Menu
sábado, 16 de janeiro de 2021
Colunistas

QUALIDADE DE VIDA: Dor Ciática

06 Dez 2017 - 02h18Por (*) Paulo Rogério Gianlorenço
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

Ciática significa dor originada na porção posterior da raiz da coxa, uni ou bilateral que ultrapassa o joelho, percorrendo o trajeto ao longo de toda a extensão do nervo ciático, pode também apresentar sintomas de fraqueza, dormência ou formigamento da perna.

O nervo ciático é o nervo mais longo do corpo humano, ligando o hálux (dedão do pé) à região lombar, a ciática é um e não de uma doença em si, podendo se relacionar a uma série de doenças que mais comumente envolvem a coluna, mas que também podem se localizar no quadril, nos joelhos, ou até mesmo ser o sinal de doenças sistêmicas não ortopédicas, sendo também conhecida como ciatalgia.

O nervo ciático se inicia no final da coluna, passando pelos glúteos e parte posterior da coxa, e quando chega ao joelho ele se divide entre nervo tibial e fibular comum, e chega até os pés, e é nesse trajeto todo que ele pode causar dor com sensação de formigamento, pontadas ou choque elétrico. Quando existe compressão ou inflamação deste nervo, surge a dor ciática que causa sintomas como dor intensa no fundo das costas, glúteo ou pernas, dificuldade em manter a coluna ereta e dor ao andar. Nestes casos é importante procurar um médico ortopedista ou fisioterapeuta para que ele possa orientar o tratamento adequado.

A dor é causada por algum tipo de inflamação ou dano ao nervo ciático (que pode ocorrer dentro do canal espinhal ou em algum outro ponto do percurso que o nervo faz), e ainda pela pressão da coluna sobre o nervo. Geralmente, os anéis que circundam os discos se rompem com o aumento de pressão, intensificando as dores nas costas. Com o rompimento do anel, o núcleo escapa para o interior do canal e comprime o nervo, caracterizando a dor. As causas mais comuns para a compressão do nervo ciático e o conseqüente surgimento de processos dolorosos são: tumores, estenose da coluna lombar, lesões, fraturas por pressão (provocando deslizamento de vértebras), traumas, anomalias congênitas, hérnia de disco, osteoartrite, síndrome do músculo piriforme (um espasmo muscular que comprime o nervo ciático).

A ciática é causada por lesão ou compressão no nervo ciático, também chamado de nervo isquiático, causas, Deslocamento ou inflamação de disco (hérnia de disco), Síndrome do músculo piriforme, Lesão ou fratura pélvica, Tumores ou diabetes mellitus, Infecções pelo vírus do herpes (herpes zóster) ou da catapora.

Segue abaixo alguns fatores de risco:

IDADE: O tempo de vida de uma pessoa está diretamente relacionados a mudanças na coluna vertebral, com a ocorrência de desgastes (bicos de papagaio) e hérnias de disco, por exemplo.

OBESIDADE: O excesso de gordura corporal pode aumentar a pressão sobre a coluna vertebral lombar e causar danos a ela por sobrecarga aos músculos, ossos e ligamentos, provocando dor nas costas, chamada de lombalgia, podendo progredir para lesão do nervo ciático, passando a ser chamada de lombociatalgia.

Jornada de trabalho: Um emprego que faça a pessoa levantar muito peso, que envolva movimentos com as costas ou que exija longas horas em frente a um volante pode ser fator determinante para a ocorrência de lombalgia que pode indiretamente causar a ciática.

SEDENTARISMO: Permanecer sentado por muito tempo e a falta de exercícios físicos na rotina de uma pessoa pode desencadear, futuramente, a lombalgia, uma vez que a coluna torna-se frágil e instável, mais sensível aos processos que afetam o nervo ciático.

Diabetes: Essa doença também pode causar danos aos nervos mais periféricos que muitas vezes pode ser confundida com a ciática. Por outro lado, a degeneração neuronal e vascular provocada pelo diabetes mellitus podem sensibilizar o nervo ciático que mais facilmente manifestará dor, formigamento, perda de força e de coordenação dos membros inferiores, caracterizando então um quadro de lombociatalgia.

A ciática é por si só, um sintoma de dor. Mas a dor causada por lesão ao nervo ciático pode variar muito, pode ser um formigamento suave, uma dor surda ou, ainda, uma sensação de queimação, em alguns casos, a dor é tão forte que a pessoa não consegue se mexer.

A dor ocorre mais freqüentemente de um só lado. Algumas pessoas sentem dor aguda em uma parte da perna ou do quadril e dormência em outras partes dos membros inferiores. A dor ou dormência também podem estar presentes na parte posterior da panturrilha ou na planta do pé. A perna afetada pode, também, parecer mais fraca.

A dor em geral começa gradualmente e pode piorar após a pessoa levantar-se ou sentar-se, tossir, espirrar ou até mesmo rir. Ela também costuma ser pior à noite, ao se dobrar para trás ou andar mais do que alguns metros, principalmente se for causada por estenose do canal vertebral, que é outra doença da coluna que também pode causar ciática.

O diagnóstico da dor ciática pode ser feito pelo médico ortopedista ou pelo fisioterapeuta com base nos sinais e sintomas apresentados. O teste que consiste em comprovar a alteração do nervo ciático pode ser feito no consultório é: ficar deitado de barriga para cima e levantar a perna esticada da maca, se houver dor ou sensação de formigamento, o teste indica compressão ciática. Se houver dor na outra perna, isso indica grave alteração da coluna, como uma hérnia de disco extrusa.

Os exames de imagem como raio-X e ressonância magnética podem ser úteis para avaliar a coluna, ajudando a identificar o que está comprimindo o nervo. Caso a coluna apresente-se saudável e sem alterações, a causa da dor ciática deve ser somente muscular ou da fáscia, e o tratamento é relativamente mais simples.

Quando há suspeita de que o nervo esteja mesmo danificado, o que raramente acontece, somente em caso de acidentes graves, pode ser necessário fazer uma eletroneuromiograma, que é um exame que avalia o funcionamento do próprio nervo.

REMÉDIOS: Os remédios indicados para combater a dor ciática podem ser o Paracetamol, Ibuprofeno, ou os mais fortes, derivados da morfina como o Tramadol,  mas um relaxante muscular e o Diazepan também podem ser indicados pelo ortopedista. Mas uma forma mais natural de combater a dor é tomar o complexo de vitamina B, já que esta melhora a saúde dos nervos do corpo.

MASSAGEM: A massagem com creme hidratante ou óleos essenciais é uma das melhores opções de tratamento caseiro para nervo ciático inflamado porque serve para aliviar a dor e melhorar a movimentação, porque relaxam os músculos das costas, pernas e glúteos, diminuindo assim a compressão do nervo, mas preferencialmente devem ser realizadas por um massagista ou fisioterapeuta e não exclui a necessidade de tratamento na clínica.

EXERCÍCIOS: O repouso piora a dor, assim como ficar muito tempo na mesma posição e por isso os exercícios leves são bem-vindos. Inicialmente são mais recomendados os alongamentos que podem ser feitos com a pessoa deitada de barriga para cima e abraçando as pernas, por exemplo. Quando a dor diminuir de intensidade, após a primeira semana de fisioterapia podem ser realizados exercícios de fortalecimento muscular, como: deitar de barriga para cima, fletir os joelho e apertar uma almofada entre as pernas e para trabalhar as costas e coluna, deitar de barriga para cima, fletir os joelhos e levantar o quadril e o bumbum da maca. Estes exercícios de Pilates Clínico são excelentes opções para curar a dor ciática porque fortalecem o abdômen e a coluna. Fortalecer o abdômen é um ótimo truque para proteger a coluna.

FISIOTERAPIA: Na maioria dos casos, o tratamento da inflamação ou compressão do nervo ciático envolve a realização de sessões de fisioterapia com aparelhos que reduzem a dor e inflamação e são realizados exercícios de fortalecimento e alongamentos, e técnicas manuais para mobilizar e estirar a perna afetada, melhorando a irrigação sanguínea do próprio nervo ciático e normalizar o tônus dos músculos do glúteo e da perna. Além disso, é também recomendada à aplicação de calor localizado sobre a região a tratar, e a realização de alongamentos para esticar e aliviar a compressão do nervo. Algumas vezes quando estes problemas estão associados a uma má postura, o fisioterapeuta pode também recomendar a realização de um tratamento chamado Reeducação Postural Global - RPG, no qual existe uma correção da postura e alongamento dos músculos responsáveis pela alteração postural.

ALIMENTAÇÃO: Durante uma crise do ciático deve-se preferir alimentos anti-inflamatórios como salmão, alho, cebola, linhaça, chia e gergelim. Mas também é importante reduzir o consumo de alimentos que aumentam a inflamação no corpo, que são principalmente as carnes processadas, como salsicha, linguiça e bacon.

Além disso, existem outras opções que também podem completar o tratamento, que incluem a realização de sessões de Acupuntura e Reflexologia para alivio da dor e desconforto. Outra possibilidade é a osteopatia, que consiste em técnicas que esticam os músculos, tracionando de forma a estalar as articulações, sendo uma boa forma de tratar a escoliose, hiperlordose e a hérnia de disco que geralmente estão envolvidas na causa da dor ciática. 

CIRURGIA NA COLUNA: Fica reservada somente para os casos mais graves, quando há hérnia de disco que não melhora com todos os tratamentos acima citados. Nesse caso o cirurgião pode decidir retirar o disco vertebral e colar uma vértebra na outra.

Para prevenir uma nova crise de dor ciática, deve-se:

Fazer regularmente alongamentos, que estiquem os músculos das pernas e a coluna. 

Evitar o sedentarismo e praticar regularmente atividades como caminhada, Pilates ou Hidroginástica que fortalecem e alongam os músculos.

Tentar manter a postura das costas correta mesmo quando sentado.

Estar sempre dentro do peso ideal.

Manter o abdômen sempre forte para proteger a coluna.

Evite sentar ou deitar pressionando as nádegas por um longo tempo.

No trabalho, levante-se e alongue-se após passar muito tempo sentado.

Mas também evite ficar na mesma posição mais que 90 min consecutivos.

Procure manter a postura correta.

(*) O Autor é graduado em Fisioterapia pela Universidade Paulista crefito-3/243875-f Especialista em Fisioterapia Geriátrica pela Universidade de São Carlos e Ortopedia. Dúvidas e Sugestões: paulinhok10@hotmail.com / Facebook Paulinho Rogério Gianlorenço.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias