quarta, 29 de maio de 2024
Enchentes

Comerciantes se reúnem na Acisc e cobram celeridade em obras emergenciais

04 Fev 2020 - 13h22Por Redação
Comerciantes se reúnem na Acisc e cobram celeridade em obras emergenciais - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Em reunião realizada no auditório da Acisc (Associação Comercial e Industrial de São Carlos), na noite desta segunda-feira, 3, comerciantes se mostraram angustiados e cobraram celeridade da Prefeitura de São Carlos na efetivação de obras emergenciais para recuperação de ruas e calçadas na Baixada do Mercado Municipal.

A reunião contou com a presença de representantes da Prefeitura, Saae, vereadores, Acisc, Sincomercio e outras entidades, que discutiram as medidas que vêm sendo tomadas em questão das enchentes que castigaram a cidade no início de janeiro.

O presidente da Acisc, José Fernando Domingues, o Zelão, fala sobre o encontro. “Vimos o auditório cheio e com muita gente insatisfeita, cobrando obras emergenciais em calçadas para o simples trânsito de pedestres, sem que tenham que andar nas ruas, dividindo espaços com automóveis”, contou. “A gente vem solicitando da prefeitura agilidade e quais os planos que devem ser executados, porém, nunca se tem uma previsão”, afirmou.

A comerciante Ana Paula Silveira ressaltou que fechará sua loja no próximo mês. “A gente está caminhando para fechar. Vamos entregar o ponto até o fim do mês”, contou. Ela ressaltou que está operando com 10% da sua capacidade. “Porque temos funcionários para pagar. Ainda não mandei ninguém embora”, afirmou.

Uma nova reunião ficou de ser agendada entre o Executivo, Legislativo, Acisc, Sincomercio e alguns representantes do comércio. “Dependemos de agendas para que possamos conversar com a Prefeitura e a Câmara Municipal, para tomarmos outras medidas, solicitando para que eles nos atendam. O que nossos comerciantes estão pedindo é o mínimo: que sejam arrumados alguns locais deteriorados na área comercial para que nosso comércio tome vida novamente, bem como, as ações de contingência, as bacias de retenção e todo o projeto estrutural, para que isso não volte a acontecer, comece a ser executado efetivamente”, finalizou Zelão.

Participaram da reunião os presidentes José Fernando Domingues (da Acisc), Paulo Gullo (Sincomercio), Benedito Marchezin (Saae), Lucão Fernandes (Câmara Municipal) e André Fiorentino (Condusc); além dos secretários municipais João Muller (Habitação e Desenvolvimento Urbano) e Walcinyr Bragatto (Emprego e Renda); os vereadores Cidinha do Oncológico, Rodson Magno e Azuaite Martins; e o vice-prefeito Giuliano Cardinalli.

As enchentes dos dias 4 de 12 de janeiro causaram um prejuízo de aproximadamente R$ 5 milhões aos comerciantes da cidade. Dos 123 estabelecimentos atingidos [segundo levantamento da Defesa Civil], seis lojas permanecem com suas portas fechadas e outras estão em reformas. Funcionários trabalham para reconstruir a pavimentação asfáltica da rua Episcopal, que permanece interditada.

Leia Também

Últimas Notícias