Menu
sexta, 21 de fevereiro de 2020
Dia a Dia no Divã

Fome emocional

10 Fev 2020 - 07h00Por (*) Bianca Gianlorenço
Fome emocional -

Fome emocional é quando a pessoa recorre a comida não por necessidade fisiológica e sim para aliviar o estresse e afrontar sentimentos desagradáveis como a tristeza, a solidão e o tédio. E depois de comer, sente-se ainda pior por que além do problema emocional permanecer, surge a culpa pelo excesso de comida.

De vez em quando usar a comida como forma de acolhimento ou para comemorar não é necessariamente errado. Mas quando isso se torna um hábito como principal mecanismo de controle emocional e seu primeiro impulso é abrir a geladeira cada vez que você se sente estressado, incomodado, nervoso, sozinho, cansado ou entediado, se inicia um ciclo destrutivo onde não resolve a raiz do problema. Está instalada a compulsão!

A fome emocional não é saciada com a comida. Você pode até se sentir bem naquele mesmo momento, mas os sentimentos que te levaram a comer continuarão aí, dentro de você. 

O excesso de demandas, expectativas e frustrações, sejam na área profissional, familiar, amorosa ou financeira, podem gerar a fome emocional. Uma bronca do chefe, rompimentos emocionais, momentos de mudanças ou falta de dinheiro, são situações que comumente causam essa compulsão.

A comida é a sua maior fonte de prazer? Está na hora de encontrar atividades que também tragam felicidade e satisfação.

A fome emocional é uma resposta a um problema mais profundo, que deve ser tratado com o apoio de um profissional especializado. Quem passa por esse quadro e cede aos impulsos de comer, não consegue alcançar a sensação de bem-estar desejada, o que provoca arrependimento e culpa. E, para minimizá-los, recorre novamente à comida, num ciclo sucessivo e vicioso.

Buscar ajuda na psicoterapia ajuda a compreender como as questões emocionais estão sendo processadas, o que está realmente desencadeando a fome emocional, além de trabalhar para encontrar formas mais efetivas de lidar com as emoções negativas. É buscar por autoconhecimento como forma de autocontrole.

Como identificar a fome emocional:

  1. Aparece em forma de desejos

A fome emocional nunca vai pedir um prato de legumes ou uma salada. Normalmente ela pede comidas pobres em nutrientes e muito calóricas, como doces ou alimentos ricos em gorduras saturadas.

  1. É insaciável    

Quando você começa a perceber que está com fome, sabe, mais ou menos, a quantidade de comida que vai precisar comer para se saciar. Quando se trata de fome emocional, você pode começar a comer sem parar, até se sentir extremamente cheio. Assim, a fome emocional tem um inibidor sobre as sensações de saciedade, fazendo com que nos sintamos cheios apenas após termos comido mais que o necessário.

  1. Tenta “preencher” um vazio

Um vazio que não está exatamente no estômago.

4. É uma refeição solitária

Praticamente ninguém se empanturra de comida acompanhado, é uma espécie de ritual que se faz sozinho. Muitas vezes, a própria solidão é o gatilho. Apesar de também ocorrer em eventos sociais, como casamentos ou aniversários, para esconder emoções.

Se você acredita que está com esse tipo de problema e não consegue resolver sozinho, procure ajuda de um profissional especializado.

A compulsão pode leva-lo a sérios problemas fisiológicos, financeiros e emocionais.

(*) A autora é graduada em Psicologia pela Universidade Paulista. CRP:06/113629, especialista em Psicologia Clínica Psicanalítica pela Universidade Salesianos de São Paulo e Psicanalista. Atua como psicóloga clínica.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias