Menu
quinta, 15 de abril de 2021
Região

Quadrilha ataca Protege, quartel da PM e mata policial em Araçatuba

16 Out 2017 - 10h52

Um investigador da Polícia Civil foi morto na madrugada desta segunda-feira (16) durante um assalto à Protege, empresa responsável por transporte de valores com sede no bairro Santana de Araçatuba, São Paulo. Em ação realizada por quadrilha fortemente armada, bandidos também dispararam contra o quartel do CPI-10 (Comando de Policiamento do Interior) de Araçatuba e até atearam fogo em dois caminhões particulares para evitar que viaturas deixassem o local. Os militares ficaram sitiados, sem qualquer comunicação via rádio, pois o fogo dos veículos atingiu a rede elétrica, deixando o local no escuro. O quarteirão em volta foi isolado. Moradores nas proximidades ficaram aterrorizados com o barulho de tiros e rajadas de metralhadora. Duas mulheres teriam sido feridas por balas perdidas. Uma delas foi atingida na barriga e outra no pé.

Um vídeo que foi enviado à imprensa local mostra uma caminhonete parada ao lado da Protege, com o alerta ligado. Próximo dali, uma luz forte. A pessoa não explica o motivo de estar ali naquele momento e nem o que fez com que começasse a gravar. Repentinamente acontecem os tiros e as primeiras explosões. O policial assassinado, André Luís Ferro da Silva, seria morador das proximidades do quartel da PM e teria ido ao local para averiguar o que estava acontecendo, quando foi baleado pelo ocupante de uma caminhonete. Ele era integrante do GOE (Grupo de Operações Especiais) e deixou esposa e duas filhas menores de idade. Silva ainda foi socorrido com vida, mas morreu enquanto era atendido na Santa Casa.

A quadrilha estaria usando granadas para conter os policiais e metralhadora antiaérea ponto 50. Para abrir o cofre da Protege, teriam usado dinamite. Alguns bandidos estariam, no entorno do local atirando contra policiais sitiados. Numa "operação de guerra" a quadrilha seria formada por quatro grupos, atuando ao mesmo tempo em uma ação planejada. Um dos grupos ficou na rodovia Marechal Rondon, nas proximidades da Polícia Militar Rodoviária, fechando a rodovia, outro teria fechado trecho da avenida Waldir Felizola de Moraes, perto do quartel; o terceiro atacou o quartel e o quarto, a Protege.

Explosivos

 Vários explosivos foram encontrados em um caminhão abandonado próximo à Protege. O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais), um grupamento de operações táticas especiais da PM na Capital, deve chegar a Araçatuba pela manhã para recolher os explosivos e periciar a empresa de valores pois existe suspeita de exista mais explosivos no local.

(R1 News)

 

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias