Menu
quinta, 24 de janeiro de 2019
Direito Sistêmico

Sim a tudo como é

28 Dez 2018 - 07h00Por (*) Dra. Rafaela C. de Souza
Sim a tudo como é -

Existem situações que não temos como mudar de forma alguma, por exemplo, o sistema familiar e a família que escolhemos para nascer e nos desenvolver é algo imutável, e o que isso tem haver com Direito? “O Direito é uma ciência de relacionamentos”, de acordo com o Juiz de Direito, Dr. Sami Storch, e como não olhar para os emaranhamentos familiares e os conflitos das famílias, em questões jurídicas que envolvam “família”, e o mesmo foi responsável e precursor no uso das Constelações Familiares e das Leis Sistêmicas, desenvolvidas pelo alemão e teólogo, Bert Hellinger, e criou o termo “Direito Sistêmico”, mas retomando ao ponto, de algo ensinado por essa visão sistêmica, é de que a aceitação e a frase interna “sim a tudo como é” ressoa em todo o sistema familiar e pode propiciar a paz e entendimentos dos nossos desafios, por exemplo, com nossos pais.

A aceitação de que antes de se tornarem pais, eram apenas uma mulher e um homem, com seus próprios desafios particulares e familiares de cada um, pode ser que eles também, tenham sentido alguma questão com os pais deles, e assim é!!! A Constelação Familiar propicia esse olhar da alma e a inclusão de muitas situações que não foram vistas em nossos corações, e isso pode nos auxiliar a entender e a seguir em frente a partir daí!

No passado há uns setenta anos atrás, havia muitas vezes, falta de recursos materiais, não havia tanta tecnologia e nem possibilidades financeiras, e as famílias sempre fizeram o máximo que puderam, para darem amor aos seus filhos, tudo é amor, até mesmo a falta de amor, pode até parecer incongruente, mas esse olhar, concede muita paz, sim a tudo como é!

Muitas vezes nos perguntamos também se hoje sabemos cuidar da família já que são inúmeras as críticas elencadas na criação correta dos filhos, bem como para onde está caminhando o sentido real de família. O que mudou? Porque mudou? Será que ainda não somos aquela mãe onde faltava tudo, mas tinha amor, visto de outro ângulo? As dificuldades não diminuíram, às vezes até aumentaram, a sobrecarga também, as responsabilidades. Os tempos mudaram e não conseguimos precisar qual época era melhor, aquela em que faltava tudo ou hoje onde temos excesso de coisas, mas vivemos em meio ha muitas dúvidas. 

O importante é sabermos que independentemente de qualquer época, cada um dá de si aquilo que tem para oferecer e com certeza mesmo assim será amor. Seja a família sofrida do passado ou a família atual que também sofre mas em contraposição busca outras alternativas para viver bem. O mundo melhor ou pior está em busca de paz também, além dos sofrimentos globais e familiares, há muita gente de bem que está plantando no seio familiar sua semente de paz!

Diante dessas breves explanações, que nos servem para intuirmos como agir diante dos conflitos jurídicos e familiares, que foram redigidas em conjunto com a Presidente da Comissão de Direito de Família da OAB São Carlos, Dra. Izadora Regina Struziato Fontana, vimos desejar um novo ano repleto de aceitações daquilo que não temos controle, e de ações novas para situações que são apenas um conforto, mas que temos sim como mudar e ter um novo olhar e uma nova postura, que nos permitirá seguir em direção à VIDA! Feliz 2019!

(*) A autora é advogada sistêmica, Presidente da Comissão de Direito Sistêmico e da OAB Concilia de São Carlos-SP, formada pela primeira Turma do Curso de Gestão da Advocacia Sistêmica.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias