Menu
domingo, 11 de abril de 2021
Saúde

Ambulatório de oftalmologia da santa casa corre o risco de ter mutirão cancelado em julho

29 Jun 2018 - 13h38Por Redação
Ambulatório de oftalmologia da santa casa corre o risco de ter mutirão cancelado em julho - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Na próxima semana deve acontecer uma reunião com representantes da Secretária de Saúde, do Ambulatório de Oftalmologia coordenado pelo médico Celso Davi Lopes e também da Provedoria da Santa Casa.

Essa reunião já era para ter ocorrido, mas não foi possível devido a agenda apertada do Secretário de Saúde Marcos Palermo.

Já houve uma reunião na secretaria de saúde na semana passada com a participação do secretário Marcos Palermo, da supervisora do ambulatório de oftalmologia da Santa Casa Chrislaine Barbosa e de Rosana Moreira do setor de regulação. Na pauta foram tratados assuntos referentes ao corte de verbas para o ambulatório, falta de colírios para os pacientes com glaucoma e o objetivo maior definir uma data para o próximo mutirão, além de saber a real situação desse serviço que já atendeu mais de 7 mil pessoas, a maioria com idade avançada e carentes.

Segundo o secretário de Saúde o corte de verbas de R$ 120 mil para R$ 46 mil é uma decisão da gestão municipal e não envolve o repasse de verba federal que continua com as mesmas regras e valores dos mutirões passados. Com esse valor a supervisora do ambulatório foi taxativa: “não podemos com essa verba nem ao menos fazer os exames e os acompanhamentos necessários quanto mais operar quase 120 pessoas como vinha ocorrendo anteriormente, número esse que muitas vezes chegou a 220 pacientes com problemas de catarata, pterígio, retina ou glaucoma”, ressaltou.

Desde 2012 o Ambulatório de Oftalmologia da Santa Casa conseguiu com suas atividades e serviços beneficiar a população com uma equipe de alto padrão e equipamentos de ponta. Até mesmo cirurgias plásticas realizadas pela médica Iracema Moribe foram realizadas também de forma gratuitas bancadas pela equipe médica do ambulatório. Tudo isso levou o ambulatório a receber o título da cidade Referência em cirurgias de catarata.

No ano passado porém, houve rumores que o ambulatório seria desativado e o serviço passaria a ser feito na cidade de Araraquara. Houve uma mobilização de muitas pessoas e da própria Câmara Municipal contra essa decisão que surgiu do nada, pois não foi avaliado com critério todos os serviços que o ambulatório já havia feito em prol da população.

Agora nessa nova gestão municipal parece que o serviço prestado não está sendo valorizado novamente e os motivos são desconhecidos, mas devem correr nos bastidores da política com justificativas infundadas.

A Câmara Municipal de São Carlos foi alertada sobre essa grave situação com alguns membros da comissão de saúde e também com a presença do vereador Roselei e da vereadora Cidinha do Ancológico que desconheciam os problemas enfrentados e a possibilidade de cancelamento do mutirão e da verba já comprometida em anos anteriores. Cabe aos vereadores se mobilizarem e através de requerimentos convocarem se necessário como está parecendo o secretário de saúde e outros representantes para esclarecerem publicamente a verdadeira situação sem rodeios ou boatos, pois quem espera uma solução urgente é a população no caso a mais afetada.

Centro de Referência para o tratamento do Glaucoma

O ambulatório de Oftalmologia conseguiu pelo trabalho feito com êxito um certificado junto ao Ministério da Saúde para ser um Centro de Referência para o tratamento do glaucoma, doença grave que pode levar a cegueira. Com isso, fica habilitado a receber regularmente colírios para serem entregues gratuitamente para os pacientes.

Conforme explicou a Chefe da Diretoria Regional de Saúde de Araraquara senhora Sonia Regina Souza e Silva houve um problema com a verba do Governo Federal, mas que a situação já foi normalizada e a DRS já tem os colírios para serem enviados para São Carlos, a fim de serem entregues para quem precisa; “ fico surpresa ao saber que os colírios não estão chegando para o ambulatório pois já estamos abastecidos com os colírios, apenas uma marca de um laboratório ainda não nos entregou sua remessa, mas isso deverá ser normalizado rapidamente. Segunda ela cabe a secretaria de saúde repassar os colírios;” explicou.

Um representante comercial de um laboratório informou que essa situação gerou um gasto absurdo, pois a Prefeitura de São Carlos estava comprando colírios por 127 reais quando o preço real é de 28 reais por olho, comprados por verba Federal e repassados gratuitamente. Outro detalhe que deverá ser explicado pelas autoridades de saúde do município.

A última pauta discutida na reunião foi com relação a situação atual das câmaras hiperbáricas, caso que também foi levado para a Câmara Municipal. Hoje na Santa Casa existem duas câmaras hiberbáricas que atuaram na cidade tratando de pessoas com problemas sérios de lesões na pele e evitando muitas amputações, graças às sessões aplicadas que possibilitam uma oxigenação muito acima do ambiente natural e com isso conseguem reativar a circulação das células dessas feridas crônicas. Em todas as gestões anteriores desde quando Carlos Alberto Carvalho que é natural de Jundiaí, médico hiperbaricista e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Hiberbárica iniciou seus trabalhos mediante licitações vencidas por sua empresa. Hoje porém, a prefeitura municipal não realizou nenhuma licitação o que seria a forma correta e lícita para indicar o tratamento para pacientes do SUS e não terceirizar qualquer serviço que seja sem prestar contas. Vale ressaltar que as câmaras hiberbáricas tem um controle digital de todas as sessões realizadas.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias