sexta, 23 de fevereiro de 2024
Cidade

Prefeitura realiza censo de animais

13 Jul 2010 - 12h10Por Redação São Carlos Agora

Vivem em São Carlos 220,4 mil pessoas, segundo IBGE de 2009. E animais? A Prefeitura de São Carlos tem um levantamento que é feito a cada dois anos. Em 2008, entre cães e gatos, a cidade tinha 40.380 animais vivendo em residências.

O Censo de Animais 2010 da Prefeitura de São Carlos está em andamento e já percorreu cerca de 40% da cidade. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é que o levantamento termine até novembro deste ano.  O censo é realizado pelos Agentes de Endemias da Prefeitura.

Um questionário é apresentado para os donos dos animais, especificamente de cães e gatos devido à relação direta que eles têm com as pessoas. O objetivo é levantar informações sobre espécies, números de animais existentes em cada casa, se são cadastros, entre outras perguntas. Os animais que vivem livres, sem donos, não são contabilizados.

O levantamento feito pela Prefeitura aponta o número mais próximo do real. A população animal também é estimada pelo Instituto Pasteur, responsável pela coordenação da vacinação contra a raiva.

Segundo o chefe da Divisão de Zoonoses da Prefeitura, Guilherme Marrara, o censo também proporciona dados sobre o número de animais nos bairros. “Sabendo os bairros com maior número de animais, podemos trabalhar a profilaxia de doenças e ter uma maior organização para a Campanha de Raiva. Além de sabermos os bairros que necessitam mais urgentemente de campanhas de castração a baixo custo”, declara.

Através deste trabalho, o Controle de Zoonoses tem um mapa da cidade de forma a facilitar o trabalho de vacinação, castração e saúde pública vinculados a estes animais.

Política Pública

Desde 2001, a Prefeitura não utiliza mais a carrocinha, veículo que é sinônimo de violência e extermínio de animais, optando pelo investimento na educação e conscientização da população por meios de programas que incentivem a posse responsável de cães e gatos, controle populacional baseado na esterilização cirúrgica e definitiva desses animais, além do recolhimento seletivo, bem como a responsabilização dos proprietários.

O primeiro passo para que esses programas fossem implantados foi a aprovação da Lei Municipal nº 13.224, que autorizou o poder público a firmar convênios com entidades de proteção animal e com clínicas veterinárias. A partir daí começaram a ser desenvolvidos os programas Castração a Baixo Custo e Castração Gratuita.

Leia Também

Últimas Notícias