domingo, 23 de junho de 2024
Atividades diversas

Festa do Livro da USP São Carlos: atrações gratuitas de 24 a 26 de agosto

Nos três dias de atividades, haverá bate-papos literários sobre temas sociais, história, gênero, quadrinhos e cultura pop

21 Ago 2023 - 09h17Por Denise Casatti
Haverá uma série de atividades especialmente voltadas ao público infantojuvenil, com contação de histórias - Crédito: FLUSPHaverá uma série de atividades especialmente voltadas ao público infantojuvenil, com contação de histórias - Crédito: FLUSP

Ampliando as atrações literárias e culturais a cada ano, a Festa do Livro da USP São Carlos (FLUSP) já é um marco para o campus e para a cidade. Em sua oitava edição, o evento começa na quinta-feira, 24 de agosto, e estende sua programação, pela primeira vez, até o final de semana. No último dia, sábado, haverá uma série de atividades especialmente voltadas ao público infantojuvenil, com contação de histórias, show musical com trilha sonora de clássicos do cinema e uma peça de teatro na qual a princesa é uma cientista.

Aberta a todos os interessados e com entrada gratuita, a FLUSP oferece a oportunidade de compra de livros impressos com descontos significativos, por meio de uma feira que acontece no vão livre do prédio E1, na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), área 1 do campus da USP, no centro da cidade. A feira começa todos os dias a partir das 10 horas, estendendo-se até 20 horas; já as atrações literárias e culturais têm horários variados. Confira a programação completa no site do evento: https://festadolivro.sc.usp.br/programacao.

Destaques literários

Para abrir a programação literária noturna da FLUSP, às 20 horas de quinta, haverá a palestra Leitura e Resistência com Rita von Hunty, persona drag do ator e professor Guilherme Terreri. Com formação em Língua e Literatura Inglesa pela USP e em Artes Cênicas, Rita tem atuado no cinema, no teatro, na TV e no Youtube, além de ser colunista na revista Carta Capital. Durante a palestra, falará sobre a produção de autoras e intelectuais que refletiram sobre o poder de resistência na leitura. A finalidade é debater a necessidade de expressão das minorias, a potência de suas contribuições na luta contra a opressão e para a democracia, além de instigar o desejo radical de também nos vermos como produtores de futuros (im)possíveis.

Também entre os destaques das atrações literárias está um bate-papo com o jornalista Franklin Martins, na sexta-feira, às 20 horas. Aos 75 anos, o jornalista está lançando a obra Volume Zero, que recuperou cerca de 300 músicas sobre política nos tempos do Império. Franklin Martins já tem vários livros publicados, entre eles Jornalismo Político e a trilogia Quem foi que inventou o Brasil? – a música popular conta a história da República. Além disso, trabalhou em alguns dos mais importantes órgãos de comunicação do país, como O Globo, O Estado de S. Paulo, revista Época, rádios CBN e Bandeirantes, TV Globo e TV Bandeirantes. Em 1968, durante a ditadura militar, foi um dos principais dirigentes do movimento estudantil brasileiro, e participou ativamente da luta pela redemocratização do país, vivendo cinco anos e meio na clandestinidade e cinco anos e meio no exílio.

Outro jornalista que conversará com o público no sábado, a partir das 14 horas, é Leonardo Sakamoto. Autor de livros como Escravidão Contemporânea e O que aprendi sendo xingado na internet, Sakamoto é doutor em Ciência Política pela USP e professor de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Comentarista do Jornal da Cultura e colunista de política do UOL, preside a ONG Repórter Brasil e foi membro do conselho do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão (2014-2020), em Genebra.

Ainda no sábado, às 11h, o público poderá conhecer mais sobre o Brasil dos dinossauros, em um bate-papo com o biólogo e paleontólogo Luiz Eduardo Anelli e com a escritora Celina Bodenmuller. Professor do Instituto de Geociências da USP e atual diretor da Estação Ciência da Universidade, Anelli escreveu diversos livros sobre os dinossauros que viveram no Brasil e, em 2018, foi vencedor do Prêmio Jabuti de Literatura Infantojuvenil. Já Celina é autora de vários livros de ficção e não ficção para leitores infantis e juvenis, alguns dos quais foram selecionados para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Em 2021, venceu a premiação da Associação dos Escritores de Literatura Infantojuvenil, na categoria reconto, com uma obra escolhida para integrar o acervo da biblioteca de língua portuguesa da Organização das Nações Unidas (ONU).

Destaques culturais 

Quanto à programação cultural, a diversidade musical brasileira invadirá a FLUSP: a banda Griswolds se apresenta às 12h30 no sábado, com um espetáculo de punk rock que propõe a releitura de trilhas sonoras de filmes da Disney e, às 18h30, é a vez da Big Boom Orchestra levar o público a um passeio por vários estilos que marcaram gerações de ouvintes. Na quinta, às 13 horas, a apresentação fica por conta do Coral da USP São Carlos; no mesmo dia, às 18 horas, a salsa contagia a plateia com o grupo Salsaria.

Na sexta, às 13h, é o circo que toma conta do palco da FLUSP com um pocket show da Estação do Circo; já no sábado, às 14 horas, haverá o espetáculo teatral Apresentando Mary Anning, com a Companhia Delas, que vai contar a história de três cientistas apaixonadas por ciência e grandes admiradoras da famosa paleontóloga Mary Anning, que viveu na Inglaterra no início do século XIX.

Com o objetivo de reunir ações de incentivo ao livro e à leitura bem como proporcionar atividades culturais que expandam as experiências da comunidade, a FLUSP é organizada anualmente pela Edusp em conjunto com todos os órgãos e unidades de ensino e pesquisa do campus da USP São Carlos. Outra novidade do evento este ano é a presença da Unidade Móvel USP, que é, literalmente, uma carreta cheia de atividades que mostra o contexto histórico do Engenho São Jorge dos Erasmos, um sítio arqueológico mantido pela Universidade.

Leia Também

Últimas Notícias