Menu
quarta, 12 de dezembro de 2018
Região

Trânsito de Araraquara é um 'festival' de imprudências

22 Set 2014 - 09h29Por araraquara.com
Carro passa no sinal vermelho na esquina da avenida José Bonifácio com a rua Nove de Julho (Deivide Leme/Tribuna Impressa) - Carro passa no sinal vermelho na esquina da avenida José Bonifácio com a rua Nove de Julho (Deivide Leme/Tribuna Impressa) -

Carros passando no sinal vermelho, parando em cima da faixa de pedestres, estacionando em local proibido e pessoas atravessando a rua fora da faixa destinada a elas.

Essas infrações foram observadas pela Tribuna Impressa na sexta-feira à tarde, por aproximadamente uma hora, no centro da cidade. Isso em plena Semana Nacional do Trânsito (18 a 25 de setembro), criada pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) para uma maior conscientização nas ruas. 

O tema da campanha deste ano é “Cidade para as pessoas: Proteção e Prioridade ao Pedestre” e, segundo o órgão, visa priorizar “a circulação dos pedestres em face da estrutura viária historicamente voltada à circulação de veículos automotores”.

Não é o que a aposentada Neiva Miriam Cruz, de 65 anos, presenciou na rua São Bento, a rua 3. Um carro ocupou metade da faixa de pedestres, ao lado da Praça Santa Cruz, e dificultou sua ida a uma relojoaria. Na volta, ela teve de esperar muito tempo para conseguir passar.

“Os carros não param antes da faixa, ninguém obedece. É uma falta de consideração”, afirma a mulher.

Mas os pedestres também “pisam fora da faixa”, literalmente. Em vez de ir a uma esquina para mudar de lado, cortam o meio do quarteirão. “É mais fácil, não vejo perigo. Espero dar uma brecha e passo. Isso é muito comum”, confessa o estudante Alan de Amorim Alves, 17. 

Desrespeito

Segundo o major Wagner Prado, da Polícia Militar, as principais infrações de trânsito dos motoristas são excesso de velocidade, uso de celular enquanto dirige, ausência de cinto de segurança, estacionar em local ou horário proibido, uso de farol de milha dentro da cidade e, em menor número, motociclistas sem capacete.

Apesar de ter diminuído, a embriaguez ao volante também é um problema, pois “existem os teimosos”.

Para Prado, a solução para a imprudência no trânsito está diretamente ligada a uma educação desde cedo, ainda criança, e a campanhas de conscientização. “De 90% a 95% dos acidentes ocorrem por imprudência. No restante estão outros motivos, como falha mecânica. Deve-se ter consciência de respeito às leis”, afirma. 

É muito carro

Uma das questões que também prejudica o bom andamento do trânsito é o tamanho da frota. Em Araraquara, ela vem crescendo mês a mês.

Em junho de 2013, segundo o Denatran, eram 151.608 veículos registrados na cidade. Em junho deste ano, último mês com dados disponíveis, eram 159.894. Ou seja, em um ano, foram 8.296 veículos a mais nas ruas, média de 700 por mês e aumento de 5,4%.

Os automóveis lideram com 90.408 unidades. Depois vêm as motocicletas (32.171), caminhonetes e camionetas (13.649), caminhões (3.592), e outros veículos (11.788).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, na cidade e nas rodovias, até julho, uma pessoa morreu por homicídio doloso (quando é caracterizada a intenção) no trânsito e 15 foram vítimas de homicídio culposo (sem intenção). No mesmo período, foram 244 lesões corporais.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias