Menu
segunda, 20 de setembro de 2021
Cidade

Projeto entre UFSCar e MIT desenvolve programas a partir do senso comum

Pesquisadores criam softwares mais adaptados à realidade dos usuários

28 Set 2010 - 19h20

Um projeto desenvolvido em parceria entre o Laboratório de Interação Avançada (LIA) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) com o MediaLab do Massachusetts Institute of Tecnology (MIT) dos EUA quer transformar computadores mais inteligentes desenvolvendo programas a partir do senso comum dos usuários.

Denominado Open Mind Common Sense, o projeto tem como porta de entrada o site www.sensocomum.ufscar.br, aberto a qualquer pessoa interessada em colaborar com os trabalhos. Os usuários são convidados a participar de brincadeiras e jogos periódicos. A partir dos dados coletados, os pesquisadores desenvolvem softwares mais adaptados à realidade dos usuários. “A proposta é coletar informações do senso comum para deixar as máquinas mais inteligentes”, explica Junia Coutinho Anacleto, responsável pelo projeto.

A ideia é fazer o visitante contar coisas do cotidiano e como ele trabalha com as várias atividades do dia a dia. O internauta não se identifica, mas oferece alguns dados importantes para as pesquisas como cidade, região do país, entre outros. “Estamos interessados no perfil da comunidade do nosso internauta”, esclarece Junia.

A UFSCar é a única instituição brasileira a participar do projeto, que começou no país em 2004. Até agora já foram desenvolvidos vários softwares, como o Family Sense. O programa é uma ferramenta para os terapeutas e procura aproximar país e filhos por meio de jogos interativos. “O uso de informações para as cartas do jogo vem da base do senso comum conforme as regiões brasileiras”, conta a pesquisadora.

A equipe do LIA desenvolve atualmente um software que busca pessoas com as mesmas afinidades culturais do internauta. O programa é uma ferramenta para sites de relacionamento. “A proposta é juntar as pessoas por meio do senso comum”, avisa Junia.

Na área de Educação, a equipe desenvolveu o Planejamento de Ações de Aprendizagem Baseados em Computadores, denominado PACO-T, uma ferramenta para os professores planejarem ações utilizando tecnologia. Outro programa na área é o jogo O que? O que é?, que traz jogos a partir dos temas transversais do currículo escolar proposto pelo Ministério da Educação para o ensino básico e médio.

Todos os programas são gratuitos e podem ser baixados do site do LIA. A pesquisadora Junia Coutinho Anacleto tem doutorado em Física Aplicada pela Universidade de São Paulo, foi professora visitante no media lab - MIT (2006-2007) e atualmente é professora associada da Universidade Federal de São Carlos.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias