Menu
domingo, 13 de junho de 2021
Cidade

Mulheres submetidas a cirurgia de câncer de mama tem tratamento gratuito

Podem participar mulheres que foram ou serão submetidas à remoção do tumor e esvaziamento axilar

23 Jul 2015 - 19h31
0 - 0 -

Uma pesquisa realizada no Laboratório de Plasticidade Musculoesquelética do Departamento de Fisioterapia (DFisio) e na Unidade Saúde Escola (USE), ambas da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), analisa as alterações de movimentos dos ombros e membros superiores em mulheres que foram ou serão submetidas à cirurgia para o tratamento de câncer de mama. Os estudos são conduzidos pela aluna de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da UFSCar, Ivana Leão, sob orientação da professora Tania de Fátima Salvini, docente do DFisio.

O tratamento cirúrgico de câncer de mama envolve a remoção do tumor e, conforme o grau de evolução da doença, também ocorre o esvaziamento axilar, que consiste na retirada dos gânglios linfáticos para evitar a propagação do tumor. Os gânglios fazem parte do sistema imunológico e estão envolvidos na resposta contra antígenos circulantes na linfa, sendo localizados não só nas axilas, mas também no pescoço, virilhas, tórax e cavidade abdominal. "No membro o qual é feito o esvaziamento axilar as defesas para infecções são prejudicadas e, assim, o membro fica vulnerável à edemas, infecções e à limitação do movimento", complementa a pesquisadora.

Ivana explica que existem poucos estudos que relacionam as consequências do esvaziamento axilar na movimentação dos membros superiores. "Só há um estudo publicado que avaliou a cinemática da escápula em mulheres antes e após o tratamento cirúrgico do câncer de mama. No entanto, não utilizou um grupo de controle saudável para fundamentar os resultados obtidos. Assim, com esse estudo, espera-se fornecer informações sobre a biomecânica do ombro de mulheres após a cirurgia de câncer de mama e submetidas a um programa padronizado e reprodutível de fisioterapia, particularmente em relação aos padrões de movimentos da escápula e função dos membros superiores, com objetivo de subsidiar a reabilitação do movimento do ombro nesse quadro clínico", afirma a doutoranda.

 

O objetivo principal da pesquisa realizada por Ivana é avaliar as possíveis alterações do movimento tridimensional da escápula durante a elevação do braço em mulheres após o tratamento cirúrgico do câncer de mama e submetidas a um programa padronizado de intervenção fisioterapêutica, além de avaliar a dor, função dos membros superiores e a qualidade de vida. Para a elaboração dos estudos serão avaliadas 25 mulheres com diagnóstico clínico de câncer de mama. Serão realizadas duas avaliações pré e pós cirúrgicas. O tratamento fisioterapêutico para o membro superior é composto por mobilização passiva das articulações glenoumeral e escapular, massagem cicatricial, drenagem linfática e exercícios de alongamento e ativos livres, além de exercícios de fortalecimento e alongamentos ativos livres.

Podem participar mulheres com idade superior a 18 anos, que foram ou serão submetidas a qualquer tipo de cirurgia de tratamento para câncer de mama com esvaziamento axilar, única ocorrência de câncer de mama, não apresentar linfedema (acumulo de líquido no braço ou na perna devido ao bloqueio do sistema linfático) e capacidade de levantar os braços acima da cabeça. As avaliações, os tratamentos e as orientações fisioterápicas são gratuitas.

Interessadas em participar das avaliações podem entrar em contato pelo telefone (16) 3351-8345 ou pelos emails ivanaleao@gmail.com ou angel_vianaferrari@hotmail.com.

 

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias