Menu
quarta, 22 de setembro de 2021
Política

Azuaite defende investimento em ciência e tecnologia e defende “pontes com universidades”

08 Nov 2017 - 17h03Por Redação
Foto: Arquivo/SCA - Foto: Arquivo/SCA -

"São Carlos é uma cidade cujos políticos têm complexo de inferioridade em relação à universidade; é preciso estabelecer pontes com a universidade para que sejamos de fato a Capital da Tecnologia". A declaração foi feita pelo vereador Azuaite Martins de França (PPS) na sessão plenária da Câmara Municipal na última terça-feira.

Lembrando que dois ex-presidentes do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) são oriundos de São Carlos - José Galizia Tundisi e Glaucius Oliva - o vereador disse que é necessário descobrir qual a visão da administração municipal com relação ao estreitamento das relações com as universidades.

"Quais são os recursos para a Ciência e Tecnologia no Orçamento Municipal?", indagou para em seguida defender a criação de um fundo de amparo à pesquisa para estimular a pesquisa existente na cidade e que a própria comunidade não conhece. A propósito, Azuaite citou que há alguns anos esteve em Nova Iguaçu (RJ) para conhecer o aterro sanitário que foi o primeiro do Brasil a receber crédito de carbono e lá foi informado que o projeto fora desenvolvido pelo professor Valdir Schalch, de São Carlos.

Em sua fala, o parlamentar - que preside a Comissão de Educação da Câmara Municipal - comentou a atual situação do ensino e pesquisa universitária no Brasil e em São Carlos, lamentando a brutal redução de recursos públicos para investimento no setor. "Em 2014 o Orçamento da Ciência e Tecnologia representava R$ 7 bi; em 2017 caiu para R$ 3,7 bi e tende a cair para R$ 2,5 bi no ano que vem, enquanto países como a Coréia do Sul e Israel aplicam 4% do PIB em Ciência e Tecnologia", declarou.

Azuaite frisou que "ciência e tecnologia é a verdadeira liberdade do país; uma nação hoje só é livre se dominar ciência e tecnologia".  E fez referência a artigos publicados na última terça-feira pela "Folha de S.Paulo", nos quais o cientista Rogério Cezar Cerqueira Leite, o publicitário Nizan Guanaes e a pesquisadora Ligia Veiga Pereira abordam o desestímulo aos pesquisadores do país e a fuga de cérebros ocasionada pela escassez de recursos para a pesquisa no Brasil.

DESEMPENHO ESCOLAR

Na primeira parte de seu pronunciamento, o vereador analisou os indicadores de desempenho escolar no município, observando que "o ensino no Ciclo I de ensino fundamental é de muito bom nível e cai vertiginosamente no Ciclo II e no ensino médio, onde as maiores notas não ultrapassam a média 5".

Em sua opinião, "a democratização do conhecimento, o ensino para todos desde a pré-escola até a universidade é truncado e temos que superar isso com nosso esforço".  O vereador ressalta a importância da destinação de recursos, mas aponta exemplos de municípios pobres que conseguiram avanços em educação, casos de Dores do Turvo, com apenas 4.516 habitantes, Zona da Mata, cidade com o melhor desempenho em um balanço de nove anos da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, Eurinepé, a 2.200 km de Manaus, citada em livro pela jornalista Miriam Leitão como a cidade que obteve nota 2,7 no INEB de 2005 e saltou para a nota 8,7 em 2009.

Azuaite ressaltou que os bons resultados decorrem "não do desempenho de um ou dois alunos brilhantes, mas do esforço de uma cidade que acreditou na educação". A seu ver, "falta em São Carlos a conscientização de que a educação não é responsabilidade da escola, mas não exclusivamente, é também responsabilidade do estado, da família e dos professores".

"A liderança dos dirigentes, dos políticos, a cobrança atenta da família são fundamentais para que a escola vá bem e seja a chave da transformação do país e capaz de tirar a cidade do atraso para ser de fato a Capital da Tecnologia", declarou.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias