Menu
quarta, 18 de setembro de 2019
Em São Carlos

FEM-CUT/SP aprova calendário e eixos da campanha salarial 2019

12 Jun 2019 - 07h10Por Redação
FEM-CUT/SP aprova calendário e eixos da campanha salarial 2019 - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Os metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo aprovaram em Plenária Estatutária da Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT/SP), realizada no sábado, 8, no Clube de Campo dos Metalúrgicos em São Carlos, as reivindicações da Campanha Salarial deste ano.

Com data-base em setembro, os eixos da campanha aprovados foram: reajuste salarial pelo INPC mais aumento real; pela manutenção e aplicação da CCT; por respeito às entidades sindicais; contra o fim das NR’s (Normas Regulamentadoras) e pela Redução da Jornada de Trabalho sem Redução de Salário.

A Plenária Estatutária reuniu cerca de 100 dirigentes dos 14 sindicatos metalúrgicos filiados à Federação no Estado.

O presidente da FEM, Luís Carlos da Silva Dias, o Luizão, destacou um dos eixos da campanha, por respeito às entidades sindicais. “O movimento sindical vem sofrendo graves ataques, se faz necessário avaliar que nossa Campanha Salarial pode se dar em um cenário de mudança total das regras sindicais, que estão instaladas hoje no Brasil. Desta forma, precisamos ficar atentos e mobilizados para qualquer resistência. Temos preocupações com a MP 873, porém se ela cair, pode surgir algo ainda pior, a proposta de reforma sindical que o governo quer implantar, sendo assim, seguimos na luta”, salientou Luizão.

A Diretora da Mulher da FEM-CUT, Ceres Lucena, lembrou que estamos passando por um momento de resistência. “Essa campanha salarial vai ser de muita luta, pois estamos passando por um momento de resistência contra a retirada de direitos, que já vem vindo com a reforma trabalhista e agora com a proposta da reforma da previdência que prejudica todos os trabalhadores, principalmente nós mulheres, precisamos seguir na luta por nenhum direito a menos”, ressaltou  Ceres.

MONTADORAS

As negociações das Campanhas Salariais com as montadoras têm sido conduzidas individualmente no ABC paulista, Taubaté, São Carlos, Itu e Sorocaba, com acordos individuais.

Durante a plenária foi encaminhado voltar a discutir a campanha salarial das montadoras pela FEM-CUT/SP.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e diretor da FEM-CUT/SP, Erick Silva, é fundamental ter Convenção Coletiva das Montadoras. “Na Campanha Salarial da FEM-CUT/SP, há anos atrás, as Convenções Coletivas das Montadoras eram referência nas negociações com os outros grupos. Desta forma, precisamos deixar de lado os acordos individuais. A tarefa agora é articular os sindicatos e pautar as montadoras, começando por São Carlos”, explica Erick Silva que ficou responsável pela tarefa no estado.

CALENDÁRIO DE ASSEMBLEIAS E ENTREGA DAS PAUTAS

Os sindicatos metalúrgicos farão, no período de 12 a 30 de junho, as assembleias nas portas das fábricas para aprovar as reivindicações da Campanha Salarial da Federação.

O objetivo é entregar as pautas de reivindicações para as bancadas patronais no dia 04 de julho.

ANÁLISE DE CONJUNTURA

A atividade teve também a participação do Secretário-Geral da CUT, João Cayres, que falou da atual conjuntura política e econômica no país, abordando os impactos da reforma da previdência de Bolsonaro, a importância da Greve geral no dia 14, e a realização dos Congressos da CUT Nacional e Estadual. “A Reforma da Previdência de Bolsonaro, tem o aprofundamento da Reforma Trabalhista, com a carteira de trabalho verde e amarela, ou seja, a carteira de trabalho sem direitos, que é um absurdo. Precisamos estar nas ruas no dia 14 de junho, e parar o país com a greve geral contra a Reforma da Previdência”, declarou João Cayres.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias