Menu
domingo, 27 de setembro de 2020
Questionamentos

E as aulas? Quando retornam? Diretora pedagógica responde

14 Ago 2020 - 13h15Por Redação São Carlos Agora
Educação: Rede Municipal possui 60 unidades escolares e aproximadamente 20 mil alunos com as entidades conveniadas com a Prefeitura - Crédito: Arquivo/SCAEducação: Rede Municipal possui 60 unidades escolares e aproximadamente 20 mil alunos com as entidades conveniadas com a Prefeitura - Crédito: Arquivo/SCA

As aulas terminam em janeiro e o início de um novo ano letivo está previsto para o mês seguinte, desde que sejam garantidas a segurança dos alunos.

Na manhã desta sexta-feira (14), o secretário de Educação, Nino Mengatti, anunciou que as aulas presenciais não serão retomadas em 2020.

O assunto tomou corpo nas redes sociais do São Carlos Agora, com muitas dúvidas dos pais. A diretora pedagógica, Cilmara Seneme Ruy, tentou esclarecer alguns questionamentos.

O primeiro deles: as aulas presenciais retornam em 2021, contudo as aulas virtuais seguem normalmente. “O planejamento educacional prossegue. As crianças da Educação Infantil vão continuar a receber as orientações pedagógicas e as vivências que os pais podem realizar com eles, de forma opcional”, esclareceu. Nesse segmento, a educação contempla os alunos de 0 a 5 anos, com 6.910 alunos. Já o ensino fundamental – a partir dos 6 anos –  são 9.342 alunos presentes na Rede e as atividades não presenciais prosseguem. “O ano letivo não terminou. É importante esclarecer. Ele termina no dia 12 de janeiro. Nesse período, nós vamos fortalecer todas as atividades não presenciais”, comentou.

“É muito importante a participação e a parceria dos pais nesse momento. Nós sabemos que os pais não substituem os professores. E o ambiente da casa não é o escolar, mas estamos vivendo num momento em que a opção é a preservação da integridade física das crianças e da família. Continuamos com as aulas virtuais e vamos fazer uma ampla divulgação”, comentou.

Ambiente virtual

Cilmara também avaliou as aulas virtuais oferecidas a parcela dos estudantes. “Acompanhamos periodicamente essa participação, com os profissionais e os alunos. Por enquanto, consideramos uma participação dentro da expectativa. É preciso melhorar, é claro, pois a nossa intenção é alcançar os 100%”.

Segundo a diretora pedagógica, a participação virtual oscila de 50% a 95%, dependendo da escola e, muitas vezes, da disponibilidade dos pais, que precisam conciliar as atividades de trabalho com a educação dos filhos. “A comunicação e interação com os professores é 100%. Agora, a participação semanal dos alunos varia conforme às adaptações da rotina dos pais”.

Quando começa o ano letivo 2021?

Apenas com a perspectiva de vacina, a Secretaria de Educação prefere não cravar uma data para o retorno das aulas presenciais. “A intenção é que 15, 16 de fevereiro comecem as aulas do ano letivo de 2021 com todos os protocolos que estamos planejando, como o ensino híbrido – o retorno das aulas presenciais concomitantemente com as aulas virtuais, em contraturno, para avançarmos no conteúdo. Constituímos um grupo de trabalho para pensarmos na adequação dos espaços conforme a especificidade do atendimento. E também a questão pedagógica, que não serão atingidas esse ano”.

0 a 5 anos

Sobre as crianças de 0 a 5 anos, Cilmara Seneme avalia com cautela o retorno sem o aval da ciência. “O calendário de retorno estabelecido para fevereiro vale para todos – para crianças de zero aos alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos). Sobre o retorno das crianças de 0 a 5 anos, precisamos de uma resposta da saúde e dos organismos de controle sanitário”, ponderou.

Sobre repetência, Cilmara diz que esse não é o momento de se debater o assunto, mas de pensar em adaptações pedagógicas para que os alunos não sejam prejudicados.

Nesse período, a distribuição do cartão alimentação tem sequência, sem alterações. Cada criança recebe R$ 50 mensais.

Matrículas

Quem está na Rede Municipal de Educação terá a rematrícula automática para 2021. Para o próximo ano letivo, a Central de Vagas da Prefeitura tem o pedido de 85 vagas para a Educação Infantil e 44 para o Ensino Fundamental. São alunos que vieram da rede particular. O único déficit registrado até agora é de 193 vagas para crianças de 0 a 3 anos. Até as próximas semanas, a Prefeitura prevê concluir a distribuição de 15,6 mil kits de materiais escolares a serem usados em casa e nas escolas. Os investimentos em uniformes escolares passam de R$ 2,6 milhões.

Os números da Educação

O município possui 60 unidades escolares, sendo 10 EMEBs (Escolas Municipais de Educação Básica), 01 EMEJA (Escola Municipal de Educação de Jovens e Adultos) e 49 CEMEIs (Centros Municipais de Educação Infantil).
Alunos de 0 a 5 anos (Educação Infantil): 6.910
Alunos a partir de 6 anos (ensino fundamental 1 ): 9.342
Alunos do 6º ao 9º ano: 818
Alunos na educação especial: 497
Alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA): 634
Por meio das entidades conveniadas com a Prefeitura, as chamadas creches filantrópicas, outras 1.120 crianças estavam sendo atendidas antes da pandemia.
Já no contraturno escolar, na chamada Recreação, 938 crianças estavam sendo atendidas em projetos como do CEMEAR (Centro Municipal de Extensão e Atividades Recreativas) do Jardim Gonzaga. Também estavam sendo transportados pelo município 1.168 alunos.
TOTAL: 20 mil (entre rede e filantrópicas atendidas)
Professores: 1.293
Agentes Educacionais: 85
Merendeiras: 208
equipe Gestora: 87
Auxiliares administrativos: 15
Terceirizados/limpeza: 186
Outras categorias: 20
Total de servidores: 1894
* 266 servidores tem mais de 60 anos
Após uma pesquisa interna realizada com os professores e pais de alunos da rede municipal de ensino 93% não se sente seguro no retorno de aulas presenciais.
O maior número de alunos da rede municipal de ensino está na educação infantil. O maior público está na faixa etária de 0 a 6 anos, são mais de 12 mil crianças (6.910 até 5 anos e 9.342 com 6 anos ou mais).
Contando professores, diretores, agentes educacionais, servidores administrativos das escolas, merendeiras, funcionários da limpeza, da segurança e do transporte, seja oficial do município, bem como das vans escolares, estamos falando de cerca de 50 mil pessoas envolvidas no processo educacional da rede.
Cartão Merenda – 15. 383 mil alunos cadastrados estão recebendo. O valor creditado mensalmente é de R$ 50,00 por aluno. O investimento de R$ 770 mil mensalmente. 849 alunos não se cadastraram.
Matrículas – Ainda não está definida a data para as matrículas para novos alunos. Município e Estado fazem no mesmo período, porém esse ano a data ainda está em aberto. Todos os alunos matriculados em 2020, automaticamente já estão rematriculados para 2021.
Solicitação Vagas - A Central de Vagas já registrou 85 pedidos para educação infantil e 44 para o ensino fundamental da rede particular para 2021.
Vagas - O déficit de vagas hoje na Rede Municipal de Ensino é de 193 vagas de 0 a 3 anos. De 5 a 6 anos não temos déficit. No ensino fundamental o déficit é de 11 vagas.
Uniformes - A Prefeitura adquiriu uniformes para toda a rede, porém em virtude da pandemia não chegaram a ser distribuídos para os alunos. Um investimento de R$ 2,6 milhões.
Kits Escolares – Foram adquiridos R$ 2 milhões em kits para 15.600 alunos da rede municipal de ensino. Somente falta entregar 7.500 da pré-escola que serão entregues nos próximos dias.
Os kits contendo todos os materiais que devem ser usados na escola e em casa para estudar, como cadernos, estojo, canetas, lápis coloridos, borrachas, apontador, réguas, além de livros didáticos.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias