sexta, 01 de julho de 2022
Violência no futebol

Dirigente do Grêmio é agredido no vestiário em Taquaritinga

Árbitro Vinícius Furlan anotou em súmula que, após a vitória do Lobo por 3 a 2 em cima do CAT, Edu Imparato levou um soco de um roupeiro

20 Jun 2022 - 08h02Por Marcos Escrivani
Em Taquaritinga, Grêmio levou a melhor e venceu: porém, anfitriões partiram para agressão no vestiário - Crédito: DivulgaçãoEm Taquaritinga, Grêmio levou a melhor e venceu: porém, anfitriões partiram para agressão no vestiário - Crédito: Divulgação

Cenas de violência marcaram o final do jogo entre Taquaritinga e Grêmio São-carlense na manhã de domingo, 19, nos vestiários do estádio municipal Adail Nunes da Silva, em Taquaritinga.

O Lobo venceu o CAT por 3 a 2 pela penúltima rodada da fase de classificação do grupo 3. O tento da vitória surgiu de um gol contra aos 45 minutos da etapa final. Durante o tempo regulamentar aconteceu ainda duas expulsões: Alex, do time anfitrião e Marcelo, do Grêmio.

O jogo foi bem disputado e arbitrado por Vinícius Furlan, experiente mediador da Federação Paulista de Futebol (FPF) que atua na Série A1 do Campeonato Paulista. Porém, os problemas começaram ao final da partida e relatado em súmula pelo mediador.

Segundo consta no documento encaminhado à FPF, Vinícius relata que o jogador Alex, expulso durante a partida, teria saído do seu vestiário, acompanhado de outros jogadores e ido ao vestiário do Grêmio e tentaram entrar, originando um tumulto.

Durante o fato, o roupeiro do CAT teria dado um soco no rosto de Edu Imparato, diretor do Grêmio São-carlense que tentava justamente apaziguar o tumulto e tentava colocar seus atletas para dentro do vestiário mandante.

“No futebol não tem mais espaço para isso. Tudo tem que ser decidido em campo. Realizamos uma administração para mudar o futebol. Conheço a direção do CAT, é composta por pessoas com mentalidade diferente e acredito que eles também não compactuam com atos de violência. O que aconteceu no vestiário foi um fato isolado. O roupeiro foi citado e espero que a FPF cumpra com a legislação que consta no regulamento e puna os responsáveis”, resumiu Imparato em declaração à reportagem do São Carlos Agora.

Todos os fatos relatados na súmula serão encaminhados à FPF e será levado a julgamento. O CAT pode ser penalizado por tais atitudes antiesportivas.

Leia Também

Últimas Notícias