Menu
terça, 22 de setembro de 2020
Aprendizado

Na computação da USP São Carlos, alunos fazem até programa de rádio

Grupo de estudantes não imaginava é que também teria a inusitada experiência de construir um programa para uma rádio educativa

16 Ago 2018 - 14h05Por Denise Casatti
Gravação do episódio que teve como tema a conscientização sobre a presença feminina no mundo dos games. Ouça o resultado: icmc.usp.br/e/807df - Crédito: Reinaldo MizutaniGravação do episódio que teve como tema a conscientização sobre a presença feminina no mundo dos games. Ouça o resultado: icmc.usp.br/e/807df - Crédito: Reinaldo Mizutani

A notícia de que alunos de computação da USP estão criando programas não é novidade já que, quando um estudante começa a fazer computação, o que se espera é que ele aprenda a programar. Mas além de desenvolver programas de computador, um grupo de alunos do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, também está aprendendo a fazer programas de rádio.

Divulgar a ciência dos jogos eletrônicos é o objetivo desses estudantes que, desde janeiro, frequentam rotineiramente os estúdios da Rádio UFSCar (95,3 FM), uma emissora educativa da Universidade Federal de São Carlos. É claro que uma emissora é um ambiente propício para encontrar estudantes de comunicação, mas não de computação. Toda vez que pensamos em um aluno da área de ciências exatas, vem a velha imagem estereotipada de alguém que vive imerso no mundo da tecnologia e pouco se comunica com as pessoas que estão ao redor. Mas quem escuta um dos episódios do programa Por Trás dos Controles tem a oportunidade de conhecer um lado pouco conhecido desses estudantes: a capacidade que eles podem ter de se comunicar, de divertir os ouvintes e de transmitir valiosas informações usando a criatividade.

“Quando eu fui fazer uma entrevista de emprego, falei que participava do grupo de desenvolvimento de jogos Fellowship of the Game, que tinha ajudado a criar o Por Trás dos Controles e que estava dirigindo esse programa de divulgação científica. O entrevistador ficou impressionadíssimo”, conta Gustavo Moura. Estudante do curso de Sistemas de Informação no ICMC e programador do Por Trás dos Controles, Gustavo conta que o entrevistador imediatamente falou: “Nossa, você é alguém engajado em divulgar a ciência! Isso é muito bom! Muita gente fala que quem trabalha com computação não sabe se expressar, não sabe falar”. Para o estudante, o fato de atuar em uma área muito técnica leva muitos especialistas a terem dificuldade de explicar um conceito. “Aprender a usar uma linguagem simples para falar com uma avó, uma tia que está ouvindo o programa no rádio, de forma que qualquer pessoa possa compreender, faz a gente aprimorar nossa capacidade de se comunicar no momento de dar uma aula, dar uma palestra”, ressalta Gustavo.

Ter a oportunidade de aprender a transmitir melhor as ideias para os outros também foi um dos principais aprendizados obtidos por Leonardo Pereira: “Na rádio, a gente tem que falar de um jeito que o público em geral vai entender. Eu não posso usar um jargão que estou acostumado, uma terminologia da área de jogos ou do ambiente acadêmico. Então, você começa a se policiar em relação ao uso desses termos técnicos”. Ele faz mestrado no ICMC e contribuiu com a elaboração de vários roteiros do Por Trás dos Controles, gravou alguns quadros do programa e também foi um dos entrevistados. “Eu sempre quis participar de algo assim, até hoje eu tenho o sonho de criar um canal no Youtube para falar de game design. Sempre gostei de dar aula e falar na rádio é como dar aula para infinitas pessoas”, revela.

Selecionado na 4ª chamada pública da Rádio UFSCar, o programa tem 30 minutos de duração e foi proposto pelo grupo de desenvolvimento de jogos Fellowship of the Game (FoG), vinculado ao ICMC. A iniciativa é coordenada pelo professor Cláudio Motta Toledo.

UM PROGRAMA BINÁRIO

A dupla de locutores do Por Trás dos Controles têm uma dinâmica própria. “Eu acho que isso funciona bem porque cada um de nós tem características bem definidas e diferentes, é mais fácil nos distinguir. Esse contraste dá a magia dos programas e traz uma dinâmica legal para o jogo”, conta Willian Leodegario, mais conhecido como Binário.

Aos 19 anos, ele é um dos locutores do programa e faz Engenharia de Computação na USP, curso que é oferecido pelo ICMC em parceria com a Escola de Engenharia de São Carlos. O outro locutor do programa é Rodrigo Geurgas, estudante de Ciências de Computação que também atende pelo nome de Cléber. Eles são os dois elementos opostos que dão voz ao Por Trás dos Controles: enquanto Binário é extrovertido, fala alto e brinca o tempo todo; Rodrigo é mais introspectivo, fala menos e quase não faz piadas.

Binário aceitou o desafio de se tornar locutor porque viu no programa uma oportunidade para desenvolver mais suas habilidades de se comunicar, de expressar ideias e mostrar confiança na fala. Além disso, no “caderninho de objetivos aleatórios” de Binário, havia o item “aprender a se apresentar bem”. A ideia do estudante é empregar os aprendizados no canal que tem no Youtube, chamado Leidan Zone, em que aborda o universo dos jogos eletrônicos. “Na locução, você tem o roteiro com uma ideia para passar e precisar saber como interpretar aquele texto. Aprende também a tomar a frente de um programa, de uma apresentação”, diz. Ele sabe que ser um aluno USP já é um diferencial, mas que não pode se restringir a isso: “Na minha turma tem 50 alunos, então, serão 50 pessoas se formando em Engenharia de Computação. Eu tenho que ter um diferencial além disso.”

Outra lição que Binário teve com a experiência na rádio está relacionada a equilibrar melhor o tempo entre os estudos e as atividades extras. “Eu prezo muito a versatilidade. Quero saber um pouco de tudo para poder me virar bem: aprender a desenvolver jogos, a divulgar como se faz um game, a me apresentar melhor.” O estudante finaliza contando a sensação que tem quando está no estúdio: “É muito divertido, é muito bom, é completamente diferente de estar no meu quarto gravando. Tem uma equipe apoiando e a estrutura do programa é séria. Ao mesmo tempo, tem toda uma pressão, mas quando você vê que dá certo, é uma sensação incrível. Você sente que está fazendo parte de uma coisa maior, ajudando a tocar para frente um projeto muito legal, que tem tudo para continuar. É uma sensação maravilhosa.”

Uma sensação que os ouvintes podem sentir quinzenalmente, às segundas-feiras, ao sintonizarem a Rádio UFSCar (95,3 FM) às 21 horas. Os nove programas da primeira temporada do Por Trás dos Controles também estão disponíveis no Podcast da Rádio e no canal do Youtube do programa. Na última segunda, 13 de agosto, começou a segunda temporada. O próximo programa vai ao ar dia 27 de agosto, basta entrar no jogo e curtir.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias