Menu
domingo, 05 de dezembro de 2021
Saúde

Santa Casa de São Carlos participa do Dia Mundial da Sepse para alertar sobre a doença

12 Set 2018 - 07h20Por Redação
Santa Casa de São Carlos participa do Dia Mundial da Sepse para alertar sobre a doença - Crédito: Arquivo/SCA Crédito: Arquivo/SCA

A Santa Casa São Carlos participará da campanha que marca o Dia Mundial da Sepse e nesta quinta-feira, 13 de setembro, inúmeras ações de conscientização e ações para promover o protocolo de sepse serão realizadas no hospital e maternidade. A proposta promovida pela equipe do Serviço de Controle de Infeção Relacionada a Assistência em Saúde (SCIRAS) do hospital, em parceria com o ILAS (Instituto Latino-Americano de Sepse), trará orientações à população e também aos profissionais na busca de reconhecer a sepse, certificar o diagnóstico e promover ações no controle da doença.

A equipe do SCIRAS entregará panfletos explicativos em todos os setores do hospital na perspectiva de criar uma rede de informação sobre a sepse. O propósito da ação é divulgar o protocolo de sepse não só para a equipe assistencial, mas a toda a comunidade hospitalar, que inclui paciente, familiar e visitantes.

VOCÊ SABE O QUE É A SEPSE?

Antigamente, era conhecida como septicemia ou infecção generalizada. A sepse é uma inflamação generalizada do organismo contra uma infecção. A sepse pode levar à parada de funcionamento de um ou mais órgãos ou levar à morte, quando não descoberta e tratada rapidamente.

Estima-se que 400 mil novos casos são diagnosticados por ano e 240 mil pessoas morrem anualmente. No Mundo 5,3 milhões óbitos / ano.

Os dados ILAS mostram que a letalidade de pacientes provenientes do serviço de urgência em instituições públicas brasileiras é de 51.7%.

QUEM TEM MAIS RISCO DE ADQUIRIR SEPSE?

Crianças prematuras e abaixo de um ano e idosos acima de 65 anos.

Portadores de câncer, pacientes com AIDS ou que fazem uso de quimioterapia ou outros medicamentos que afetam as defesas do organismo contra infecções.

Pacientes com doenças crônicas como insuficiência cardíaca, insuficiência renal e diabetes.

USUÁRIOS DE ÁLCOOL E DROGAS.

Pacientes hospitalizados que utilizam antibióticos, tubos para medicação (cateteres) e tubos para coleta de urina (sondas).

Quais os tipos de infecção que podem evoluir para sepse?

Qualquer tipo de infecção, dentre as mais comuns são a pneumonia, infecções na barriga e infecções de urina.

COMO É O TRATAMENTO?

O principal tratamento da sepse é administrar antibióticos pela veia o mais rápido possível. Podem ser necessários oxigênio, líquidos na veia e medicamentos que aumentem a pressão arterial. A diálise pode ser necessária se os rins pararem de funcionar. Um aparelho de respiração artificial pode ser utilizado em caso de dificuldade respiratória grave.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias