Menu
quarta, 20 de outubro de 2021
São Carlos Agora faz nova campanha

Sem trabalho, mãe cuida de 4 filhos e 2 netos em São Carlos; família passa por necessidade extrema

25 Jul 2019 - 12h45Por Marcos Escrivani
Sem trabalho, mãe cuida de 4 filhos e 2 netos em São Carlos; família passa por necessidade extrema - Crédito: Marcos Escrivani Crédito: Marcos Escrivani

“Meu maior sonho? É ter um trabalho, sustentar minha família e poder ter uma casa própria”. Esta foi a resposta após uma pergunta feita para a cuidadora de idosos Claudineia Aparecida Fontes, que mora no barraco 12, no assentamento sem-terra, próximo ao Jardim Novo Mundo, na região do Cemosar (rodovia Domingos Inocentini), indo para a represa do Broa.

Sem trabalho há dez meses, ela faz bicos de faxina (quando consegue). Com o pouco recurso que conquista ao longo dos meses, tenta, na medida do possível comprar comida para os filhos Matheus (15 anos), Rafaela (12 anos) e David (5 anos).

A filha mais velha, Pâmela (20 anos) que morava com o marido (Mateus, 24 anos) em um sítio na região de Brotas com os filhos Gustavo (4 anos) e Ana Júlia (6 meses) também passaram a morar no mesmo terreno. Eles perderam o trabalho.

Desta forma a família reside em um terreno onde há dois barracos de madeira. Claudineia, Matheus, Rafaela e David em um deles com quatro cômodos. No outro, a filha, genro e dois netinhos em um único cômodo construído nos fundos do terreno.

MUITAS NECESSIDADES

Sem arroz, feijão, leite, bolacha. Enfim. Nem os alimentos básicos. Claudineia afirmou que seus filhos e netos são privados de muitas necessidades. “Não consigo trabalho. Hoje em dia, nem os bicos. Já chegamos a passar fome e frio”, disse angustiada.

A cuidadora de idosos afirmou que o drama aumentou quando perdeu o emprego há dez meses. “Eu era registrada. Mas a pessoa que eu cuidava, morreu. Aí conseguia uns bicos, mas agora nem isso. Chega a bater uma angústia muito grande”, disse.

De acordo com ela o mesmo aconteceu com o genro que é serviços gerais e trabalha como azulejista.

Diante de tamanha dificuldade, o São Carlos Agora abraçou a causa e lançou mais uma campanha no sentido das pessoas sensíveis se unirem em uma campanha no intuito de amenizar o atual momento que a família passa.

Claudineia afirmou que não há alimento em sua residência e que seus filhos passam frio. “Não tenho fruta, nem leite. Um pacotinho de bolacha. Peço ajuda a quem puder ajudar e agradeço a Deus a generosidade”, afirmou, salientando ainda que seus filhos tem poucas roupas, sapatos e blusas de frio. “A noite, não tem cobertor para que possam se cobrir”, garantiu.

PIOR SENTIMENTO DO MUNDO

Indagada qual o sentimento de uma mãe ao ver os filhos passar por tais problemas, Claudineia não segurou os prantos. “Como mãe? É o pior sentimento do mundo. Não é dor física, é no coração. Eles não pediram para nascer e agora são obrigados a passar por uma provação assim. Todo dia peço a Deus que tudo melhore e ensino eles a serem honestos”, relatou.

SONHO DE PRINCESA

Por fim, ainda aos prantos, Claudineia disse que não queria chegar ao ponto de pedir ajuda. Mas não suporta ver os filhos passarem tantas necessidades. No momento da reportagem o genro Mateus não estava. “Foi até a cidade tentar um bico”, disse a cuidadora.

“Gostaria, através desta campanha, conseguir um trabalho honesto. Poder ter um salário, mudar para uma casa e batalhar para ter uma casa própria. Um trabalho para mim e para meu genro. Ele é pai, bem como minha filha que é mãe e sofrem com seus filhos, os meus netinhos”, disse. “Sonho tanto em ter uma casa própria. Ter alimentos para minha família. Um lar com amor”, ponderou. “Que Deus ajude a todos que lerem esta notícia e poder nos ajudar neste momento”, emendou.

Quem puder ajudar com algum alimento, roupa, sapato ou cobertor, basta ir até o barraco 12 do assentamento sem terra e procurar Claudineia. Ou ainda entrar em contato pelos fones 16 99630-9446 (Claudineia) ou 16 99398-9737 (Vanessa). Ambos são WhatsApp.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias