Menu
quarta, 01 de dezembro de 2021
Semana Santa

Paixão de Cristo deve atrair duas mil pessoas no Santa Felícia

17 Abr 2019 - 09h41Por Marcos Escrivani
Paixão de Cristo deve atrair duas mil pessoas no Santa Felícia - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A Sexta-Feira Santa, 19, é aguardada com muita ansiedade pela comunidade de Santa Rita de Cássia, no Jardim Santa Felícia. O ginásio municipal de esportes José Eduardo Gregoracci (localizado na rua Alberto Lanzoni, s/n) irá receber a encenação da Paixão de Cristo, que terá início às 19h e será realizado pelo 13º ano seguido.

A peça teatral que irá reunir aproximadamente 120 pessoas terá aproximadamente 1h40 de duração e a expectativa é que pelo menos dois mil fieis relembrem os passos de Jesus Cristo e sua doação a Deus. “Ele morreu por nós e nos oferece a vida em plenitude, pois venceu a morte ressuscitando como primícias dentre os mortos”, disse o padre Valdir do Carmo André, pároco da Igreja Santa Rita de Cássia.

A entrada é gratuita e a comunidade conta com a sua presença, para meditar sobre o mistério da Fé.

SEMANA SANTA

Abaixo, a mensagem do padre Valdir sobre a Semana Santa:

“Na Semana Santa celebramos o fundamento de nossa fé. O mistério Pascal: Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. O ponto central é a Ressurreição. Diz São Paulo que tem sentido na nossa fé porque Cristo Ressuscitou e está vivo entre nós e em nós. “Se Cristo não ressuscitou, a nossa fé e ilusória e ainda estamos no pecado” (I Cor 15,17). Mas Cristo venceu o maior inimigo a morte e submeteu todas as coisas a Ele e agora trazemos em nós a imagem do homem celeste. (cf. Cor 15)

Começamos a semana Santa no domingo de ramos com a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Ele foi aclamado como o Bendito, aquele que vem em nome do Senhor. Todo povo colocava ramos de oliveira e seus mantos para que Jesus pudesse passar e o reconhecia como o Salvador e digno de todo louvor (cf. Lc 19, 29-40).

Quinta feira santa começa o Tríduo Pascal (Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus). 

Jesus celebra a Eucaristia com os discípulos. Ele se doa totalmente ao Pai e se oferece a todos nós.  Ele institui o sacerdócio e manda que nós celebremos a Ceia em sua memória, no seu corpo que é doado e no seu sangue que é derramado pelos nossos pecados. Fazer memória é tornar  presente este acontecimento da nossa fé. (cf. Mt 26,26-29)

Sexta feira santa, celebramos a Paixão de Cristo. Ele nos amou até o fim e livremente deu a sua vida, pagando os nossos pecados (cf. Jo 19). Nós participamos da morte de Cristo, para podermos ter a vida com Ele (cf. Rom 6).

Sábado Santo, um dia de silencio, para entrarmos na vida em plenitude. Celebramos à noite a Vigília Pascal, grande fundamento da nossa fé. Na vigília temos primeiro a celebração da luz. Jesus que se identificou como luz do mundo. E onde há luz as trevas desaparecem (Jo 8,12); A grande proclamação da Páscoa, pois onde o pecado abundou a grandiosidade de Deus superabundou (Rom 5,20); O rito da Palavra que nos faz relembrar como Deus agiu na história, começando com Abraão, considerando o Pai da Fé (Gn 12), até Jesus Cristo que permanece entre nós; e o Rito Eucarístico o memorial da nossa Salvação. Participamos ativamente deste Mistério Pascal e comungamos da vida de Jesus Cristo, pois nele recebemos a herança eterna e fomos marcados com o selo do Espírito Santo (cf. Ef 1).

Domingo de Páscoa celebramos a vida nova em Jesus Cristo que venceu o maior inimigo a morte e agora a vida não tem mais domínio sobre Ele (Rom 6,9). Exultemos de alegria, pois este é o dia que o Senhor fez para nós (cf. Sl 134-135)”.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias