terça, 05 de julho de 2022
Na linha de frente de combate

Coletores de lixo recebem orientações especiais em época de pandemia

A cada dois passam por consultas; diariamente são coletados Em São Carlos, mais de uma tonelada de lixo hospitalar

17 Jun 2020 - 09h35Por Marcos Escrivani
Coletores de lixo recebem orientações especiais em época de pandemia - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Números do último boletim emitido pela Vigilância Epidemiológica, São Carlos tem exatas 315 pessoas infectadas pela Sars-Cov-2, o temido novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19 que já ceifou nove vidas na cidade.

De acordo com o boletim das autoridades sanitárias, no último levantamento, 80 bairros do município contavam com pessoas infectadas e que cumpriam em suas respectivas residências, o isolamento social justamente para evitar a propagação da novo coronavírus.

Porém, na linha de frente, estão os coletores de resíduos sólidos, que contribuem para que São Carlos se mantenha limpa. A possibilidade de infecção existe, mas para que isso não aconteça, a São Carlos Ambiental, empresa responsável pela coleta do lixo, tem feito um trabalho constante para seus colaboradores não sejam infectados.

Na tarde desta terça-feira, 16, o São Carlos Agora buscou informações junto a empresa que forneceu detalhes sobre o trabalho feito com os funcionários.

Até a presente data, a direção informou que nenhum coletor de resíduo foi infectado e que a cada dois dias passam por consultas com um médico contratado exclusivamente para cuidar da saúde dos trabalhadores.

LIXO HOSPITALAR

Indagado sobre a coleta de lixo hospitalar, que necessita uma atenção diferenciada, a SCA informou que em São Carlos, diariamente, são coletados 1,050 quilos de resíduos de serviços de saúde e que são tratados por um processo chamado de autoclavagem, que garante a desinfecção total. Após tratados, são descaracterizados e dispostos no próprio aterro sanitário.

A ENTREVISTA

Abaixo, a entrevista feita com a empresa:

São Carlos Agora - Há os casos de Covid-19 confirmados em São Carlos e muitos infectados não necessitam internação e ficam em quarentena em suas casas, nos mais variados bairros. Pois bem: quais os cuidados que os coletores têm que ter no trabalho diário?

SCA - A orientação é que eles utilizem as máscaras fornecidas pela empresa nas situações de proximidade interpessoal em ambientes fechados (como dentro dos caminhões), com as precauções de não manipular a máscara durante seu uso, em conjunto com as medidas de limpeza das superfícies e lavagem constante das mãos.

É importante mencionar que todos os veículos da coleta possuem dispensers com álcool 70% em gel/solução, além de terem um recipiente com água limpa e sabão na parte externa do veículo. Os coletores são orientados para higienizarem constantemente suas mãos, e recebem orientações diárias sobre evitarem aglomerações para evitar ao máximo o contágio da Covid-19.

Além disso, a cada dois dias, todos os coletores devem passar em consulta com um médico contratado pela empresa especificamente para prestar o apoio e orientação adequados neste período de pandemia mundial.

SCA - Eles usam luvas? Álcool em gel? Máscaras durante o trabalho?

São Carlos Ambiental - A SCA esclarece que segue cumprindo regularmente todos os procedimentos aplicáveis de segurança e medicina do trabalho, além das determinações das autoridades governamentais em relação às suas atividades, com foco na prevenção e redução de contágio da doença entre seus colaboradores e prestadores de serviço. A empresa tem atuado de forma pró ativa e diligente, no sentido de preservar a saúde de todos os seus colaboradores e garantir a continuidade dos serviços prestados ao município de São Carlos.

Desde o início da pandemia da Covid-19, a SCA adotou diversas medidas preventivas. Dentre as principais medidas, destacamos: (I) intensificamos ações de limpeza em vestiários, banheiros, torneiras, maçanetas e demais locais de uso coletivo; (II) reforçamos a higienização das cabines dos veículos; (III) disponibilizamos aos nossos colaboradores e parceiros dispensers com álcool 70º em gel/solução desinfetante em locais de circulação de pessoas e em todos os veículos da coleta; (IV) afixamos folhetos informativos sobre a Covid-19 em áreas estratégicas da empresa e divulgamos diariamente informações sobre prevenção; (V) determinamos que colaboradores no grupo considerado de risco sejam direcionados para permanecerem em casa; (VI) Contratamos um médico especificamente para prestar o apoio e orientação adequados neste período de pandemia mundial.

Além disso, a SCA está comprometida com os princípios da Segurança e Saúde no Trabalho, cumprindo as Normas de Segurança – NR’s do Ministério do Trabalho e Emprego pertinentes à sua atividade e do Ministério da Previdência Social – MPS e legislações complementares. Sempre forneceu aos seus colaboradores os EPI’s (equipamento de proteção individual) necessários e adequados para o desempenho de suas atividades. A luva faz parte do conjunto de equipamentos de proteção que eles recebem e, portanto, sempre foi fornecida.

Quanto ao uso de máscaras (protetor respiratório) pela equipe de coleta hospitalar, esclarece ainda que se trata de um EPI, de uso frequente, homologado e certificado pelo Ministério do Trabalho. A equipe tem ainda disponível de forma ilimitada máscaras descartáveis para uso em convívio social.

Especificamente sobre a questão do fornecimento de máscaras aos coletores de resíduos domiciliares, a SCA esclarece que forneceu máscaras para todos os seus colaboradores, inclusive os coletores, para o uso em situações de convívio social.

Ao contrário do que se poderia supor com base no “senso comum”, os especialistas afirmam que o uso de máscaras durante a operação de coleta na realidade aumenta a possibilidade de contágio dos trabalhadores pela Covid-19, pois segundo o parecer técnico/médico emitido pelo professor Doutor e Médico Especialista em Alergia e Imunologia, Gustavo Graundenz, o uso de máscaras durante a coleta dos resíduos traz dois problemas. O primeiro é ergonômico, resultante do desconforto com o uso de máscaras durante a coleta causado pela obstrução mecânica da respiração durante a atividade física intensa. O segundo é impeditivo. Decorrente do desconforto e da umidificação das máscaras pelo suor, o coletor irá colocar as mãos repetidas vezes na máscara. Isso resultaria em uma situação perigosa de sujidade e possível contaminação próxima das vias respiratórias, gerando uma situação de risco inaceitável. Além disso, o novo coronavírus (Sars-Cov-2) é um vírus de transmissão interpessoal. As pessoas são sem dúvida sua maior fonte de transmissão. As máscaras são usadas para diminuir a transmissão interpessoal por meio da emissão de gotículas infectantes que chegam nas vias respiratórias. O uso de máscaras é útil para proteger as vias aéreas em ambientes fechados de uso comunitário como mercados, transporte público, ambientes climatizados, uso de elevadores etc. Apesar dos cuidados adicionais de higiene e o uso de EPIs serem fundamentais, os resíduos não são fontes importantes de contaminação. Não existe na literatura científica nenhum caso de transmissão da doença por manipulação ocupacional de resíduos sólidos, assim como não há exposição às gotículas infectantes em ambientes abertos, a mais de 1,5 metros de distância de outras pessoas.

Desta forma, com base em tais recomendações médicas-científicas, a SCA esclarece que forneceu máscaras a todos os colaboradores envolvidos na coleta de resíduos, porém a orientação é que deverá ser utilizada nas situações de proximidade interpessoal em ambientes fechados (como dentro dos caminhões), com as precauções de não manipular a máscara durante seu uso, em conjunto com as medidas de limpeza das superfícies e lavagem das mãos, mas não quando em operação de coleta.

Também é importante mencionar que, até então, a empresa não teve nenhum caso confirmado de Covid-19, o que atesta a efetividade das medidas preventivas adotadas desde cedo.

SCA - Após os trabalhos, eles se higienizam antes de ir para seus lares?

São Carlos Ambiental - Sim, a empresa dispõe de um vestiário para seus colaboradores tanto na sede da empresa, quanto no aterro sanitário.

SCA - A SCA cuida do lixo hospitalar? Qual o destino dado a ele? Quantos quilos diários aproximados?

São Carlos Ambiental - A SCA coleta e trata o lixo hospitalar da cidade de São Carlos em uma Unidade de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde (UTRSS), localizada dentro do Aterro Sanitário do município. Na UTRSS, os resíduos de serviços de saúde (RSS) são tratados por um processo chamado de autoclavagem, que garante a desinfecção total destes resíduos, que após tratados, são descaracterizados e dispostos no próprio aterro sanitário.

Por dia, são coletados e tratados cerca de 1.050 Kg de resíduos de serviços de saúde.

SCA - Quem coleta esses resíduos tem uma paramentação diferenciada?

São Carlos Ambiental - A SCA oferece aos seus colaboradores uniformes com identificação da empresa, EPI’s e EPC’s necessários e compatíveis com o desenvolvimento das tarefas e riscos decorrentes da atividade executada ou do ambiente de trabalho, na quantidade adequada, com os respectivos Certificados de Aprovação.

As atividades de coleta sempre foram tratadas de forma diferenciada, com todo cuidado e proteção cabíveis, uma vez que em qualquer tempo, não somente de pandemia, os riscos biológicos sempre estão presentes nos resíduos. Portanto, os equipamentos de proteção individual, como luvas, máscaras, uniformes, avental de PVC sempre fizeram parte do conjunto de EPI’s utilizados e seguem assim sendo.

SCA - A empresa, de uma forma geral, criou um comitê para orientação frequente aos trabalhadores? Quanto atuam em toda a coleta em São Carlos?

São Carlos Ambiental - A empresa possui uma sistemática de capacitação constante dos colaboradores, através de treinamentos e campanhas de segurança. Os treinamentos capacitam os empregados para o desempenho de suas atividades com segurança, e seus conteúdos atendem as necessidades de cada função desempenhada (treinamento de acordo com a função), e ainda, atendimento às NR’s.

Com a chegada da Covid-19, os esforços em treinamentos e orientações foram direcionados para informações sobre a pandemia, formas de prevenção, com DDS sobre o tema, fixação de cartazes, comunicações via whatsapp, com orientações frequentes e de formas variadas para todas as equipes, sempre em local aberto e respeitando a distância mínima de segurança entre os colaboradores.

Leia Também

Últimas Notícias