Menu
sexta, 06 de dezembro de 2019
Qualidade de Vida

Doença autoimune

15 Ago 2019 - 07h00Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Doença autoimune -

Uma doença autoimune é uma condição que ocorre quando o sistema imunológico ataca e destrói tecidos saudáveis do corpo por engano, ou seja, é um mau funcionamento do sistema imunológico, levando o corpo a atacar os seus próprios tecidos.

O sistema imunológico tem um papel muito importante no nosso organismo, o de combater invasores que podem causar infecções e doenças, como vírus e bactérias. Quando uma pessoa tem uma doença autoimune, no entanto, ocorre uma falha nesse mecanismo de defesa, que passa a atacar indevidamente células saudáveis do corpo.

O sistema imunológico protege o organismo das substâncias estranhas ou perigosas, estas substâncias incluem bactérias, vírus, parasitas (como vermes), algumas células cancerígenas e até órgãos e tecidos transplantados. Essas substâncias possuem molécula que o sistema imunológico é capaz de identificar e que podem estimular uma resposta do sistema imunológico, essas moléculas são chamadas de antígenos.

 

Os glóbulos brancos (leucócitos) produzidos na medula óssea e encontrados no sangue ajudam a proteger o corpo contra substâncias invasoras e nocivas, conhecidas como antígenos. Os leucócitos são parte fundamental do sistema imunológico, cuja principal função é produzir anticorpos que mantenham o corpo humano protegido da ação desses antígenos, destruindo-os.

Os antígenos podem estar contidos dentro de células ou na superfície celular (como nas bactérias ou células cancerígenas) ou fazer parte de um vírus, antígenos como o pólen ou as moléculas de alimentos podem existir de forma autônoma. As células nos próprios tecidos da pessoa também possuem antígenos, o sistema imunológico reage apenas aos antígenos de substâncias estranhas ou perigosas e não aos antígenos dos próprios tecidos da pessoa, às vezes o sistema imunológico funciona de forma incorreta, considerando os próprios tecidos do organismo como elementos estranhos e produzindo anticorpos anômalos, ou células imunológicas que vigiam e atacam determinadas células ou tecidos do organismo, resposta essa denominada reação autoimune resultando em inflamação e dano tecidual, estes efeitos podem constituir uma doença autoimune, mas muitas pessoas produzem quantidades tão pequenas de auto-anticorpos que não chegam a desenvolver uma doença autoimune.

 

Existem mais de 80 tipos diferentes de doenças autoimunes, entre elas as mais conhecidas são: Lúpus, Vitiligo, Diabetes do tipo 1, Esclerose múltipla, Doença de Graves, Hepatite autoimune, Doença de Chron, Psoríase, Tireóide de Hashimoto, Doença celíaca, Artrite reativa, Anemia perniciosa, vasculite, outras doenças que se acredita serem autoimunes incluem a doença de Addisonpolimiositesíndrome de Sjögren,esclerose sistêmica progressiva, muitos casos de glomerulonefrite (inflamação dos rins) e alguns casos de infertilidade.

As causas das doenças autoimunes ainda são desconhecidas. A teoria mais aceita é que fatores externos estejam envolvidos na ocorrência dessa condição, principalmente quando há predisposição genética e o uso de alguns medicamentos, as reações autoimunes podem ser desencadeadas de várias formas.

Uma substância normal do organismo pode sofrer uma alteração provocada por um vírus, um fármaco, a luz solar ou a radiação, por exemplo. A substância alterada pode parecer estranha ao sistema imunológico, exemplo, um vírus pode infetar células do organismo e, por conseguinte, alterá-las. As células infectadas pelo vírus estimulam o sistema imunológico a atacar.

Uma substância estranha semelhante a uma substância natural do organismo pode penetrar no corpo, o sistema imunológico pode atacar acidentalmente a substância semelhante do organismo ao mesmo tempo em que persegue a substância estranha, as bactérias que causam infecções na garganta têm um antígeno semelhante a um antígeno encontrado em células cardíacas humanas. O sistema imunológico raramente ataca o coração da pessoa após uma infecção na garganta (esta reação faz parte da febre reumática).

As células que controlam a produção de anticorpos, por exemplo, as células B (um tipo de glóbulo branco), podem funcionar de forma incorreta e produzir anticorpos anômalos que atacam algumas das células do corpo.

Uma substância do organismo que normalmente se encontra limitada a uma área específica é liberada na corrente sanguínea. Por exemplo, um soco no olho pode levar o líquido do globo ocular a passar para o fluxo sanguíneo, esse líquido estimula o sistema imunológico a identificar o olho como estranho e a atacá-lo.

Não se sabe por que algo desencadeia uma reação ou doença autoimune em uma pessoa e não em outra, às vezes há causas hereditárias, algumas pessoas têm genes que as tornam um pouco mais suscetíveis a desenvolver uma doença autoimune esta suscetibilidade ligeiramente aumentada para desenvolver uma doença autoimune é herdada, e não a própria doença. Nas pessoas propensas a apresentar uma doença autoimune, um fator desencadeante, como uma infecção viral ou uma lesão tecidual, pode dar origem a doenças.

Muitas doenças autoimunes são mais freqüentes em mulheres do que em homens.

O médico iniciará o processo de diagnóstico por meio de um exame físico e de uma série de perguntas sobre seu histórico médico e de sua família, assim solicitará a realização de alguns exames que variam de doença para doença, dependendo da causa específica. Possíveis testes para o diagnóstico de uma doença autoimune incluem exames de anticorpos e um hemograma completo (exame de sangue).

Os sintomas variam segundo a doença e a parte do corpo afetada. Algumas doenças autoimunes afetam determinados tipos de tecidos em todo o corpo, como os vasos sanguíneos, a cartilagem ou a pele.

Existem outras doenças autoimunes que afetam um determinado órgão, qualquer órgão, incluindo os rins, os pulmões, o coração e o cérebro, pode ser afetado. A inflamação decorrente e a lesão nos tecidos podem causar dor, deformações nas articulações, fraqueza, icterícia, prurido, dificuldade respiratória, acúmulo de líquido (edema), delírio e até a morte.

Olá caros leitores, como tenho feito sobre alguns temas abordados, estou dividindo em duas partes os temas mais complexo para um melhor entendimento é o caso deste tema, desde já muito obrigado pela compreensão.

O autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista Crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias