Menu
sexta, 30 de outubro de 2020
Direito Sistêmico

Direito Sistêmico e merecimento

03 Ago 2018 - 05h00Por (*) Adv. Rafaela C. de Souza
Direito Sistêmico e merecimento -

Você já passou por uma situação em que estudou muito para uma prova de um concurso algo que se passasse traria enormes benefícios para sua vida, mas que não deu certo, ou seja, acabou esquecendo algum dado importante ou errando o que não deveria na prova e assim não ser aprovado? Essa situação é somente um exemplo de como nós mesmos podemos “boicotar” nossa vida. Pois bem.

Uma palavra chave é o “merecimento”, muitas vezes podemos querer muito algo, mas no fundo não sentimos que realmente podemos ser prósperos, felizes e obtermos tudo de melhor que a vida pode nos oferecer. E qual a imbricação do “merecimento” com o Direito Sistêmico? Por meio do entendimento das ordens do amor de que filósofo alemão Bert Hellinger escreveu, ou seja, que existem três leis sistêmicas e podemos aplica-las em nossa vida pessoal e profissional e verificaremos como podemos obter melhores resultados.

A primeira delas é a “Hierarquia”, ou seja, dentro do Sistema Familiar, onde quem vem antes é sempre maior; a segunda o “Pertencimento” todos que de alguma forma alteraram o comportamento do sistema, pertencem e a terceira a “Compensação” tem que existir um equilíbrio entre dar e receber. Quando integramos essas leis sistêmicas podemos alterar nosso comportamento e a partir desse ponto decidirmos na nossa vida profissional que clientes atender e qual a forma mais branda para ambos, posto que o profissional tem uma relação que perdura com o mesmo pelo mesmo tempo do processo, até mesmo pelas obrigações assumidas entre as partes.

E quando entendemos principalmente a lei da compensação, ou seja, como estou equilibrando os danos no meu sistema familiar posso parar de considerar somente os problemas no externo, na demora do Judiciário e assumir uma parte dessa morosidade como algo que é necessário ser vivenciado, e verificar quais ferramentas disponíveis que possam auxiliar no trâmite dessas questões, tais como, o Coaching Jurídico, a Constelação Familiar, a PNL- Programação Neurolinguística, podemos a partir desse ponto até melhorar nosso dia-a-dia e diminuir os possíveis problemas a serem enfrentados.  

A partir de um exemplo prático possamos entender como aplicar na nossa vida profissional, ou seja, por um período percebi que sempre atraia clientes com dificuldades financeiras e habitacionais, e por meio de uma vivência sistêmica entendi que essa questão estava ligada a um antepassado e estava “pagando” por esses danos, e incluindo o mesmo no meu sistema familiar, a referida situação profissional não mais se repetiu, e uma nova abertura pode acontecer que realmente se alinhava ao meu propósito profissional.

Portanto, por meio de um pequeno movimento podemos perceber uma mudança já e muito benéfica, e isso pode ser aplicado a qualquer profissional e área de conhecimento, mas para isso precisamos estar abertos e dispostos a mudar, trata-se também de uma questão de estar alinhado com o “merecimento”.  Gratidão e bom final de semana!

* A autora é Advogada Sistêmica, inscrita na OAB/SP 225.058 e Presidente da Comissão de Direito Sistêmico da 30ª Subseção de São Carlos.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias