sexta, 12 de abril de 2024
Cidade

Hemodinâmica completa 15 mil procedimentos cardíacos na Santa Casa de São Carlos

23 Mar 2015 - 09h28
Da esquerda para a direita estão os médicos João Orávio de Freitas Jr, Said Assaf Neto e Sérgio Berti - Da esquerda para a direita estão os médicos João Orávio de Freitas Jr, Said Assaf Neto e Sérgio Berti -

O número reflete o investimento da instituição em tecnologia de ponta com equipamentos que trazem agilidade e segurança nos procedimentos médicos

O serviço de Hemodinâmica da Santa Casa de São Carlos completou nesta sexta-feira, 20, 15 mil procedimentos em coração, sendo 10 mil cateterismos e 5 mil angioplastias coronárias. O número reflete o investimento da instituição em tecnologia de ponta com equipamentos que trazem segurança nas intervenções cirúrgicas.

O cateterismo, por exemplo, que é um exame diagnóstico que serve para avaliar, principalmente, as artérias coronárias é realizado por meio da inserção de um fino tubo plástico (chamado de cateter) nos vasos sanguíneos das pernas ou dos braços que são guiados até o coração por um equipamento especial de raios-X. Quando o cateter alcança o coração o médico realiza testes e injeta uma solução de contraste que é filmada também pelo aparelho de raio X.

Após o procedimento o médico retira o tubo plástico do corpo do paciente e aplica pressão ou sutura para prevenir sangramento no local. Há a necessidade de se repousar no hospital por algumas horas, mas existe a possibilidade de o paciente ir para casa no mesmo dia.

“Este procedimento é muito pouco invasivo, o que não gera desconforto ao paciente”, relatou o médico cardiologista Sérgio Berti, coordenador do serviço de Hemodinâmica ao lado dos médicos João Orávio de Freitas Jr e Said Assaf Neto. 

O setor também mostra excelência nas angioplastias, também conhecida como intervenção coronária percutânea é um procedimento que utiliza um tubo flexível plástico com um balão na extremidade para dilatar estreitamentos em artérias do coração. Este procedimento também inclui a colocação de uma prótese conhecida como stent para manter a abertura das coronárias. “Desta forma a angioplastia ajuda a restaurar o fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco”, afirmou Berti.

Inicialmente, a hemodinâmica entrou em atividade na Santa Casa em junho de 2001 atendendo apenas pacientes de convênios. “Em outubro de 2002 fomos credenciados pelo SUS, permitindo que toda população tivesse acesso a esta tecnologia. Nestes 14 anos, não tivemos nenhum caso de cirurgia de urgência, em decorrência de complicações nos procedimentos”,

A equipe se mostra satisfeita com os resultados alcançados na trajetória e projeta novos desafios com a inclusão de procedimentos modernos no tratamento de doenças cardíacas, principalmente, as congênitas.

De acordo com Berti, desde o início atendeu-se um grande número de pacientes em situações graves, como, por exemplo, o infarto agudo do miocárdio com ótimos resultados. “O infarto do miocárdio, geralmente, se manifesta com forte dor no peito, causada pelo entupimento de uma artéria coronária que impede a passagem do sangue para uma determinada região do coração”, explicou.

Os médicos coordenadores do serviço de hemodinâmica foram unânimes em dizer que, quanto mais rápido o paciente procura atendimento médico, maiores são as chances de salvar o músculo do coração que está em sofrimento. “Contribuiu muito para os bons resultados, o fato da nossa equipe estar disponível 24 horas, ter profissionais qualificados desde o primeiro atendimento e Unidades de Terapia Intensiva com especialistas nessa área”, relatou João Orávio. 

Além do coração, são analisados e tratados os vasos de diversas regiões do corpo. Os médicos vasculares, Samir Hamra, Bruno Di Bernardo, Daniel Fonseca Vasconcelos, realizaram mais de 3,5 mil procedimentos periféricos neste período, alguns de alta complexidade, como endopróteses de aorta e embolização de tumores.

Outro campo de atuação do setor de hemodinâmica é no diagnóstico e tratamento das arritmias cardíacas. O médico Fernando Porto que é coordenador do Departamento de Arritmia da PUC - Campinas e sua equipe vem realizando os procedimentos na Santa Casa desde 2008.

O serviço de Hemodinâmica projeta a compra de um novo equipamento similar ao que está instalado no setor. A perspectiva é ampliar o número de procedimentos para atender a demanda crescente de pacientes da cidade e região.

Leia Também

Últimas Notícias