Menu
domingo, 18 de abril de 2021
Cidade

Suicídios aumentam em São Carlos; maioria dos casos são jovens

Último levantamento, realizado no ano de 2013, aponta que dez pessoas tiraram a própria vida

18 Set 2017 - 07h10
Foto: Marcos Escrivani - Foto: Marcos Escrivani -

No mundo, uma morte a cada segundo em 2016, o que totaliza um milhão de suicídios. No Brasil, no mesmo ano, 2.980 mortes (média de uma a cada 45 minutos). A maioria das ocorrências, no Estado de São Paulo (60% dos casos). Os números assustam.

Em São Carlos, o último levantamento que se tem notícia ocorreu em 2013. Na época, estatísticas apontavam que para cada 100 mil habitantes, uma incidência de 5,09% de suicídios, o que correspondeu, naquele ano, algo em torno de 10 mortes.

A apreensão aumenta ainda mais se levar em conta, comparativamente, levantamentos feitos em 2002 e 2013, quando houve um aumento de 10% de pessoas que tiraram a própria vida.

As tristes estatísticas foram fornecidas ao São Carlos Agora pela psicóloga Bianca Gianlorenço, 36 anos, em entrevista exclusiva. Segundo ela, as mortes por suicídio ocorreram em sua maioria, envolvendo jovens.

"O que leva a pessoa tirar a própria vida? Acredito que questões econômicas, fatores sociais, relações familiares e amorosas e transtornos mentais", esclareceu.

IMPERCEPTÍVEL

De maneira pausada e esclarecedora, Bianca disse que dificilmente a família percebe que alguém que vive na mesma casa passa por problemas que culminam em suicídio ou uma tentativa. "Existem três fases depressivas: leve, moderada e crônica. Mas todas têm tratamento", disse.

Segundo ela, a maioria dos casos envolvem jovens de 15 a 29 anos. "Nesta faixa etária, as mulheres tentam mais contra a própria vida (3,2%), mas não consumam a tentativa. Ao contrário dos homens, que consumam o ato trágico (1,19%)".

Ainda segundo a psicóloga, adultos até aos 30 anos, também tentam conta a própria vida de forma assustadora. A incidência de casos cai bastante até os 45 anos. Dos 45 aos 50 há um novo aumento nos casos. Nos idosos, as tentativas são bem pequenas.

FATORES

Sobre os motivos que levam as pessoas a tirarem a própria vida, Bianca elencou alguns fatores já comprovados pela medicina:

"O primeiro lugar é a depressão velada, uma doença que pode até ter fator genético e está até aliado ao estilo de vida da pessoa. Algo que ocorre ao longo do tempo. Existem casos que é confundida com a tristeza", explicou.

Outros casos que levam a tentativa de suicídio são os transtornos mentais, abuso do álcool, uso de entorpecentes, violência sexual e doméstica.

Segundo a psicóloga a maioria dos casos acontece motivada também por famílias desestruturadas e a subjetividade dos jovens".

Bianca disse que, em todos os casos, há a necessidade de ajuda terapêutica. "É importante identificar os fatores que levaram a pessoa tomar tal atitude e através de medicação, buscar tratamento. Mas o diálogo também é importante", salientou.

SETEMBRO AMARELO

Com o intuito de conscientizar e prevenir o suicídio, em 2015 foi criado em Brasília/DF o Setembro Amarelo. A campanha é feita em parceria com o Centro de Valorização da Vida (CVV), que possui hoje 2 mil voluntários que atuam 24h em 70 cidades brasileiras, inclusive São Carlos (fone 3361-4111). O fone nacional é 141.

Em São Carlos, um grupo de 300 voluntários trabalha desde 2016 realizando encontros e procurando orientar as pessoas.

Este mês já foi realizado uma mobilização no centro de São Carlos e voluntários com cartazes, panfletos e faixas procuraram orientar e prevenir as pessoas sobre o suicídio.

"Estaremos na segunda quinzena realizando uma segunda mobilização. É importante orientar o maior número de pessoas para que ninguém tente contra a própria vida", finalizou Bianca.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias