segunda, 22 de abril de 2024
Saúde particular

Mãe acusa Hapvida/São Carlos de negligência em caso de menina com síndrome nefrótica

Menina de 9 anos passou três vezes pelo pronto-atendimento e segundo a mãe, não descobriram o que realmente a filha tinha.

02 Abr 2024 - 15h16Por Da redação
Mãe acusa Hapvida/São Carlos de negligência em caso de menina com síndrome nefrótica - Crédito: arquivo pessoal e Google Maps Crédito: arquivo pessoal e Google Maps

Silmara Nogueira, moradora de São Carlos, entrou em contato com o portal São Carlos Agora para denunciar o atendimento prestado pelo convênio Hapvida (antigo São Francisco) à sua filha de 9 anos.

Segundo Silmara, na manhã de sábado (23/03), levou a filha ao pronto-atendimento do Hapvida, perto da Santa Casa, pois a garota apresentava inchaço nas pernas, rosto e várias manchas pelo corpo. Emanuelly Fernandes Monteiro teria recebido um diagnóstico de alergia e o médico teria receitado antialérgicos. Sem melhora, a mãe retornou com a filha até o pronto-atendimento no período da noite, quando novos exames detectaram infecção urinária e eliminação de proteínas. Desta vez  foi receitado antibiotíco.

Emanuelly retornou para casa e como não apresentou melhoras, a mãe resolveu levá-la novamente no pronto-atendimento do convênio no domingo. De novo foram feitos exames que apresentaram o mesmo resultado que o realizado no dia anterior. 

De acordo com a mãe, a médica disse que a filha estava com suspeita de Chikungunya, contudo, não sabia a causa do inchaço e teria pedido para ela procurar a Santa Casa, mas teria se negado dar uma carta de encaminhamento, pois a paciente teria plano de saúde. 

A mãe questionou a médica sobre internar a filha para averiguar melhor o caso, mas a profissional teria dito que não havia motivos para internação e pediu para continuar administrando antibióticos.

Além de inchaços, Emanuelly apresentava várias manchas pelo corpo.  

Silmara contou que retornou para casa somente no final da noite de domingo. Na manhã seguinte ela acordou e percebeu que Emanuelly continuava a apresentar inchaços e manchas pelo copo. Preocupada, procurou a UPA do bairro Cidade Aracy, onde foi a garota foi atendida e rapidamente transferida para o Hospital Universitário (HU-UFSCar), onde precisou ser internada. "Minha filha não estava aguentando nem andar", disse a mãe. 

Já no HU, segundo a mãe, os médicos descobriram que a filha estava com celulite infecciosa na perna e síndrome nefrótica, uma doença que afeta os rins. 

"Se eu tivesse feito o que os médicos da Hapvida mandaram, o que teria acontecido com a minha filha?", questiona Silmara. A paciente recebeu alta do Hospital Escola nesta terça-feira (2).

A mãe também fez questão de agradecer a equipe do HU. "Agradeço a equipe que teve toda atenção e paciência".

O São Carlos Agora entrou em contato com a assessoria de imprensa da Hapvida e aguarda um posicionamento. Assim que tivermos um retorno, essa publicação será atualizada. 

Leia Também

Últimas Notícias