Menu
quinta, 03 de dezembro de 2020
Reconhecimento

Nas comemorações dos 60 anos do laser, diretor do IFSC/USP São Carlos é homenageado pela Ablos

31 Out 2020 - 07h00Por Redação
Nas comemorações dos 60 anos do laser, diretor do IFSC/USP São Carlos é homenageado pela Ablos - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

O diretor do Instituto de Física da USP de São Carlos (IFSC/USP), professor Vanderlei S. Bagnato, foi agraciado no decurso deste mês de outubro com a “Medalha Theodor Maiman”, honraria atribuída pela Associação para Aplicações de Laser na Odontologia e na Saúde (Ablos), por ocasião do encontro anual da sociedade realizado no dia 17 do corrente mês, de forma virtual. Segundo a atual presidente da Ablos, Rosely Cordon, “No ano em que se comemora o 60º aniversário da invenção do laser, o professor Bagnato é um exemplo e estimulo para muitos cientistas, tanto na física quanto nas áreas da saúde”.

A medalha, que leva o nome do físico norte-americano Theodore H. Maiman (primeiro físico a construir um laser), será entregue presencialmente, em ocasião futura, a ser agendada pela ABLOS.

Imediatamente após a outorga da medalha, Vanderlei Bagnato proferiu a palestra de abertura do evento, intitulada “Novos desafios para o uso da luz no suporte da vida”, que versou sobre a importância das novas aplicações que estão sendo desenvolvidas pelo seu grupo de pesquisa, tanto no combate a doenças crônicas, quanto no combate a microrganismos resistentes aos antibióticos, principalmente em pneumonia.

Referindo-se ao prêmio, Bagnato afirmou que ele não é só seu, atendendo a que primeiro vem a USP e o IFSC, que têm promovido o desenvolvimento de ciências relevantes para a sociedade, de forma irrestrita. “Este prêmio também é de nossos alunos e colaboradores do Grupo de Óptica do IFSC/USP, sem os quais muito pouco teria sido feito e, finalmente, dos órgãos financiadores, como Fapesp, Finep, CNPq, Capes e BNDES, além das diversas empresas que acreditam em ciências como solução e financiam desenvolvimento de alto risco, através do programa Embrapii. “Não sou merecedor do prêmio, mas já que me deram, mesmo assim, deixem-me trabalhar mais para me tornar merecedor”, concluiu Bagnato.

Na verdade, a invenção do laser abriu diversas possibilidades de aplicação deste instrumento. Na ciência, o laser foi revolucionário e permitiu que o conhecimento básico dos fenômenos da natureza fosse desvendado de forma inimaginável. O uso do laser nas ciências permitiu um avanço nunca visto. Mas, não foi apenas as ciências básicas, como física e química, que se beneficiaram. As chamadas ciências da vida, como a biologia, medicina, odontologia, enfermagem e fisioterapia, dentre outras, foram absorvendo e fazendo uso do laser de tal forma, que hoje ele é um instrumento essencial para estas áreas. As técnicas de laser vão desde cirurgias precisas até terapêuticas inéditas, como a foto-biomodulação para cicatrização de feridas. Apesar de ser um instrumento fantástico, é preciso que cientistas trabalhem no entendimento de como a luz interage com células vivas, afim de promover diferentes aplicações para o tratamento de doenças. (Rui Sintra - Assessoria de Comunicação - IFSC/USP).

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias