Menu
domingo, 20 de junho de 2021
Polícia

DIG desvenda mortes entre rivais e esclarece outros crimes em São Carlos

Entre os envolvidos está Wesley Bruno da Silva Penha, assassinado no final de janeiro.

27 Fev 2015 - 15h23
Equipe do delegado Gilberto de Aquino esclareceu oitro crimes de uma só vez. (foto Maycon Maximino) - Equipe do delegado Gilberto de Aquino esclareceu oitro crimes de uma só vez. (foto Maycon Maximino) -

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) esclareceu recentemente uma série de crimes envolvendo várias pessoas, inclusive o jovem Wesley Bruno da Silva Penha, 23, o “Ley”morto em frente a uma boate no Jardim Maracanã, no dia 31 de janeiro.

Tudo teria começado no meio do ano passado, quando Ley se envolveu em uma confusão defronte a um bar, na rua Sete de Setembro, ao lado da Câmara Municipal. Ele teria parado o seu veículo no meio da via e logo atrás, em outro carro, estavam Wanderson Alves Trindade e Juarez Rafael de Souza, que mandaram Wesley tirar o carro do local.

Neste momento iniciou uma discussão entre os envolvidos e um deles sacou uma arma e tentou efetuar disparos contra Ley, mas as balas picotaram. A partir deste momento foi criada a rivalidade entre eles que resultou em duas mortes.

Wesley tentou matar Wanderson e Juarez no Gonzaga. (foto Luciano Lopes).No dia 13 de junho de 2014, Wesley foi até o Jardim Gonzaga, onde na rua Alberto Martins, tentou matar Wanderson e Juarez a tiros. Um adolescente identificado como D.O., que estava nas proximidades também acabou sendo atingido. Todos foram encaminhados até hospitais da cidade e sobreviveram. Na ocasião a moto que as vítimas estavam foi incendiada por pessoas ligadas Wesley.

O terceiro crime envolvendo os rivais ocorreu na madrugada do dia 23 de agosto. Wesley estava acompanhado da jovem J.J.N., de 16 anos, quando um homem se aproximou e disparou várias vezes. A adolescente foi atingida de raspão na cabeça e levada por Ley até a UPA da Vila Prado. Ela foi medicada e liberada.

As vítimas não conseguiram reconhecer o autor dos disparos, mas Wesley desconfiado dos seus rivais Wanderson e Juarez jurou vingança. Acompanhado do amigo Wilson Junio de Oliveira, o “Ursinho, ele foi até a casa de Wanderson “cobrar a bronca” e efetuou vários tiros contra o imóvel, porém nenhuma pessoa foi atingida.

Depois deste fato, Wanderson e Juarez resolveram se vingar e planejaram matar “Ursinho”, amigo de Ley, inclusive Juarez teria dito no bairro Cidade Aracy que o “amigo de Ley seria homem morto”.

Wilson Junior de Oliveira, 24, amigo de Ley, teria sido morto por Juarez e Wanderson. (foto Milton Rogério)A vingança se concretizou na madrugada do dia 16 de setembro. Wilson Junio de Oliveira, na época com 24 anos, foi executado ao deixar a Praça Ronaldo Golias, no Aracy II. Ele foi emboscado na rua Pedro de Paula e morto com três tiros.

Após o crime Juarez e Wanderson deixaram o local em uma motocicleta. O crime foi presenciado pelos amigos deles, Antonio Luna da Silva e Ronaldo Aparecido Gonçalves Junior, que também deixaram a cena do crime em uma moto.

No decorrer das investigações, a DIG recebeu informações que Juarez e Wanderson teriam envolvimento com o tráfico de drogas. Em uma casa no Cidade Aracy, que seria usada pelos dois, os policiais encontraram maconha, cocaína e crack, além de um revólver calibre 38 com seis munições intactas. No local estavam Ademilson Maia Sales e Antonio Luna, os quais foram presos em flagrante pela especializada por porte de arma de fogo e tráfico de drogas

Após a morte de Wilson, Wesley teria decidido matar Ronaldo Aparecido Gonçalves Junior, 17 anos, pois ele estaria junto com os matadores de seu amigo.  O garoto foi morto a tiros na madrugada do dia 4 de outubro na rua Luis Olay, no Cidade Aracy.Wesley chegou a ser ouvido pelos policiais da DIG, mas negou a autoria do crime. 

A trajetória na vida do crime de Wesley terminou na madrugada do dia 31 de janeiro, quando ele foi morto a tiros em frente a uma boate, no Jardim Maracanã. Segundo o delegado Gilberto de Aquino, o crime foi praticado por dois adolescentes. Ele foi morto antes mesmo de ser indiciado pela tentativa de homicídio contra os três jovens no Jardim Gonzaga.

Agora a DIG tenta localizar Wanderson que se evadiu para o estado da Bahia após ter cometido o crime contra o jovem Wilson. Juarez já encontra-se preso temporariamente e foi indiciado pela morte do jovem.

No decorrer dos trabalhos investigativos, a equipe do delegado Gilberto de Aquino esclareceu três crimes de homicidio, três tentativas de homicídio, disparo de arma de fogo, um de tráfico de drogas e outro de posse ilegal de arma de fogo.

Trajetória na vida do crime para Wesley terminou no dia 31 de janeiro deste ano.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias