Menu
quarta, 27 de outubro de 2021
Cria da terra

Júlio César se aprimora no Grêmio e se qualifica como preparador de goleiros

27 Mai 2019 - 07h56Por Marcos Escrivani
Júlio César se aprimora no Grêmio e se qualifica como preparador de goleiros - Crédito: Gustavo Curvelo Crédito: Gustavo Curvelo

Tendo a simplicidade, a honestidade e a humildade como virtudes preponderantes. Dia a dia aprimora suas qualidades profissionais e, paralelamente, se qualifica. Assim é Júlio César Cominotte, preparador de goleiros e há dois anos exerce sua profissão nas categorias de base e na equipe profissional do Grêmio Desportivo São-carlense. É formado em Administração de Empresas e cursa Educação Física na Unip.

Em uma entrevista ao São Carlos Agora, com fotos de Gustavo Curvelo, assessor de imprensa do GD São-carlense, Júlio César foi sabatino com várias perguntas, remetendo desde a sua infância, na década de 80/90, quando defendeu várias equipes que trabalham com a base em São Carlos.

Relembrou o início de sua caminhada quando começou como goleiro e depois meia armador, atuando por vários anos ao lado do irmão gêmeo (univitelino) Marco Antonio.

Quando adolescente e jovem, defendeu vários clubes do interior paulista e atuou, em Jaú, ao lado de um ex-zagueiro que defendeu a seleção brasileira.

Após abandonar o gramado, Júlio César qualificou-se profissionalmente, mas sem abandonar o futebol. Constitui família, se especializou e há dois anos atua profissionalmente no GD São-carlense.

Durante a entrevista opinou sobre o atual momento do futebol profissional da cidade e disse o que espera, possivelmente, de um clássico local na Série B em 2020, entre GD São-carlense x São Carlos.

A ENTREVISTA

São Carlos Agora - Há quantos anos dedica-se ao esporte?

Júlio César Cominotte - Dedicação ao esporte desde que conheci o futebol. Tentei ser jogador, mas por algumas adversidades não pude continuar.  Mas o sonho sempre esteve presente.

SCA - Quanto atleta, atuava como jogador. Porque decidiu ser treinador de goleiros?

Júlio César - Quando atuava como jogador, sempre que podia ficava aos finais dos treinos ajudando os goleiros em treinos e fazia com muita vontade. Foi quando me despertou a curiosidade de poder entender mais sobre os treinos e didática dos goleiros. Sendo assim surgiu este sonho de um dia poder fazer desta vontade uma profissão.

SCA - Hoje tem uma oportunidade em trabalhar no futebol profissional. Como vê esta chance?

Júlio César - Hoje tenho a chance de poder fazer com afinco e dedicação, sempre procurando o conhecimento e buscando fazer o melhor aos profissionais que trabalho e ao clube podendo assim estabelecer minha atividade reconhecida como um excelente profissional. Hoje faz dois anos que estou trabalhando como preparador de goleiros no Grêmio, tanto no profissional quanto na base. Sendo assim trabalhando com goleiros que já estão em alto nível e também aos que estão buscando mais conhecimentos e podendo ajudá-los pontualmente em treinos e evoluir profissionalmente.

SCA - Quais suas metas para o futuro?

Júlio César - Tenho como objetivo profissional terminar minha graduação em Educação Física e poder buscar mais conhecimento. Se possível, fazer licenças e certificados da CBF. 

SCA - Você faz especializações para acompanhar a evolução dessa sua profissão?

SCA - Tenho cursos de treinador de goleiros da ABTG (Associação Brasileira dos Treinadores de Goleiros), ministrados por nomes renomados do futebol brasileiro. Curso que todos os anos qualificam cada vez mais profissionais da área tendo toda metodologia voltada somente a goleiros. Desde a base até a profissional.

SCA - Como é sua rotina diária?

Júlio César - Fazemos o planejamento com a comissão para os treinos da semana e colocando dentro do planejamento os dias e horários de trabalho para os goleiros do Grêmio dentro deste planejamento e assim estabelecendo forma de trabalho com os goleiros (18 a 23 anos).

SCA - Os atletas que treina hoje no Grêmio. São jovens de futuro?

Júlio César - São eles: Gabriel Silva, João Santana e Samuel Chaves. Ótimos goleiros buscando o espaço dentro do futebol. Todos estão em evolução. Cada um com sua personalidade e qualidades.

SCA - Ser um treinador de goleiros te completa como um profissional da área?

Ser treinador hoje e um sonho realizado, mas sabendo que há muito caminho a percorrer. Quando fazemos com profissionalismo e respeito a todos que nos cercam e buscando conhecimento sempre evolução a cada dia. Podemos dizer que estamos no caminho certo.

SCA - Vamos contar um pouco de sua história? Me fala quando começou a jogar futebol? Onde? Quando? Quem foi o primeiro técnico?

Júlio César - Comecei no CA Paulistinha como goleiro, por incrível que pareça. Foi quando apareceu a oportunidade de ir jogar no time da antiga ACD Sicom com o treinador Dagoberto (José Dagoberto Palma Júnior – in memorian). Uma semana antes meu irmão (Marco Antonio) estava no clube e tinha feito o teste no gol, sendo que no Paulistinha ele era ponta direita. Mas foi aí que eu decidi ir para a linha jogar no meu primeiro teste como centroavante. Acredita nisso? Ficamos desde o pré-mirim até a categoria júnior. Depois sai e fui para o São Carlos Clube, Grêmio Esportivo São-carlense até chegar ao aspirante do mesmo time, onde tive oportunidade de jogar ao lado de grandes nomes de nossa cidade. Depois defendi o Grêmio, Matonense e XV de Jau onde tive oportunidade de jogar ao lado de um dos grandes nomes da seleção brasileira, o ex-zagueiro Andrei. Também passei pela Ferroviária. Recordações da minha adolescência: Grande jogos em São Carlos, ADC Sicom e CA Paulistinha, Taça Progresso, Campeonato Regional, Jogos Abertos por São Carlos. Torneios que hoje fazem falta para nossa cidade. Futebol era levado a sério.

SCA - Se tivesse que mudar algo, o que mudaria?

Júlio César - Não mudaria nada, pois tudo está escrito no livro da vida. Sabemos que nossos objetivos na vida às vezes temos que interromper para poder seguir outros caminhos, mas tive a felicidade de poder fazer que meu sonho pudesse se tornar real. Então vejo que tudo valeu a pena sim, pois ficou um aprendizado que podemos mudar, mas sempre no momento certo.

SCA - É feliz como pessoa? Como atleta? Como profissional?

Júlio César: Tenho ao meu lado uma linda família que me apoia, filhos e netos carinhosos que estão a todo momento ao meu lado. Esposa maravilhosa, uma mulher encantadora, mulher da minha vida. Irmãos que amo e tenho carinho e respeito. Trabalho ao lado de pessoas que tentam fazer o máximo que podem para poder fazer do clube um pouco mais profissional. Tenho amigos que torcem pelo meu sucesso, ressaltando um amigo que tenho maior carinho e respeito: Luiz Fernando dos Santos, hoje treinador do sub20 do Corinthians. Amigo que trocamos ideias quase que todos os dias. Tive oportunidade de trabalhar ao lado dele aprendendo muito. Minha maior felicidade e poder dedicar fora do clube as duas escolinhas que dou aula: na Electrolux e no São Carlos Country Club. Isso me faz feliz por saber que meu trabalho está sendo reconhecido e posso passar o conhecimento a todos. Aulas com crianças e adultos. Enfim para ser feliz basta estar ao lado de amigos e pessoas do bem. Como digo em casa: todos os dias não trabalho e sim levo as pessoas a possibilidade de poder mudar a forma de como podemos ver a vida. Mesmo no Grêmio ou na escolinha. Faço com amor, carinho e respeito a todos. Afinal, a palavra-chave é dedicação.

SCA - Na sua opinião, como você definiria o futebol profissional são-carlense da atualidade? Grêmio e São Carlos?

Júlio César - Na minha opinião está infelizmente abaixo do que foi há muitos anos, mas acredito que isso seja falta de profissionalismo. Fazer futebol hoje sem planejamento é complicado. Sabemos que no esporte em São Carlos pouco é feito. Não só no futebol e sim em todas as modalidades. Esporte é o alicerce de uma cidade sadia.

No Grêmio estamos buscando mais profissionalismo tentando fazer com que novas possibilidades possam ser feitas de maneira correta. Estou no segundo ano no clube e acredito que estamos buscando melhorar a cada dia. Sabemos que é difícil o futebol em São Carlos que está desacreditado devido as coisas vem acontecendo ano a ano. Temos que reverter esta situação, mas com mais apoio. De todos vejo que temos boas maneiras de poder evoluir no futebol. Taça São Paulo e uma delas. Quanto ao São Carlos, uma pena ter caído de divisão, mas é complicado e a gestão é tudo em um clube.

Tenho amigos dentro do clube que tenho maior admiração e respeito assim também pela torcida. Mas como disse aqui futebol em nossa cidade está faltando profissionalismo. Uma cidade igual a nossa com história dos dois clubes não pode estar nesta situação. Acredito eu e claro, na minha humilde opinião.

SCA - Em 2020, pode ter clássico local. O primeiro encontro entre as equipes. Existe rivalidade? O que espera desses possíveis jogos?

Júlio César - Depende do planejamento de cada clube para montar seu elenco. Mais uma oportunidade para jogadores da cidade em ambas equipes. Enquanto rivalidade, sabemos que futebol é feito de adversários, mas desde que seja de forma inteligente e saudável, o que falta muito para o futebol em nosso país. Torcidas no mundo inteiro ficam uma ao lado da outra em países de cultura maior que nossa. Precisamos entender que futebol é um espetáculo, um evento. E claro, quando é feito com profissionalismo. Enfim, é uma questão muito complicada que só o futuro poderá nos responder. Sou a favor da paz sempre e lealdade acima de tudo. Respeito ao próximo.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias