Menu
terça, 20 de outubro de 2020
Saúde

Em São Carlos, pacientes com Parkinson se aproximam da natureza

Atividade integra projeto de extensão que mantém uma horta terapêutica na USE da UFSCar

03 Jul 2018 - 13h40Por Redação
Em São Carlos, pacientes com Parkinson se aproximam da natureza - Crédito: USE/UFSCar Crédito: USE/UFSCar

Ressignificar práticas de saúde e fortalecer a cultura popular em saúde. Com esses objetivos, a Linha de Cuidado em Neurologia da Unidade Saúde Escola (USE) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) promoveu a oficina "Visite nossa horta e usufrua do contato com a natureza", junto ao grupo "Amigos do Parkinson", composto por pacientes atendidos na Unidade.

A oficina integra o projeto de extensão "USE sua horta: ciranda dos sabores, aromas e cores", coordenado por Tania Sega Rosseto, terapeuta ocupacional, e Neli Aparecida Sugimoto, técnica de Enfermagem. A partir do projeto, foi construída, na área externa do Bloco II da USE, uma horta com ervas terapêuticas, aromáticas e condimentares, voltada para pacientes, alunos, servidores docentes e técnico-administrativos e funcionários terceirizados da Unidade. 

A horta é uma ferramenta de prática integrativa em saúde, alinhada às políticas nacionais de Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Único de Saúde (SUS), de Educação Popular e Saúde, também no âmbito do SUS, de Humanização e ao Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. "Estamos alinhados com as políticas que compõem os princípios estruturantes da própria USE, além de seguirmos na direção de ampliar as terapias ofertadas aos usuários", destaca Sugimoto, explicando que a manutenção da horta conta com a participação da comunidade da Unidade.

Para a técnica em Enfermagem, a horta tem um papel importante nas ações realizadas na USE. "Contribui para a emancipação e autonomia dos sujeitos, o cuidado integral em saúde, proporciona um serviço de saúde mais humanizado, bem como estreita o diálogo do usuário e seus familiares com a Unidade, tornando a relação mais horizontal", afirma ela. Além disso, a construção da horta é uma forma de resgatar a cultura popular relacionada ao uso das ervas, de organizar, divulgar e ensinar a aplicabilidade da terapêutica popular.

Thiago Russo, docente do Departamento de Fisioterapia (DFisio) da UFSCar e coordenador da Linha de Cuidado em Neurologia, explica que o grupo "Amigos do Parkinson" é formado por usuários atendidos pelo serviço de Fisioterapia Neurológica e Psicologia da USE. Os usuários são portadores de Parkinson - doença degenerativa crônica do sistema nervoso central que afeta principalmente a coordenação motora - e as ações do grupo têm enfoque na socialização, prevenção de complicações e potencialização das atividades do dia a dia. Nesse contexto, Sugimoto defende que "a experiência sensorial proporcionada pelas ervas terapêuticas, aromáticas e condimentares da horta amplia as possibilidades de tratamento e permite ao paciente o contato com os mais variados sabores, cheiros, texturas, formas e cores presentes na diversidade das plantas".

Durante a oficina, além de conhecerem as espécies de ervas que compõem a horta da USE, os usuários degustaram chá de capim-limão, conhecendo seus benefícios, e fizeram o plantio de mudas de cebolinha em vasos que puderam levar para cuidarem em casa. Além da oficina, outras atividades também integram o projeto de extensão, como visitas guiadas à horta terapêutica; recebimento de doações de mudas, sementes, terra vegetal etc. para manutenção da horta; grupos de trabalho e eventos científicos voltados para a divulgação técnica, acadêmica e científica das atividades da horta para a comunidade da UFSCar.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias