quarta, 29 de maio de 2024
Cidade

Roselei pede informações a respeito do transporte escolar de alunos da educação especial

18 Ago 2015 - 15h39
Foto: Assessoria de Imprensa CMSC/Thiago Jacot - Foto: Assessoria de Imprensa CMSC/Thiago Jacot -

O vereador Roselei Françoso (PT) protocolou nesta terça-feira (18) requerimento pedindo informações à Prefeitura de São Carlos sobre o transporte escolar de alunos da educação especial. 

Segundo o parlamentar, seu gabinete recebeu inúmeras reclamações de pais de alunos a respeito da falta do transporte adaptado das crianças até as suas escolas, inclusive da APAE. Também, foi informado que faltam motoristas e monitores para realização do serviço, por essa razão, algumas linhas que englobam os bairros Varjão, Rural, Samambaia, Santa Felícia e região ficaram prejudicadas, pois o transporte não estaria mais autorizado a buscar as crianças nessas localidades.

Roselei afirma que “a Secretaria Municipal de Educação de São Carlos, conta hoje com cinco ônibus adaptados para realizarem esse transporte especial, além de estarem previstos outros dois a serem recebidos este ano, oriundos de convênio com o Governo Federal. Portanto, o problema não está na falta de veículos. Também, em visita a garagem verificou-se que há motoristas disponíveis para o serviço. Assim, este também não seria o problema para essa questão. Considerando que em que pese os esforços da Secretaria Municipal de Educação em resolver o problema, o qual reconhecemos, não houve sensibilidade de outros segmentos e secretarias da Prefeitura para viabilizar esse transporte”.

Dessa forma, o vereador questiona no documento a estrutura deste serviço, perguntando a quantidade de motoristas e monitores para fazer o transporte e acompanhamento da educação especial, a quantidade de alunos atendidos pelo transporte especial, bem como, a razão da suspensão pelo Executivo das linhas “mistas” do serviço de transporte escolar para educação especial nos bairros citados. Roselei ainda questiona se os pais de alunos, professores e APAE que utilizam do transporte especial foram comunicados previamente sobre essa paralisação. 

“Todos tem direito à educação. É preciso observar qual a necessidade da pessoa portadora de deficiência no caso concreto para verificar qual sua necessidade de transporte especial para chegar à escola”.  Roselei requer a apresentação de uma alternativa proposta pela Secretaria de Educação para garantir o direito dessas crianças de frequentarem a escola e questiona quando a situação será efetivamente normalizada. 

Leia Também

Últimas Notícias