes. Imagine nossa São Carlos com sensores avisando em tempo real os motoristas dos locais onde existem vagas para estacionar, semáforos inteligentes se auto programando conforme o trafego do local evitando que você espere no sinal vermelho mesmo quando não estiver nenhum outro carro ou pedestre se aproximando, Os postes de iluminação sendo gerenciadas remotamente pela concessionária, câmeras de segurança identificando suspeitos nas vias públicas, lixeiras avisando a empresa de coleta quando estiver cheia e necessita ser recolhida. Esses são projetos reais que em pouco tempo estarão a nosso dispor.

Percebemos então que, tanto na nossa vida pessoal como no mundo dos negócios, a IoT terá uma influência significativa e nos remete a consequências positivas e, tambéma desafios para essa adaptação. Certamente a questão da empregabilidade e o futuro das profissões está em debate e alerta a sociedade para novos modelos de trabalho e maneiras de prepara a população a essas ondas tecnológicas. Tema este em pauta anualmente no fórum econômico mundial.

Por outro lado, entre os benefícios gerados por essa conectividade global, destaca-se que as coisas estão promovendo uma série de informações que antes não existiam ou demandavam um esforço enorme para se obter.Os dados estão sendo hoje capturados em um volume gigantesco. Eles revelam tudo, desde padrões decomportamentos, os fluxos de trabalho, condições de pacientes, infraestrutura de máquinas e equipamentos em tempo real, rastreabilidade das condições de cada item em uma cadeia de suprimento, e por aí vai.

Constatamos então que vivenciamos uma época de acelerada transformação digital e irreversível crescimento. Diante de tantas mudanças, pessoas e profissionais terão que acompanhá-las e se adaptar ao ambiente da melhor forma possível para tirar proveito de seus benefícios. Torna-se então imprescindível desenvolver as necessárias competências digitais para compreender esse novo planeta.

           

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias