segunda, 22 de julho de 2024
Maior movimento cívico

9 de Julho: conheça os heróis são-carlenses da Revolução Constitucionalista de 1932

09 Jul 2024 - 07h09Por Redação
Praça Voluntários da Pátria - Crédito: Sintegrity/Wiki CommonsPraça Voluntários da Pátria - Crédito: Sintegrity/Wiki Commons

Hoje, 9 de julho é comemorado o aniversário da Revolução de 32, considerado maior movimento cívico da história do povo paulista, que teve como objetivo a derrubada do Governo Provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova constituição.

A Praça dos Voluntários, localizada em frente ao Mercado Municipal, serve como um importante local de memória para a cidade. Homenageia os são-carlenses que bravamente se juntaram à causa e sacrificaram suas vidas na batalha.

No local, encontram-se os restos mortais de quatro heróis: Luís Rohrer (1889-1932), Alípio Benedito (-1932), Modesto Sant'Anna (1908-1932) e Benedito Ferreira da Silva (-1932). Voluntários de São Carlos que tombaram na guerra civil e posteriormente tiveram seus restos transladados para sua cidade natal.

Saiba mais sobre a revolução de 1932

A Revolução Constitucionalista de 1932, Revolução de 1932  ou Guerra Paulista, foi o movimento armado ocorrido no Estado de São Paulo, Brasil, entre os meses de julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo a derrubada do Governo Provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova constituição para o Brasil.

Foi uma resposta paulista à Revolução de 1930, a qual acabou com a autonomia de que os estados gozavam durante a vigência da Constituição de 1891. A Revolução de 1930 impediu a posse do governador de São Paulo (na época se dizia "presidente") Júlio Prestes na presidência da República e derrubou do poder o presidente da república Washington Luís, que fora governador de São Paulo de 1920 a 1924, colocando fim à República Velha.

Foi a primeira grande revolta contra o governo de Getúlio Vargas e o último grande conflito armado ocorrido no Brasil.

No total, foram 87 dias de combates, (de 9 de julho a 4 de outubro de 1932 - sendo o último dois dias depois da rendição paulista), com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas, não oficiais, reportem até 2200 mortos, sendo que numerosas cidades do interior do estado de São Paulo sofreram danos devido aos combates.

São Paulo, depois da revolução de 32, voltou a ser governado por paulistas, e, dois anos depois, uma nova constituição foi promulgada, a Constituição de 1934.

Leia Também

Últimas Notícias