Menu
domingo, 07 de março de 2021
Esportes

São Carlos estará representada no Mundial de Futebol sub13 na França

08 Mai 2016 - 10h36
Com garotos de São Carlos, Ibaté, Araraquara e Nova Europa, a Adesm representará o Brasil no Junior World Master 2016. Foto: Marcos Escrivani - Com garotos de São Carlos, Ibaté, Araraquara e Nova Europa, a Adesm representará o Brasil no Junior World Master 2016. Foto: Marcos Escrivani -

Quatorze crianças e quatorze sonhos. Para muitos um presente de Natal antecipado. Assim é encarada a participação da equipe sub13 da Adesm (Associação Desportiva, Educacional e Social do Sindicato dos Metalúrgicos) de São Carlos.

Com garotos de São Carlos, Ibaté, Araraquara e Nova Europa, a equipe representará o Brasil no Junior World Master 2016, a ser disputado em Paris (França) entre os dias 13 e 16 deste mês.

Sob o comando do coordenador e técnico da escolinha de futebol, Rogério Pereira, 43 anos, o jovem time são-carlense viaja no próximo dia 12, quinta-feira, com saída prevista da fábrica de motores da Volks, em São Carlos.

As 14 crianças que irão representar o Brasil participam do projeto "Mais que Futebol", promovido pela Adesm, com o apoio da ONG Terre des Hommes Alemanha e patrocínio do Comitê Mundial dos Trabalhadores da Volkswagen, que tem como objetivo promover o esporte como instrumento sociopedagógico e de desenvolvimento da cidadania, atendendo crianças e adolescentes de bairros periféricos.

Rogério deixa claro que o trabalho realizado pela Adesm na sede social do Sindicato dos Metalúrgicos é de inclusão social. Foto: Marcos EscrivaniMETA SOCIAL, MAS SONHO É TÍTULO

Rogério deixa claro que o trabalho realizado pela Adesm na sede social do Sindicato dos Metalúrgicos é de inclusão social. A escoa de futebol é voltada para a comunidade e tem hoje aproximadamente 250 atletas (masculinos e femininos) de 7 a 17 que treinam periodicamente. "Inicialmente era voltado somente para filhos de metalúrgicos, mas o projeto abriu espaço para crianças carentes da comunidade" disse, salientando que a Adesm tem equipes competitivas que já disputaram campeonatos municipais, regionais, estaduais e nacionais.

Mas se a meta da Adesm é social, a primeira experiência internacional da associação é tida como um desafio. Técnico e jogadores falam em disputar o título.

A Junior World Master é realizada a cada dois anos, e o campeonato está entre os principais do mundo na categoria e já contou com a participação de times brasileiros como Palmeiras, Corinthians e Santos, que foi o campeão do torneio em 2010.

Rogério garante que o foco da viagem é cultural e educacional, mas não esconde que existe ambição no grupo. "A Adesm sonha com o título e vamos tentar jogar de igual para igual com os adversários", disse, salientando que além da Adesm, a representação da África do Sul irá disputar a competição com um time que também de foco na inclusão social.

"Para a meninada ainda não "caiu a ficha". A oportunidade de jogar na Europa é tido como um sonho", enfatizou o treinador.

SEM VIDA FÁCIL

Antes de a bola rolar em gramados parisienses, Rogério fez questão de dizer que a Volks se responsabilizou pelas despesas da Adesm. "Os meninos terão a obrigação de entrar em campo e jogar bola e mostrar o talento do futebol brasileiro. Fora de campo, a empresa nos deu todo o amparo e respaldo para conseguirmos os passaportes, nos dará a estadia, bem como a viagem e alimentação. Além de um dia de passeio. Depois, vem a nossa obrigação de buscar as vitórias e tentar o título", afirmou.

Entretanto, a equipe são-carlense não terá vida fácil. Muito pelo contrário... A Junior World Master terá a participação de 21 países. Portanto, 21 equipes, sendo que a maioria são europeias. "Não vamos ter vida fácil. A Adesm e a África do Sul terão times oriundos de projetos sociais. Mas os adversários restantes estarão apresentando equipes que tem tradição na formação de jogadores.

Todavia Rogério faz questão de dizer que a Adesm é uma escola formadora de atletas.

"Já mandamos garotos para a Inter de Limeira, por exemplo. Somos formadores. Estamos hoje entre as melhores da região e nos qualificamos entre os oito melhores do Estado. Portanto temos garotos de qualidade e sonhamos em ir longe", garantiu Rogério.

“Quero ser um atleta famoso e ajudar minha família”, disse Camael. Foto: Marcos EscrivaniUM CANDIDATO A TALENTO

Apenas 13 anos, morador no Antenor Garcia, de origem humilde. Os papais são trabalhadores. O pai Cleber Roberto Caetano é pedreiro e a mãe, Daniela Schiavone, trabalha em salão de festas.

Corintiano, tendo como espelho Ralf (ex-Corinthians) e como ídolo Neymar Jr. (Barcelona, Espanha), Camael Roberto Schiavone Caetano sonha em vencer como jogador. "Quero ser um atleta famoso e ajudar minha família", disse.

Camael é primeiro volante, que dá o primeiro combate no intuito de buscar desarmar o ataque adversário. Entretanto, tem qualidades quando busca sair jogando. "Por isso quero ajudar minha equipe e vamos para a França em busca do título", disse.

Considerado um dos destaques da equipe, Camael iniciou na Adesm com 9 anos e durante quatro temporadas colecionou alguns títulos e viagens. Mas avião é a primeira vez. "Estou com medo, mas ansioso. Nunca viagem para outro país e acho que a experiência será muito boa. Minha família está feliz, me apóia e me incentiva. Quero voltar para casa com uma conquista", finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias