segunda, 04 de julho de 2022
Agricultura

Bebedouro é a primeira cidade de São Paulo a receber Caravana Embrapa FertBrasil

Liderada no Estado pela Embrapa São Carlos, meta é levar tecnologias e conhecimento para aumentar a eficiência do uso de fertilizantes e insumos no campo

31 Mai 2022 - 06h40Por Redação
Bebedouro é a primeira cidade de São Paulo a receber Caravana Embrapa FertBrasil - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A Caravana Embrapa FertBrasil estará em Bebedouro, nesta terça-feira, 31. Até quinta-feira, ela passa por Marília (1º) e Itapetininga (2).

No estado de São Paulo foram selecionadas essas macrorregiões por conta da diversidade de culturas e atividades agropecuárias. “O estado é muito diverso, mas essas três cidades representam bem as atividades agropecuárias de São Paulo. Cobrem regiões bastante extensas – Norte, Noroeste, Sul e Oeste”, diz o chefe de Transferência de Tecnologia, André Novo, da Embrapa Pecuária Sudeste.

A escolha de Bebedouro justifica-se por ser um dos principias centros de produção de frutas cítricas e cana-de-açúcar, além de soja e milho. A pecuária de corte também aparece, mas em menor escala. A cidade tem, aproximadamente, 80 mil habitantes. Situado na região norte do estado, o município é um dos polos de produção, comercialização, industrialização e exportação de frutas cítricas e seus derivados do país.

O evento ocorre no Anfiteatro da Fundação Coopercitrus Credicitrus de Bebedouro, das 8h às 12h30.  Ainda é possível participar e as inscrições são gratuitas.

CARAVANA

O objetivo da Caravana, liderada no Estado de São Paulo pela Embrapa Pecuária Sudeste, é levar a técnicos e produtores rurais tecnologias e conhecimento para aumentar a eficiência do uso de fertilizantes e insumos no campo, ressaltar a importância de se fazer o manejo sustentável dos solos, água e plantas e melhorar a produtividade da agropecuária brasileira. Para o chefe-geral da instituição, Alexandre Berndt, o momento é oportuno, por conta da escassez global de fertilizantes, agravada pela guerra entre Rússia e Ucrânia. “Essa transferência de conhecimento é importante para o Brasil não perder a capacidade de produzir alimentos, fundamental para um mundo em constante crescimento populacional e em recuperação pós-pandemia, em que as economias devem voltar a crescer e a consumir mais alimentos”, destacou Berndt.

Os encontros foram divididos em cinco módulos e ocorrem no período da manhã:

1 - Planejamento agrícola - Ferramentas para o planejamento agrícola: onde e quando plantar?

2 - Boas práticas para o uso eficiente de fertilizantes.

3 - Novos fertilizantes e insumos - Novas tecnologias para suprimento eficiente de nutrientes às plantas.

4 - Manejo e sustentabilidade - Tecnologias sustentáveis de manejo agrícola: por que usar?

5 - Manejo de precisão - Soluções digitais refinando aplicações: como tratar variações na lavoura.

A iniciativa faz parte do Plano Nacional de Fertilizantes, do Governo Federal, para reduzir a dependência externa por importação de produtos e tecnologias, agravada pela guerra entre Rússia e Ucrânia.

De acordo com o coordenador regional, Alberto Bernardi, os pesquisadores vão abordar soluções que podem ser imediatamente adotadas, esperando que a incorporação das tecnologias e práticas promova uma economia no uso dos fertilizantes no Brasil já na safra 2022/23.

Até o final da safra 2022-2023, os especialistas vão percorrer as principais regiões produtoras brasileiras, enfatizando a importância do manejo sustentável dos solos e fertilizantes para maximizar a eficiência de uso destes insumos e garantir a competitividade da agricultura e produção de alimentos no Brasil. No total, serão visitados 30 polos produtivos de nove macrorregiões agrícolas do país.

Leia Também

Últimas Notícias