Menu
domingo, 18 de abril de 2021
Entretenimento

Sesc São Carlos traz no projeto Em Concerto Camerata Fukuda

16 Nov 2017 - 03h35Por Redação
Foto: Renato Ramalho - Foto: Renato Ramalho -

Nesta, quinta-feira, 16, às 20h a Camerata Fukuda faz apresentação gratuita no Sesc São Carlos. O grupo encerra a temporada 2017 da série "Em Concerto" com ênfase ao repertório barroco, e pondo em diálogo Bach e Villa-Lobos. Lugares limitados

Aclamada pela imprensa e crítica especializada como uma das mais importantes orquestras de câmara do Brasil, a Camerata Fukuda é reconhecida pelo alto nível técnico e artístico de seus integrantes. Foi fundada em 1988 pela violinista Elisa Fukuda (uma das mais importantes professoras de violino da atualidade) e por Celso Antunes, seu maestro titular. É composta por 20 jovens com formação homogênea, muitos deles vencedores de concursos nacionais. Já estiveram a sua frente maestros como Eleazar de Carvalho, John Boudler, Roberto Minczuk, Ernani Aguiar e Roberto Tibiriçá. Com cinco CDs gravados, a Camerata mantém atividade constante, fazendo concertos na cidade de São Paulo e por todo o Brasil.

É a Camerata Fukuda quem faz o encerramento da segunda temporada da série "Em Concerto", dialogando com o tema que norteou toda a programação: Heitor Villa-Lobos. Teremos o prazer de contar, na regência, com a presença de Celso Antunes, titular do grupo, além de regente associado da Osesp e um dos grandes maestros brasileiros em atividade.

Durante toda a década de 1920, o grande projeto de composição de Villa-Lobos é a série de Choros, em que ele trabalha esta matriz popular urbana (choro), mesclando-a com elementos de diversas outras origens. Já após retornar de sua segunda estadia em Paris (entre 1927 e 1930), Villa se dedica a outro ciclo fundamental, o das Bachianas brasileiras. Ao mesmo tempo em que, colaborando com o governo de Getúlio Vargas, desenvolvia um inédito programa de educação musical da população por meio do canto orfeônico, escrevia esta série de obras, que buscavam unir a estética de Bach ao universo musical brasileiro. Para diferentes formações, as noves peças, escritas entre 1930 e 1945, utilizam-se de canções folclóricas e urbanas e alguns de seus trechos estão entre os mais populares do compositor, como a tocata das Bachianas nº 2 ("O trenzinho do caipira"), e a "Ária" da nº 5. O concerto da

Camerata Fukuda se inicia com o Prelúdio das Bachianas n. 4 - a obra foi escrita originalmente para piano, e recebeu uma versão orquestral em 1941.

Se Johann Sebastian Bach foi a grande inspiração para Villa-Lobos compor suas Bachianas, o músico alemão, por sua vez, era um admirador das obras do padre italiano Antonio Vivaldi. O compositor barroco foi um autor prolífico que deixou quase mil obras, dentre as quais se destacam os concertos para violino - Vivaldi era ele mesmo um violinista virtuose. Um desses é o popular Concerto para 4 violinos em si menor RV 580. Na sequência do programa, teremos Concerto em lá menor para violino BWV 1041 de Bach, outra popular obra barroca para o instrumento. Fechando o ciclo, o encerramento do concerto - e por consequência de toda a temporada - fica com as Bachianas brasileiras n.9, obra também ouvida no primeiro programa de nossa série, em versão para quatro violões, pelo Quaternaglia. As Bachianas n.9 foram compostas em 1945 para orquestra de cordas, e igualmente fecham esse imponente conjunto de obras de Heitor Villa-Lobos, o mais importante compositor brasileiro de todos os tempos.

SERVIÇO

Data: Dia 16 de novembro, quinta-feira.

Horário: 20h.

Ingressos: GRÁTIS. Retirada limitada a 2 ingressos por pessoa, com 1h de antecedência. Lugares limitados.

Local: Unidade São Carlos - Av. Comendador Alfredo Maffei, 700 - Jd. Gibertoni - São Carlos - SP

Mais informações pelo telefone: 3373-2333

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias