Menu
quarta, 21 de abril de 2021
Colunistas

MEMÓRIA SÃO-CARLENSE: A Capital Nacional dos Alfaiates

16 Fev 2018 - 03h43Por (*) Cirilo Braga
Foto: Acervo de Bertinho Medeiros e Arquivo Histórico - Foto: Acervo de Bertinho Medeiros e Arquivo Histórico -

Se hoje São Carlos é a "Capital da Tecnologia" ou de "Cidade do Conhecimento", houve um tempo em que a cidade merecia o título não oficial de "Capital Nacional dos Alfaiates", em função da proliferação de alfaiatarias, quase todas pertencentes a imigrantes italianos.

Nos anos de ouro dessa atividade, a maioria desses estabelecimentos confeccionavam ternos para homens, destacando-se também as casas que produziam uniformes para empregados em cooperativas espalhadas pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro e até mesmo para trabalhadores das Indústrias Matarazzo.

Em 23 de setembro de 1940 um grupo de alfaiates liderados por Carmine Botta (1899-1988), Antonio Talarico Filho (1904-1974) e Albano Ferro (1912-2001) fundou a ABASC (Associação Beneficente dos Alfaiates de São Carlos), criada com ajuda financeira de firmas atacadistas de São Paulo, que compraram um terreno na rua Jesuino de Arruda.

Carmine Botta, expoente da sociedade local, era um imigrante nascido no início do século XX em Salerno, na Itália, que viveu durante 80 anos em São Carlos onde além de alfaiate, comerciante e fundador da ABASC foi um líder comunitário e provedor da Santa Casa.

Em 1959 a ABASC já possuía uma ampla sede social e decidiu estender suas atividades para a coletividade, estabelecendo-se como uma grande promotora de eventos culturais, bailes, shows de artistas populares e encontros da categoria. (Registre-se que o diretor social Alberto Ivo de Medeiros, o Bertinho, foi responsável direto pelas promoções do clube, que as incrementou a partir de 1970. Filho de Waldemar Ivo de Medeiros e Assunta Pucci, Bertinho ingressou na ABASC em 1953 como escriturário. Foi vereador, gerente do Funrural de São Carlos, mesário da Santa Casa, membro do Lions Clube e presidente da Comissão Municipal de Turismo).

Entre 1950 e 1970 São Carlos chegou a ter 137 alfaiatarias com 600 alfaiates trabalhando, números que projetavam a cidade no país, a tal ponto de ser realizado aqui, no ano de 1948, o 1º Congresso Nacional dos Alfaiates.

Antes de despontar para o mundo da música, Jair Rodrigues foi aprendiz de alfaiate quando desembargou na cidade em 1953, vindo de Nova Europa. Na cidade, trabalhou na alfaiataria de Mario Constanzo, fato que o artista consagrado (falecido em 2014 aos 74 anos) sempre enfatizou em sua biografia.

O 1º Congresso Nacional dos Alfaiates ocorreu em 1948, quando o cantor Carlos Galhardo, que era alfaiate, compôs um hino especialmente para o evento.  Ivete Vargas, sobrinha neta de Getulio Vargas compareceu representando o presidente e ao todo o Congresso contou com a participação de cerca de dois mil alfaiates de todo o país. Uma foto da época mostra Ivete Vargas ao lado de Carmine Botta, fundador da ABASC e Vicente Botta, presidente do congresso dos alfaiates.

No 2º Congresso, em 1957, o número de participantes saltou para 5 mil, um recorde histórico. Na ocasião, os alfaiates participaram de missa em ação de graças e posaram para fotos na Igreja de São Benedito, cujo templo foi inaugurado em dezembro de 1956.

Para acomodar tanta gente, nos dois eventos os alfaiates locais se organizaram para hospedar os colegas em suas residências, já que os hotéis da cidade não davam conta da demanda. Em 1948 existiam em São Carlos os hotéis Accacio, Toscano, Paulista e Henrique. Os congressistas, que viajavam de trem desembarcavam na estação da Fepasa.

Tal era a quantidade de alfaiates visitantes, que a hospedagem se tornou um capítulo à parte: o deputado Vicente Botta conseguiu providenciar junto ao governo estadual a instalação de alojamentos nas escolas como Eugênio Franco e Paulino Carlos, ao estilo das acomodações de atletas dos jogos abertos.

Um destaque naquela oportunidade foi a realização de um empolgante desfile de trajes de época intitulado "A moda através dos tempos", que percorreu a Avenida São Carlos e em seguida voltou a se realizar nas dependências do Ginásio João Marigo Sobrinho.

A realização do Congresso se deu no ano do centenário da cidade, cujo desfile comemorativo teve destacada presença da categoria. O detalhe foi que os congressistas se reuniram na sede social do São Carlos Clube, pois a ABASC somente viria a inaugurar sua sede social no ano de 1959.

São Carlos voltaria a sediar um congresso de alfaiates em 1974, o 13º Congresso nacional da categoria. Novamente houve desfile na Avenida e o evento, como nas outras vezes, contou com apoio incondicional do deputado Botta. Três anos depois, em 1977, a cidade enviaria representantes (Carmine Botta e Rinaldo Pucci entre eles) para o 17º e último congresso da classe realizado no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Encerrava-se um período de glórias para a alfaiataria no país e particularmente em São Carlos.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias