terça, 23 de abril de 2024
Polícia

Rixa antiga teria motivado a morte de Elvis no Antenor Garcia

Acusado disse que estava sendo ameaçado pela vítima.

27 Mar 2015 - 09h06
Cristian teve prisão temporária decretada pela Justiça. - Cristian teve prisão temporária decretada pela Justiça. -

Na tarde desta quinta-feira (26), após uma denúncia anônima, policiais militares detiveram no largo Santa Cruz região central de São Carlos um servente de pedreiro que foi apontado como sendo a pessoa que teria assassinado pela madrugada com um tiro o ex-presidiário Elvis de Oliveira Pereira, 25, no bairro Antenor Garcia.

POLÍCIA MILITAR

O servente de pedreiro Cristian Lucas da Silva, 22, acompanhado da esposa I.V.S., carregando um filho de 10 meses nos braços, estava no cruzamento da avenida São Carlos com a rua Bento Carlos, na região central de São Carlos tentando apanhar um coletivo que os levariam para o terminal rodoviário, onde pretendiam embarcar para a cidade de Matão, onde ele se esconderia. Rapidamente uma viatura da PM esteve na praça e conseguiu deter o casal que também carregava uma bolsa com algumas roupas pessoais. Detido, Cristian negou o crime, bem como negou que deixaria o município e ao ser revistado nada de anormal foi localizado. Diante da denúncia os PMs encaminharam o casal ao prédio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG),  e o acusado foi apresentado ao delegado Gilberto de Aquino.

POLÍCIA CIVIL

O delegado Gilberto de Aquino determinou que o casal fosse separado e ao ser novamente indagado sobre a morte de Elvis, o servente de pedreiro voltou a negar o crime dizendo que estaria em casa dormindo com a família. A esposa de Cristian, em conversa com os policiais acabou informando que o casal estaria sim seguindo para residência de uma avó na vila São José em Matão e que o esposo teria saído de casa pela madrugada.

Diante desta nova linha de investigação o delegado Aquino e seus policiais ouviram por cerca de uma hora Cristian, que acabou não sustentando a história que contava e resolveu falar a verdade dos fatos.

CONFISSÃO

Acusado escondeu armas em matagal.Ouvido formalmente, Cristian relatou que em 2012 teria conhecido Elvis que havia deixado a cadeia após ter cumprido pena pelos crimes de furto e tráfico de drogas. Ainda segundo ele no ano passado Elvis passou a carregar na cintura um revólver calibre 38, e pelas noites e madrugadas ameaçava moradores do bairro Antenor Garcia e atirava pelas ruas, bem como ameaçava e dava ordens para alguns do bairro. Cristian disse que Elvis teria dado uma surra em seu sobrinho de 15 anos e ao tirar satisfação com o ex-presidiário, passou a ser ameaçado. Na tarde de quarta-feira, após o almoço Cristian, acompanhado da esposa e do filho de 10 meses, teria saído na porta de sua residência, localizada na rua 6, no bairro Antenor Garcia, quando avistaram Elvis, que foi ao encontro do casal que correu para casa.

Elvis, armado com o revólver 38,  falou para Cristian: "vem cá pra gente conversar. Sabe que eu ainda vou te pegar". Cristian diz que a partir daquele instante passou a carregar consigo sua arma, um revólver Rossi, calibre 22, que teria adquirido de um desconhecido por R$ 200,00.

Ele também alega que ao longo do dia não mais teria visto Elvis e que pela madrugada de quinta-feira, por volta da 1 hora teria deixado a residência para fumar um cigarro de maconha, e quando se encontrava na rua quatro do bairro onde reside, teria visto Elvis, que também teria notado sua presença naquela rua e de imediato sacou de seu revólver e disparou um tiro contra ele que conseguiu se esconder atrás de um poste e no momento em que Elvis, tentava matá-lo, conseguiu saltar sobre seu desafeto e após conseguir desarmá-lo desferiu um único tiro que atingiu a queima roupa. Elvis saiu correndo para um lado, enquanto ele correu em direção a rua 101, onde escondeu o revólver calibre 38, no mesmo local em que estaria escondido sua arma calibre 22. Ainda segundo Cristian, ele correu para moradia onde ficou com a família e pela manhã tomou conhecimento através do noticiário policial, que Elvis, teria sido encontrado morto por volta da 1h45, com um tiro no peito na avenida Donato Pedrino  no bairro Cidade Aracy II. Ele disse que está arrependido e levaria a esposa e o filho para a cidade de Matão e posteriormente regressaria para se apresentar à Polícia Civil e confessar o crime.

INDICIAMENTO E TEMPORÁRIA 

Delegado Gilberto de Aquino, após ouvir acusado solicitou junto à Justiça a prisão temporária.Após ser ouvido, Cristian, foi encaminhado para região de um terreno localizado na rua 101, no bairro Cidade Aracy, onde os policiais civis encontraram e apreenderam o Revólver Rossi, Calibre 22, municiado com quatro cartuchos intactos e o revólver também Rossi, calibre 38, com duas munições intactas, uma bainha de faca e um capuz preto. Todo material foi apreendido e encaminhado para DIG e posteriormente para Polícia Científica. Após o crime esclarecido, o delegado Gilberto de Aquino indiciou o servente de pedreiro Cristian Lucas da Silva pelo crime de homicídio doloso e faltando alguns detalhes, o delegado também representou junto a 2ª Vara Criminal pela prisão temporária do acusado, que foi aceita e pelo início da noite foi expedida por cinco dias. Já por volta das 19h15, Cristian, foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de corpo de delito e posteriormente foi encaminhado ao Centro de Traigem (CT) de São Carlos.

Áudio - Cristian, diz que matou Elvis que vivia ameaçando moradores do bairro e teria tentado matá-lo.

Áudio - Delegado Gilberto de Aquino disse que Cristian tentava deixar a cidade e no final da tarde levou os investigadores ao local em que escondeu as armas.

Leia Também

Últimas Notícias